Anha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde março de 2011).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Freguesia de Anha
 Portugal Anha  
—  Freguesia  —
Anha está localizado em: Portugal Continental
Anha
Localização de Anha em Portugal
41° 40' N 8° 48' O
País  Portugal
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Rui Matos (PSD)
Mandato 2009-2013
Área
 - Total 9,12 km²
População (2011)
 - Total 2 415
    • Densidade 264,8/km2 
Gentílico: Anhense
Código postal 4935
Orago S. Tiago
Sítio [1]

Vila Nova de Anha ou Anha é uma freguesia portuguesa pertencente ao concelho de Viana do Castelo. O território da freguesia tem 9,12 km² de área e, segundo o recenseamento efectuado em 2011, conta com 2415 habitantes[1] . Possui uma densidade populacional de 264,8 hab/km².

A freguesia encontra-se situada a sul da cidade de Viana do Castelo, na margem esquerda do Rio Lima do qual se afasta cerca de 4 km. Está abrigada dos ventos Norte pelo Monte do Faro, espraia-se por um fértil vale atravessado pelo Ribeiro de Anha, que desagua no Oceano Atlântico, que a limita a poente; e, é rodeada a Norte pela freguesia de Darque; a Nascente, pelas freguesias de Mazarefes e Vila Fria, e a sul, pela freguesia de Chafé.

Demografia[editar | editar código-fonte]

         Evolução da População desde 1864 até 2011                 Evolução dos Grupos Etários (2001 e 2011)                   

Evolução da  População  1864 / 2011; Variação da População  1864 / 2011; A População em 2001; A População em 2011;

História[editar | editar código-fonte]

Vila Nova de Anha, antes apenas Anha, recebe o estatuto de Vila em face do Decreto da Assembleia da República n.0157/III de 9 de Julho de 1985. Esta freguesia é uma povoação muito antiga, cuja fundação remonta aos tempos da reconquista e aparece nos documentos antigos fazendo parte das Terras de Neiva, integrada no Senhorio da Casa de Bragança desde o século XV. Há porém documentos do final do século IX, que falam desta freguesia, que então se chamava Ânia.

Anha já era paróquia antes da construção do Mosteiro Beneditino de São Romão do Neiva, cuja primeira igreja é de cerca do ano de 1022.

No livro “Inventário Colectivo dos Arquivos Paroquiais vol. II Norte Arquivos Nacionais/Torre do Tombo” pode ler-se na íntegra a respeito da história desta freguesia: «A primeira referência conhecida a Anha encontra-se num documento de 1063, que a situa nos limites do couto de Mazarefes.

Nas Inquirições afonsinas, de 1220 e 1258, é citada sob a designação de Santiago de Anha, localizando-se na Terra de Neiva.

Nas Inquirições efectuadas no reinado de D. Dinis, em 1290, aparece com categoria de freguesia, continuando a pertencer ao julgado de Neiva. Na taxação de 1320, a igreja de Santiago de Anha foi tabelada em 70 libras. No registo da cobrança das “colheitas” dos benefícios eclesiásticos do arcebispado de Braga, efectuado por D. Jorge da Costa, entre os anos de 1489 e 1493, tinha de rendimento 3 onças e 2 réis, em prata, e 15 réis, em dízimas de searas.

O livro dos Benefícios e Comendas, de 1528, faz ainda menção a Santiago de Anha incluída na Terra de Aguiar de Neiva.

Américo Costa descreve-a como abadia, no termo de Barcelos, que passou, mais tarde, a priorado. Diz, também o mesmo autor, que esta freguesia se terá designado primitiva, ente Nossa Senhora das Areias, lugar onde existe ainda uma pequena ermida na margem esquerda do rio Lima e, tendo-se tornado inabitável pela acumulação de areias, mudou-se para o local onde actualmente se encontra.

Segundo o Padre António Carvalho da Costa e o Padre Cardoso, o direito de apresentação desta freguesia pertencia à Casa de Bragança, referindo, contudo, a Estatística Paroquial que era a Sé Patriarcal que apresentava o abade».

O património arquitectónico e cultural edificado, as tradições ainda vivas, e o meio ambiente em que se insere, oferecem a Vila Nova de Anha inúmeras atracções de interesse turístico a serem aproveitadas em benefício do desenvolvimento local.

O Paço d’Anha e sua capela de S.to António, a Igreja Matriz, as capelas do Senhor dos Aflitos, de S. João e de S. Gonçalo, a praia oceânica do Rodanho, à qual foi atribuída bandeira dourada, a possibilidade de praticar caça e pesca desportiva, dinamizada pela Associação de Caçadores de Vila Nova de Anha e Associação Desportiva e Cultural, as festas da Vila, em honra de S. Tiago, Santo António e S. José, celebradas na última semana de Julho, e a Queima do Judas, realizada na noite de Domingo de Páscoa, constituem pólos que merecem uma atenção especial de uma po1itica de turismo.

Na sua história o Paço de Anha é ainda uma referência e testemunho pois está estreitamente ligado aos trágicos acontecimentos de 1580, que resultaram na concentração das coroas de Portugal e Espanha nas mãos do monarca espanhol Filipe II (Filipe I de Portugal).

Com efeito, segundo alguns historiadores, terá sido neste lugar, numa primitiva casa rural pertencente a António Gonçalves Cabeças, irmão do capitão-mor dos extintos concelhos de Santo Estevão (Facha -Ponte de Lima) e, Geraz (Viana do Castelo), que D. António, Prior do Crato, terá passado uma das noites dos longos meses em que andou fugido e perseguido por terras minhotas.

A actual casa, alvo de diversos restauros, alguns deles já deste século, mantém ainda uma porta de arestas cortadas, da época quinhentista, que deverá ter pertencido à primitiva habitação.

Na sua passagem por França, acompanhando o exílio do Prior do Crato, António Cabeças terá conhecido um fidalgo francês, de nome Miguel de Agorreta, acabando por o trazer para Portugal e casando-o com a sua filha Maria Ferreira.

Terá sido na sequência deste casamento, que foi instituído o Paço de Anha, devendo-se ao filho do casal, João de Agorreta Ferreira, a reestruturação da casa e a construção da capela, já na primeira metade do século XVII.

Mais tarde, esta família vai ligar-se por laços matrimoniais à família Alpuim de Viana do Castelo, curiosamente também tradicional defensora da causa do Prior do Crato, sendo os descendentes desta união, os actuais proprietários do Paço de Anha, que aqui implementaram um projecto de turismo de habitação e revitalização das vinhas, criando uma marca que ostenta o nome deste Paço multisecular.

Património e zonas turísticas[editar | editar código-fonte]

  • Paço de Anha (e capela)
  • Igreja paroquial
  • Capelas do Senhor dos Aflitos
  • Capela de S. João
  • Capela de S. Gonçalo
  • Praia do Rodanho

Colectividades[editar | editar código-fonte]

Festas e Romarias[editar | editar código-fonte]

As Festividades anhenses são todas elas realizadas na última semana de Julho e são em honra de:

  • S. Tiago, padroeiro da vila
  • Santo António
  • S. José

Actividades Económicas[editar | editar código-fonte]

  • Agricultura
  • Indústria
  • Comércio

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

  • Sarrabulho
  • Cozido à portuguesa

Junta de Freguesia[editar | editar código-fonte]

Presidente: Rui Matos (PSD/CDS) Endereço: Vila Nova de Anha 4935-032 VILA NOVA DE ANHA

Referências

  1. População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano) (em português) Instituto Nacional de Estatística. Página visitada em 4 de Março de 2014. "Informação no separador "Q601_Norte""