Aniceto Carmona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aniceto Carmona (auto-caricatura)

Aniceto Carmona, caricaturista há mais de 60 anos, publica a sua primeira caricatura em Julho de 1952 no semanário lisboeta O Cartaz, o ciclista Fernando Moreira de Sá que foi vencedor da Volta a Portugal desse ano. "O caricaturista anda nestas lides de retratar, em jeito satírico, as mais eminentes personalidades políticas da vida internacional não têm conta os jornais e as revistas onde os seus originais estão publicados. O seu talento, neste difícil sector artístico, ficou, aliás, bem demonstrado nas dez exposições em que tomou parte e na Imprensa de muitos países europeus e sul-americanos"[1] .

Tem obra publicada em vários periódicos, entre os quais se destacam: O Mundo, Os Ridículos, Plateia, Rádio e Televisão, Barraca, Sporting, Belenenses, Benfica, Boletim dos Telefones, Flama, Boletim TAP, Revista Angola, Século (II Série), A Chucha, Sintra Ilustrado, O Concelho de Vila Velha de Ródão, Varzeense. De modo esparso tem caricaturas publicadas em Álbuns de fim de curso e vários jornais brasileiros.

Dados biográficos[editar | editar código-fonte]

Formação[editar | editar código-fonte]

Aniceto Carmona Castelo Martins, nasceu em 1933 em Perais, concelho de Vila Velha de Ródão. Começou a desenhar aos 14 anos de idade, sem ter frequentado escola de Belas Artes, o jovem em 1957 (com 24 anos) vai à Mundo - Revista Semanal Ilustrada apresentar o seu trabalho que, logo a seguir é publicada[2]

A sua biografia foi publicada por Michael Tannock[3]

Conheceu e conviveu com Teixeira Cabral (Mestre caricatura-Síntese), Natalino, Pargana, Camacho, Leonel Cardoso, entre outros. Efectuou mais de uma dezena de Exposições Individuais, em Lisboa, Costa da Caparica, Barreiro, Póvoa de Santo Adrião. Tomou parte em diversas colectivas em Portugal, no Brasil e em França.

Embora faça uso de um estilo diversificado. é um Caricaturista-repentista, tem-se fixado nos últimos anos na Caricatura-síntese, cujo traço domina na perfeição, havendo nele reminiscências de Bagaría e Teixeira Cabral (mestres fabulosos).

Prémios[editar | editar código-fonte]

Apresentou-se, por três vezes, no Salão Nacional de Caricatura e, em 1989, foi galardoado com o 1º Prémio Caricatura do II Salão Livre.

Obra publicada[editar | editar código-fonte]

Publicou uma obra em volumes sobre Os Grandes Caricaturistas Portugueses

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Laboratório[editar | editar código-fonte]

Em Relevo[editar | editar código-fonte]

Repentistas[editar | editar código-fonte]

Gente Comum[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. , A Bronca nº3; Junho de 1977, Lisboa.
  2. , Mundo - Revista Semanal Ilustrada, 1957, nº 46.
  3. , Michael Tannock, Portuguese 20th Century Artists, Phillimore & Co.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]