Animal Liberation Front

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Animal Liberation Front
Beagles resgatados em novembro de 1990 de um laboratório da Boots Group.
(ALF)
Fundação 1976 (37–38 anos)
Sede  Reino Unido
Fundador Robin Webb
Sítio oficial www.animalliberationfront.com

O Animal Liberation Front (em tradução livre "Frente pela Libertação Animal"), mais conhecido pela sigla ALF, é um grupo de ativistas dos direitos animais que usam a ação direta para libertá-los, incluindo resgates de instalações e sabotagens, como modo de protesto e boicote econômico à experimentação em animais, o uso de animais como roupa, alimento ou outras indústrias baseadas na exploração de animais. Qualquer ação direta que promova libertação animal e que "toma toda precaução razoável para não por em perigo vidas de animais (humanos ou não)" pode ser reivindicada como feita pela FLA, enquanto que seja consistente com os outros objetivos da organização.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

A FLA é um modelo de luta horizontal (sem líderes). As células do grupo, atualmente ativas ao redor de 35 países, operam clandestinamente e independentemente uma das outras. Uma célula pode consistir em uma só pessoa. Robin Webb, que cuida da Animal Libertion Front Press Office, no Reino Unido, tem uma frase sobre este modelo de ativismo: "Por isto que o FLA não pode ser destruído, não pode ser infiltrado, não pode ser parado. Você, todos e cada um de vós: vocês são o FLA".

Diretrizes do Frente de Libertação Animal[editar | editar código-fonte]

  • Infligir dano aos que lucram com a miséria e a exploração dos animais.
  • Libertar animais desde centros de abuso, como laboratórios, granjas, fábricas, fazendas de pele, etc, e colocá-los em bons lugares onde possam viver naturalmente, livres de sofrimento.
  • Revelar o horror e atrocidades cometidas contra animais atrás de portas fechadas (matadouros), realizando ações diretas não violentas e libertações.
  • Tomar todas as preocupações necessárias para não causar danos a animais humanos e não-humanos.
  • Qualquer grupo de pessoas que sejam veganas e que realizem ações de acordo com as diretrizes da FLA tem o direito a nomear-se parte do FLA.[1]

Reivindicações das ações diretas[editar | editar código-fonte]

Animal Liberation Front.

As ações são reivindicadas anonimamente contatando as repartições de imprensa do Front, que publicam algumas delas em sua página[2] ou no Bite Back,[3] sobre ações diretas. A repartição de imprensa é dirigida por Webb no Reino Unido e por Jerry Vlasak nos Estados Unidos.

Grupo de apoio[editar | editar código-fonte]

Apesar da ALF não ter existência formal, o Animal Liberation Front Supporters Group (ALFSG) existe para apoiar ativistas que são presos por ações em favor da libertação animal.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre direitos animais é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.