Anko Asato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anko Asato
Kanji 安里 安恒
Hiragana あさと あんこ/ゃすつね
Currículo marcial
Estilo principal (Sokon Matsumura)
Outras informações
Ocupação Militar
Aluno(s) notável(is) Gichin Funakoshi

Anko Asato (安里安恒, Asato Yasutsune/Ankō?) foi um mestre da caratê, nascido em 1827 e falecido em 1906, natural de Oquinaua. Por direito hereditário, era o senhor da vila de Asato, sendo da classe Tonochi[1] , foi conselheiro dos últimos reis de Ryukyu e primeiro mestre de Gichin Funakoshi.[2] [3]

O mestre fazia parte do pequeno círculo que formatou as bases do caratê moderno, grupo este que contava com Sokon Matsumura e Anko Itosu. Ele considerava que o caratê deve ser adaptável e dava maior relevo às técnicas de esquiva e movimentação — Tai sabaki —, pois as defesas com mão e pés perante um espada são de pouca ou nenhuma eficácia, dizendo que um carateca deve saber bloquear e desviar, conforme a situação que se lhe apresente, e que a estratégia vem sempre antes da ação, como Sun Tzu escreveu em A Arte da Guerra, do qual citava o asserto: "conhece-te a ti mesmo e a teu inimigo".[4]

Também considerava que o caratê é uma arte marcial mortal, sendo assim um carateca tem por obrigação ser prudente, pelo que dizia: "as mãos e pés de qualquer um bem treinado em caratê são como espadas: podem matar com um simples toque".

No escopo de demonstrar a congruência de seu ponto de vista, Asato desafiou o mestre espadachim Yorin Kanna[a] para um duelo. Dizem que Asato, apenas com as técnicas de esquiva, conseguiu subjugar ao mestre Kanna, não uma mas várias vezes. Sabe-se que treinou esgrima do estilo Jigen-ryu.[5]

Quando em 1879, o Japão anexou Oquinaua e forçou Sho Tai a abdicar do trono, removendo-o até Tóquio, onde se fixou e recebeu um título da alta norbreza japonesa, muitos dos nobres de Oquinaua seguiram seu rei e se foram viver no exílio, um daqueles nobres era Anko Asato. Consequência disso foi que o mestre parece não ter mais feito grandes contribuições para o caratê. Outra possibilidade para sua "invisibiliade" pode ter residido no fato de ser considerado um dos nobres que se mostraram simpáticos à causa japonesa, razão pela qual se tenha ido viver no exílio, haja vista não mais encontrar ambiente favorável em Oquinaua.[carece de fontes?]

O mestre parece não ter deixado muito a legar, mas há notícia de que tenha praticado e influído nas formas dos katas Kushanku e Bassai e que tenha desenvolvido técnicas de engodo, cujo mote era desviar a atenção do adversário, para abrir sua guarda e aplicar um golpe definitivo. Dizia ele: "se queres chutar, primeiro acena com as mãos"[6]

Notas

[a] ^ Yorin Kanna era um mestre da escola Jigen-ryu, de Satsuma.

Referências

  1. Azato, Anko | Traditional Based - World Wide Dojo (em inglês). Página visitada em 16.dez.2010.
  2. Karate, Okinawan (Martial Arts) (em inglês). Página visitada em 05.12.2010.
  3. History (em inglês). Página visitada em 05.dez.2010.
  4. Katana Karate » History (em inglês). Página visitada em 05.dez.2010.
  5. Bushi Matsumura (em inglês). Página visitada em 05.dez.2010.
  6. School «Pines and Waves» (em inglês). Página visitada em 05.dez.2010.


CLAYTON, Bruce. Shotokan's secret: the hidden truth behind karate's fighting origins (em inglês). Sports and Recreation, 2004.

GREEN, Thomas. Martial arts of the world: an encyclopedia (em inglês).