Anna Christie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anna Christie
Ana Cristina (PT)
Anna Christie (BR)
 Estados Unidos
1930 • p&b • 87 min 
Direção Clarence Brown
Produção Clarence Brown
Paul Bern
Irving Thalberg
Roteiro Frances Marion
Elenco Greta Garbo
Charles Bickford
Marie Dressler
Género Drama
Idioma inglês
Cinematografia William H. Daniels
Edição Hugh Wynn
Distribuição Metro-Goldwyn-Mayer
Lançamento 21 de fevereiro de 1930
Página no IMDb (em inglês)

Anna Christie (pt: Ana Cristina / br: Anna Christie) é um filme norte-americano de 1930, dirigido por Clarence Brown e protagonizado por Greta Garbo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Quinze anos após ter mandado a sua filha Anna viver com os seus parentes em St. Paul, o velho marinheiro Chris Christofferson anseia o regressa da jovem, agora já adulta. As expectativas que tinha sobre a filha acabam por se gorar quando constata que Anna passou afinal por uma vida cheia de dificuldades, na qual se teve, inclusivamente, que prostituir. Uma noite, junto à costa onde vivem, um navio naufraga. Chris, ajudado por Anna, consegue salvar três jovens marinheiros. Anna apaixona-se por um deles, Matt, contra a vontade do pai…

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sobre o filme[editar | editar código-fonte]

A peça Anna Christie, escrita pelo conhecido dramaturgo Eugene O'Neill, era já bem conhecida antes da realização do filme, pois já havia sido encenada e apresentada durante uma temporada em Nova York, no início da década de 1920, para além de uma versão cinematográfica muda rodada em 1923.

Com a chegada do cinema sonoro, a MGM decidiu que os fans de Greta Garbo iriam ouvir, pela primeira vez, a voz da diva sueca, através de uma nova versão de Anna Christie. O desejo de ouvir falar os actores foi maior do que a vontade de simplificar e adaptar os diálogos à linguagem cinematográfica e, por isso, o filme fica-se apenas por uma situação de teatro filmado.[1] Mas esse é também o motivo para um excelente trabalho dos actores, principalmente de Garbo e Marie Dressler, uma grande intérprete do cinema mudo norte-americano.

Prémios e nomeações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lauro António, in Se7e, de 21 de março de 1985

Ligações externas[editar | editar código-fonte]