Anna Luther

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anna Luther
Outros nomes The Poster Girl
Anne Luther
Ann Luther
Nascimento 7 de julho de 1897
Newark, Nova Jérsei, EUA
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americana
Morte 16 de dezembro de 1960
Hollywood, Califórnia, EUA
Ocupação Atriz
Cônjuge Samuel E. Driboen (1913- ?)[1]
Edward Gallagher (1923 – 1924)
IMDb: (inglês)

Anna Luther (7 de julho de 189716 de dezembro de 1960) foi uma atriz de cinema estadunidense [2] que iniciou sua carreira na era muda, e atuou em quase 50 filmes entre 1913 e 1957. Tornou-se conhecida, principalmente, pelo seu estilo de vida considerado “escandaloso” para a época, com vários envolvimentos afetivos e conturbados processos judiciais.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Anna era filha de um vendedor de máquinas de costura de Nova York. O primeiro filme da atriz foi o curta-metragem Hearts of the Dark,[3] em 1913, pela Reliance Film Company, ao lado de Irene Hunt e Paul Scardon.

Entre seus filmes se destacam The Wolf (1914), pela Lubin Manufacturing Company; The Beast (1916), pela Fox Film, os seriados The Great Gamble (1919) e The Lurking Peril (1919), e os filmes Sinners In Silk (1924) e Soul and Body (1921). O filme de 1924 Ten After Ten foi o último em que foi creditada. Com o advento do cinema falado, a partir dos anos 1930 atuou em pequenos papéis esporádicos e não-creditados em filmes como Meet John Doe, de Frank Capra em 1941, Prince Valiant em 1954, e seu último filme, The Wayward Bus, em 1957, em que fez uma pequena ponta, não-creditada.

Ela atuou ao lado de atores como William Garwood, Walter Miller, Charles Hutchison, entre outros, e pelas nas companhias Reliance Film Company, Lubin Manufacturing Company, Selig Polyscope Company, Fox Film, Author's Photo-Plays Inc., Western Photoplays Inc., Wistaria Productions, Burton King Productions, Peacock Pictures, Weiss Brothers Artclass Pictures, entre outras.

Processo[editar | editar código-fonte]

Luther envolveu-se com o operador de minas de Los Angeles, Jack White, e ele a acompanhou como produtor teatral. Em junho de 1924, a atriz pediu $100.000 por violação do contrato contra White, por alegadas promessas para estrelar quatro filmes. Em contrapartida White exigiu um reembolso de $10.000 pelo filme de Luther, acusando-a de ter má reputação. White alegou que ele não violara a lei Mann Act (também conhecida como White-Slave Traffic Act, que trata sobre escravidão feminina branca), meramente partilhando o mesmo quarto com Luther na sua viagem ao oeste.[1] Algumas das testemunhas foram Charlie Chaplin, Evelyn Nesbit, Pearl White, e Mabel Normand. Os advogados de White usaram a morte por assassianto do diretor de cinema mudo William Desmond Taylor, aleganbdo que Luther dissera para pagar ou “cuidado com o que aconteceu com Taylor”.[1]

Durante o processo Luther admitiu pagar $2.500 de aluguel por sua casa em Great Neck, embora ela possuísse um saldo bancário de $141 na época. O juiz levou em consideração o fracasso de Luther em provar a existência de um contrato legal entre ela e White. Após a conclusão da exposição dos fatos, o caso de Luther foi arquivado com um aviso para um novo julgamento.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Anna casara com um advogado de Nova Iorque, Samuel E. Driboen, em 1913, do qual divorciou-se algum tempo depois. Luther posteriormente se casou com Edward Gallagher, das comédias vaudeville Gallagher and Shean. Ela e Gallagher se casaram em 17 de dezembro de 1923,[1] e se separaram dois meses depois, em fevereiro de 1924, com o marido dando continuidade à atuação itinerante e Luther retornando aos filmes. Em março de 1925 ela foi nomeada corresponsável em uma ação judicial intentada pela atriz Dagmar Godowsky. Godowsky começou o processo de divórcio após alegadamente ter descoberto Luther com seu marido, o ator Frank Mayo, no apartamento dele.

Morte[editar | editar código-fonte]

Luther morreu na Motion Picture Country Home, em Woodland Hills, Califórnia em 1960, aos 63 anos. Seu funeral foi conduzido por Pierce Brothers de Hollywood no Mount Sinai Cemetery Chapel.[4]

Filmografia parcial[editar | editar código-fonte]

Cena do seriado The Great Gamble, de 1919, com Anna Luther.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • Gettysburg Times, Producer Admits Contract With Ann Luther, Moving Picture Actress, August 13, 1924, Page 7.
  • Los Angeles Times, Ann Luther and Gallagher Decide To Part, February 15, 1924, Page A11.
  • Los Angeles Times, Notice of New Trial is Posted by Ann Luther, August 24, 1924, Page 16.
  • Los Angeles Times, Miss Ann Luther, December 18, 1960, Page J11.
  • Oakland, California Tribune, He Says She Did, She Says He Did, Who Made Love?, June 22, 1924, Page 83.
  • Oakland Tribune, Frank Mayo Accused By Screen Star Wednesday Evening, March 18, 1925, Page 1.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]