Ana de França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Anne de Beaujeu)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ana de França
Governo
Vida
Nascimento Abril de 1461
Genappe
Morte 14 de Novembro de 1522 (61 anos)
Chantelle

Ana de França ou Ana de Beaujou (Genappe, Abril de 1461Chantelle, 14 de Novembro de 1522)[1] , duquesa de Bourbon em 1488, foi uma filha da França, filha do rei Luís XI e da rainha Carlota de Saboia.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai havia conseguido para ela diversos maridos e ela mesma desejava esposar seu primo, Luís de Orleans, mas impedida de realizar esse projeto, ela aceitou desposar o homem de confiança de Luís XI, Pedro de Beaujeu, senhor de Beaujeu (depois chamado Pedro II, Duque de Bourbon), em 1473[2] .

No seu leito de morte, em Agosto de 1483, o Rei confiou o governo a seu filho, Carlos VIII, que tinha apenas treze anos, a seu genro e à sua filha. Regente na menoridade do irmão entre 1483 e 1491, foi uma governante firme. Os contemporâneos a admiravam e a chamavam Madame la Grande. Ajudada pelo marido, abortou a rebelião dirigida por seu primo Luís de Orléans (futuro rei Luís XII), que tentava sustar a autoridade do jovem Rei, depois da vitória na Batalha de Saint-Aubin-du-Cormier em 27 de Julho de 1488. Ana assinou ainda o tratado que pôs fim à Guerra dos Cem Anos em 1491 (apesar da oposição da Inglaterra e da Áustria), e preparou a união da França com a Bretanha, casando o irmão com a herdeira de Francisco II, Ana da Bretanha.

Ana de França abandonou o poder em 1491, mas retornaria à regência em 1494 por ocasião da expedição de Carlos VIII à Itália. Depois do retorno do irmão, ocupou-se de defender seus próprios interesses e os de seu marido e de sua filha, Suzana. Mais tarde defendeu com energia seus interesses pessoais tomando partido pelo genro, Carlos III, empurrando-o na direção da aliança com Carlos V e transformando-o no herdeiro de todos seus bens, já durante o reinado de Francisco I.

Referências

  1. a b Anne of France. Universalium. Página visitada em 18 de fevereiro de 2013.
  2. Anne de Beaujeu (1461-1522). Historia / Sophia Publications. Página visitada em 18 de fevereiro de 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.