Antímaco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antímaco
Nascimento 400 a.C.
Cólofon ou Claros
Morte grego
Nacionalidade grego
Ocupação poeta, gramático

Antímaco, de Cólofon ou Claros, poeta e gramático grego, floresceu cerca de 400 a.C.

Quase nada se sabe da sua vida. Seus esforços poéticos não eram geralmente apreciados, embora ele tenha recebido incentivo de seu contemporâneo mais jovem Platão.[1]

Seus trabalhos principais foram: um épico Tebas, um relato da expedição dos Sete contra Tebas e a guerra dos epígonos; e um poema elegíaco Lydē, assim chamado por ser o nome da amante do poeta, cuja morte Antímaco procurou encontrar consolo contando histórias de amores infelizes dentro da Mitologia.[2]

Fragmentos de obras de Antimachus Colophon foram publicados por Stoll, em 1845, seguido por Kinkel em Fragmenta epicorum Graecorum (fragmentos de poetas épicos gregos), em 1877, e em Bergk Poetae Lyrici Graeci em 1882. No século XX, foram publicados em Inglês por V. J. Matthews em 1996. foi o criador da poesia épica "erudita", e o precursor da escola de Alexandria, cujos críticos atribuíram a ele o lugar ao lado de Homero. Preparou também uma recensão crítica dos poemas homéricos.

Antímaco não deve ser confundido com Antímaco de Teos, um poeta que viveu muito antes dele a quem os perdidos ciclos épicos Os Epígonos aparentemente foram atribuídos (embora a atribuição possa resultar de engano).

Os fragmentos das obras de Antímaco foram publicados por Stoll, em 1845, seguido por Kinkel em Fragmenta epicorum Graecorum (fragmentos de poetas épicos gregos), em 1877, e por Bergk em Poetae Lyrici Graeci, em 1882. No século XX, foram publicados em inglês por V. J. Matthews em 1996.

Notas

  1. Plutarco, Lisandro, 18)
  2. Plutarco, Consol. ad Apoll. 9; Ateneu, Deipnosophistes xiii. 597

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]