António Félix da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde Maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
António Félix da Costa
António Félix da Costa

Félix da Costa na Red Bull
Nacionalidade Portugal português
Origem Cascais, Portugal
Data de nascimento 31 de agosto de 1991 (23 anos)
Deutsche Tourenwagen Masters de 2014
Equipe atual BMW Team MTEK
Número do carro 18
Primeira vitória Silverstone
Última vitória Hungaroring
Sítio oficial http://www.felixdacosta.com/

António Maria de Melo Breyner Félix da Costa (Cascais, 31 de Agosto de 1991) é um automobilista português, atualmente piloto do programa Red Bull Junior Team desde Junho de 2012. Em Janeiro de 2014 foi confirmado como piloto da BMW Team MTEK no Deutsche Tourenwagen Masters (DTM)[1] , sendo que em Julho de 2014, foi confirmado que paralelamente iria disputar a Formula E, nova categoria da FIA para monolugares elétricos, como piloto da Amlin Aguri. A sua estreia está marcada para Setembro de 2014.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Miguel Maria Félix da Costa (18 de Abril de 1952), 1328.º Sócio do Clube Tauromáquico, e de sua segunda mulher, da qual foi segundo marido, Maria Antónia do Espírito Santo Silva de Melo Breyner (13 de Abril de 1955), filha do 6.º Conde de Mafra, e irmão de Pedro de Melo Breyner Félix da Costa (26 de Setembro de 1992). Desde cedo acompanhou atentamente a carreira do seu meio-irmão Duarte Félix da Costa como espectador entusiasta nos variadíssimos campeonatos de karting, algo que veio a despertar desde cedo a vontade de vir a ser piloto profissional.

Tiago Monteiro é quem segue a sua carreira, ajudando-o no caminho à Fórmula 1.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Karting[editar | editar código-fonte]

Com 9 anos, da Costa faz a sua primeira participação num campeonato de Karts, na Taça de Portugal, onde no meio de pilotos mais experientes revelou um enorme à-vontade.

Em 2002, Félix conquistou os primeiros títulos, no Campeonato Nacional e no Open Portugal. No seu currículo conta também com outro título do Campeonato Nacional, desta vez na categoria KF3, e outro título do Open de Portugal.

2006 foi o ano em que da Costa começou a ter resultados de relevo em provas europeias, tendo sido Vice-Campeão da World Series Karting e terceiro classificado no Open Master Itália.

Em 2007, o António tornou-se piloto de uma equipa oficial de fábrica, assinando contrato com o maior construtor de karts mundial, a Tony Kart, por onde já passaram nomes como Michael Schumacher e Sebastian Vettel, passando para a categoria KF2. Félix da Costa participou nas mais importantes e disputadas competições mundiais de karting, entre as quais, o Open Masters Itália, o Campeonato da Europa, o Campeonato Ásia-Pacífico, o Campeonato do Mundo entre outras corridas internacionais de relevância.

Monolugares[editar | editar código-fonte]

2008: WSR Fórmula Renault 2.0[editar | editar código-fonte]

Em 2007, o jovem piloto de Cascais dá finalmente o ambicionado salto para os monolugares, assinando, em dezembro, com a equipa alemã Motopark Academy para 2008, tornando-se o piloto português mais novo de sempre a competir na Fórmula Renault 2.0, participando tanto na Eurocup como no NEC.

Estreando no NEC, em Hockenheimring, ele terminou a corrida em terceiro, atrás apenas dos colegas de equipa Valtteri Bottas e Tobias Hegewald, após ter-se qualificado em terceiro para a corrida. Ao contrário dos colegas de equipa que estavam principalmente focados na Eurocup, Félix da Costa tinha as atenções viradas para o NEC, tendo vindo a vencer a primeira corrida em Oschersleben, quando a maioria dos rivais competia na Eurocup, no Hungaroring. Assim, Félix da Costa tornou-se Vice-Campeão no Campeonato Norte Europeu no seu ano de estreia em monolugares, alcançando um total de onze pódios em dezasseis corridas (8 fins-de-semana de 2 corridas), sendo um deles no lugar mais alto. Participou em 6 de 14 corridas da Eurocup, tendo sido 13º classificado no campeonato e tendo como melhor resultado um 4º lugar no Estoril.

Participou também nas 2 corridas no circuito do Estoril na Fórmula Júnior Portugal, o que lhe permitiu conquistar 4 pontos, deixando-o em 17º no campeonato, que para além do Estoril teve apenas mais duas corridas no circuito de Jerez.

2009: WSR Fórmula Renault 2.0[editar | editar código-fonte]

Para Félix da Costa, a época de 2009 foi um ano de afirmação. Félix renovou a aposta na sua equipa, a Motopark Academy, e conquistou o seu primeiro título de monolugares, no campeonato Norte Europeu de Formula Renault 2.0, dominando por completo o campeonato (nove vitórias em catorze corridas disputadas), terminando ainda na terceira posição na Eurocup Formula Renault 2.0, ficando a 10 pontos do primeiro classificado, após de no penúltimo fim-de-semana, em Nurburgring, ter sido desclassificado por razões que suscitam dúvida.

2010: Fórmula 3 Europeia[editar | editar código-fonte]

Para 2010, António apostou no disputadíssimo Campeonato de Fórmula 3 Europeia, verdadeira escola e fábrica de campeões, por onde passaram grandes nomes da Fórmula 1. O piloto mostrou estar mais que à altura do desafio e conquistou o título de melhor rookie obtendo três vitórias absolutas, para além de ter sido sexto no Grande Prémio de Macau, prova carismática no panorama internacional. Terminou o campeonato na sétima colocação.

A meio da sua caminhada pela Fórmula 3 Europeia, António teve a oportunidade de disputar dois GPs da GP3 Series, pela Carlin Motorsport. Logo na primeira prova, terminou em sexto após partir em nono. Embora nas três corridas restantes não tenha pontuado, a sua atuação chamou à atenção, encorajando algumas equipas a quererem assinar contrato com ele para 2011.

Estes resultados não passaram despercebidos às equipas de Fórmula 1, que o “premiaram” com o convite para testar pela Force India em Abu Dhabi, vindo António a tornar-se o piloto português mais novo de sempre a guiar um Fórmula 1. Mais uma vez o piloto, que tinha 19 anos, esteve em grande nível alcançando o terceiro tempo geral, tendo sido batido apenas por carros mais competitivos, a McLaren e a Red Bull.

2011: GP3 Series[editar | editar código-fonte]

Na temporada de 2011, depois de vários convites e abordagens, António continuou o percurso rumo à Fórmula 1 e esteve presente em todos os Grandes Prémios de Fórmula 1 a disputar a GP3 Series, integrado na equipa Status Grand Prix. Embora não tivera apresentado resultados tão elevados como nas categorias da Renault, fez algumas boas prestações, obtendo uma vitória no carismático circuito de Monza. Terminou o campeonato na 13ª posição.

Félix da Costa teve a oportunidade de participar em dois fins-de-semana do Campeonato Britânico de Fórmula 3, em Nurburgring e em Paul Ricard, fazendo uma excelente prestação terminando as 6 corridas na zona pontuável, ficando em 2º em duas delas.

Da Costa ainda correu pela Ocean Racing Technology na final de GP2, no Abu Dhabi, tendo tido um 7º lugar na primeira corrida e um 9º na segunda, apresentando uma boa performance, com algumas boas ultrapassagens.

2012: GP3 Series e WSR Fórmula Renault 3.5[editar | editar código-fonte]

Em 2012, da Costa manteve-se na categoria, correndo desta vez pela Carlin Motorsport, a equipa que lhe deu a primeira oportunidade em 2010. Foi uma temporada importantíssima que abriu reais possibilidades de poder chegar a modalidade rainha, a Fórmula 1. Começou logo em alta, obtendo pole-position logo na primeira etapa, na Catalunha, mas uma falsa partida levou-o a ser penalizado, o que levou-o a terminar a corrida em 14º. Logo no dia seguinte ainda recuperou para 7º, dando-lhe mais 2 pontos. Logo na etapa seguinte, Félix terminou em 7º na corrida 1 no lendário circuito do Mónaco, permitindo-lhe partir de 2º na corrida 2, posição que obteve no final da corrida, obtendo o primeiro pódio da temporada.

Em Valência qualificou-se em quinto, mas foi desclassificado por uma infração técnica, tendo de partir em 23º. Na corrida 1, na segunda volta, envolveu-se num acidente com Dmitry Suranovich e desistiu. Tendo sido considerado culpado, embora o acidente parece-se inevitável, voltou a partir no final da grelha, desta em 24º, para a segunda corrida. Apesar do mau fim-de-semana que António trazia até então, ele ainda brilhou, tendo feito, ao longo da corrida, a volta mais rápida consistentemente e cortando a meta em 8º.

Em Silverstone obteve a primeira vitória da época, logo na corrida 1, após partir em 3º. Quando assim surgiu a oportunidade de recuperar o terreno perdido, o azar voltou para a prova de Hockenheimring, prova na qual ele ficou a zeros devido a uma conjunção negativa para o lado de Félix de variadas circunstância como a chuva ou incidentes de corrida.

Quando as hipóteses do título pareciam quase nulas, a esperança voltou logo no fim-de-semana seguinte, no circuito de Hungaroring. Félix da Costa fez história na GP3 Series sendo o primeiro piloto a ganhar as duas corridas do mesmo fim-de-semana. António saltou para 3º no campeonato.

Em Spa-Francorchamps voltou a ter uma excelente prestação, terminando as duas corridas em 2º, deixando possibilidade para o título quando se caminhava para a última etapa da temporada, em Circuito de Monza. Sozinho não podia ganhar o campeonato, necessitava de uma conjunção de bons resultados com maus resultados do líder, Mitch Evans. E, na fase inicial da corrida 1, Félix da Costa liderava a corrida após uma desistência de Mitch Evans, o que lhe daria a confortabilidade de só precisar de um ponto na corrida 2, mas, a meio, um problema na caixa de velocidades limitou o andamento do carro, caindo sucessivamente posições até o 15º posto, ficando logo sem qualquer chance do título. Ainda mostrou uma boa recuperação na corrida 2, terminado em 5º.

Para além de uma GP3 com muitos pontos altos, Félix da Costa ainda fez um regresso às World Series by Renault, nesta vez na categoria 3.5., após ter assinado contrato com a Red Bull para o programa de jovens pilotos, correndo pela equipa Arden Caterham a partir da 4ª etapa, em Nurburgring.

Teve atuações novamente de qualidade, sendo o piloto com mais vitórias do campeonato, 4, e sendo também o único a vencer duas corridas do mesmo fim-de-semana, feito realizado na última etapa. A vitória no Hungaroring foi-lhe permiada com um Test Drive num carro da Red Bull de uma temporada anterior, sendo o regresso a um carro de Fórmula 1 desde o teste pela Force India. Em Montmeló, após o excelente fim-de-semana, fez outro Test Drive.

Devido a boas prestações, da Costa foi também convidado para participar num Show Drive na Coreia do Sul, novamente com o carro de Fórmula 1 da Red Bull.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Resumo da carreira[editar | editar código-fonte]

Temporada Categorias Equipa Corridas Vitórias Poles Voltas Rápidas Podios Pontos Posição
2008 Formula Renault 2.0 UK Winter CR Scuderia 4/4 0 0 0 1 N/A NC†
Formula Renault 2.0 Portugal Winter Motopark Academy 2/4 0 0 0 0 4 17º
Eurocup Formula Renault 2.0 6/14 0 0 0 0 18 13º
Formula Renault 2.0 NEC 16/16 1 1 1 10 280
2009 Eurocup Formula Renault 2.0 Motopark Academy 14/14 3 2 3 9 128
Formula Renault 2.0 NEC 14/16 9 4 7 11 361
2010 Formula 1 Force India Teste de Jovens Pilotos
Formula 3 Euro Series Motopark Academy 18/18 3 0 1 4 40
Masters of Formula 3 1/1 0 0 0 0 N/A 18º
GP3 Series Carlin 4/16 0 0 0 0 3 26º
Grande Prémio do Macau (Fórmula 3) 1/1 0 0 0 0 N/A
2011 GP3 Series Status Grand Prix 16/16 1 0 0 1 16 13º
GP2 Abu Dhabi Ocean Racing Technology 2/2 0 0 0 0 2
British Formula Three Hitech Racing 6/30 0 0 1 3 51 13º
Grande Prémio do Macau (Fórmula 3) 1/1 0 0 0 0 N/A 20º
2012 Formula 1 Red Bull Teste de Jovens Pilotos
Formula Renault 3.5 Series Arden Caterham 12/17 4 0 2 6 166
GP3 Series Carlin 16/16 3 1 6 6 132
MotorSport Vision Cup (Fórmula 3) 2/2 2 1 2 2 N/A NC†
Grande Prémio do Macau (Fórmula 3) 1/1 1 1 1 1 N/A
2013 Formula 1 Red Bull Teste de Jovens Pilotos
Formula Renault 3.5 Series Arden Caterham 17/17 3 1 2 6 172

† – Como Félix da Costa era um piloto convidado, não podia receber pontos.

* Época a decorrer.

Resultados da Fórmula Renault 2.0 UK Winter Cup[editar | editar código-fonte]

Ano Equipa 1 2 3 4 CF Pontos
2008 CRS Racing CRO
1

Ret
CRO
2

4
ROC
1

2
ROC
2

20

† – Como Félix da Costa era um piloto convidado, não podia receber pontos.

Resultados da Fórmula Júnior Fórmula Renault 2.0 Portugal[editar | editar código-fonte]

Ano Equipa 1 2 3 4 CF Pontos
2008 Motopark Academy ESP
1

ESP
2

POR
1

8
POR
2

25
17º 4

Resultados da Fórmula Renault 2.0 Eurocup[editar | editar código-fonte]

(Corridas em negrito indicam pole-position) (Corridas em itálico indicam volta rápida)

Ano Equipa 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 CF Pontos
2008 Motopark Academy BEL
1

16
BEL
2

9
GBR
1

GBR
2

HUN
1

HUN
2

ALE
1

10
ALE
2

9
FRA
1

FRA
2

POR
1

5
POR
2

4
ESP
1

ESP
2

13º 19
2009 Motopark Academy ESP1
1

3
ESP1
2

2
BEL
1

2
BEL
2

2
HUN
1

4
HUN
2

5
GBR
1

1
GBR
2

Ret
FRA
1

3
FRA
2

2
ALE
1

DSQ
ALE
2

DSQ
ESP2
1

1
ESP2
2

1
128

Resultados da Fórmula 3 Europeia[editar | editar código-fonte]

(Corridas em itálico indicam volta rápida)

Ano Equipa Chassis Motor 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Posição Pontos
2010 Motopark Academy Dallara F308/098 Volkswagen LEC
1

8
LEC
2

8
HOC1
1

7
HOC1
2

9
VAL
1

6
VAL
2

Ret
NOR
1

7
NOR
2

Ret
NÜR
1

7
NÜR
2

1
ZAN
1

8
ZAN
2

1
BRH
1

8
BRH
2

1
OSC
1

3
OSC
2

Ret
HOC2
1

9
HOC2
2

4
40

Resultados da GP3 Series[editar | editar código-fonte]

(Corridas a negrito indicam pole-position) (Corridas em itálico indicam volta rápida)

Ano Equipa 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 CF Pontos
2010 Carlin ESP
1

ESP
2

TUR
1

TUR
2

VAL
1

VAL
2

GBR
1

GBR
2

ALE
1

ALE
2

HUN
1

6
HUN
2

17
BEL
1

Ret
BEL
2

12
ITA
1

ITA
2

26º 3
2011 Status Grand Prix TUR
1

5
TUR
2

4
ESP
1

12
ESP
2

17
VAL
1

Ret
VAL
2

20†
GBR
1

19
GBR
2

9
ALE
1

28
ALE
2

Ret
HUN
1

11
HUN
2

6
BEL
1

Ret
BEL
2

11
ITA
1

7
ITA
2

1
13º 16
2012 Carlin ESP
1

14
ESP
2

7
MON
1

7
MON
2

2
VAL
1

Ret
VAL
2

8
GBR
1

1
GBR
2

6
ALE
1

Ret
ALE
2

Ret
HUN
1

1
HUN
2

1
BEL
1

2
BEL
2

2
ITA
1

15
ITA
2

5
132

‡ Só foram atribuídos metade dos pontos uma vez que não se completou pelo menos 75% da corrida.

Resultados da Fórmula Renault 3.5 Series[editar | editar código-fonte]

(Corridas a negrito indicam pole position, corridas em itálico indicam volta rápida)

Ano Equipa 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 CF Pontos
2012 Arden Caterham ESP1
1

ESP1
2

MON
1

BEL
1

BEL
2

ALE
1

9
ALE
2

11
RUS
1

7
RUS
2

15
GBR
1

5
GBR
2

2
HUN
1

4
HUN
2

1
FRA
1

1
FRA
2

2
ESP2
1

1
ESP2
2

1
166
2013 Arden Caterham ITA
1

Ret
ITA
2

1
ESP1
1

13
ESP1
2

7
MON
1

5
BEL
1

2
BEL
2

4
RUS
1

2
RUS
2

Ret
AUS
1

7
AUS
2

Ret
HUN
1

Ret
HUN
2

1
FRA
1

1
FRA
2

3
ESP2
1

4
ESP2
2

13
172

Referências


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre António Félix da Costa