António Mendes Bello

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
D. António Mendes Bello
Cardeal da Santa Igreja Romana
Patriarca de Lisboa
Atividade Eclesiástica
Diocese Patriarcado de Lisboa
Nomeação 19 de Dezembro de 1907
Predecessor D. José Sebastião de Almeida Neto
Sucessor D. Manuel Gonçalves Cerejeira
Mandato 19071929
Ordenação e Nomeação
Ordenação Presbiteral 10 de Junho de 1865
Ordenação Episcopal 27 de Abril de 1884
por D. José Sebastião de Almeida Neto
Nomeado Arcebispo 24 de Março de 1884
Nomeado Patriarca 19 de Dezembro de 1907
Brasão Patriarcal
Cardinalato
Criação 27 de Novembro de 1911 (in pectore)
25 de Maio de 1914
por Pio X
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santos Marcelino e Pedro
Dados Pessoais
Nascimento Gouveia
18 de Junho de 1842
Falecimento Lisboa
5 de Agosto de 1929 (87 anos)
Nacionalidade Portuguesa
Filiação Miguel Mendes Bello e Rosalina dos Santos de Almeida Mota
Funções Exercidas - Administrador Apostólico de Pinhel (1874-1881)
- Bispo Auxiliar de Lisboa (1884)
- Bispo de Faro (1884-1907)
Títulos Anteriores Arcebispo Titular de Mitilene (1884-1907)
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom António Mendes Bello GCNSC (Gouveia, São Pedro, 18 de Junho de 1842 - Lisboa, 5 de Agosto de 1929) foi o décimo-terceiro Patriarca de Lisboa com o nome de D. António I. Desde meados do século XX que o seu corpo se encontra no Panteão dos Patriarcas de Lisboa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Miguel Mendes Bello e de sua mulher Rosalina dos Santos de Almeida Mota. Foi ordenado diácono em 17 de Dezembro de 1864 e, em 10 de Junho de 1865, foi ordenado padre.

Foi sucessivamente governador dos bispados de Pinhel (1874) e de Aveiro (1881), arcebispo-titular de Mitilene (1883).

Foi consagrado em 27 de Abril de 1884, pelo cardeal José Sebastião Neto, patriarca de Lisboa, auxiliado por José Ferrão da Silva, bispo de Portalegre, e por António Tomás da Silva Leitão e Castro, bispo de Angola. Transferido para a Sé de Faro, com o título de Arcebispo ad personam em 13 de Novembro de 1884. Em 19 de Dezembro de 1907, é elevado a dignade de Patriarca de Lisboa.

Foi designado cardeal in pectore no Consistório convocado por Pio X em 27 de Novembro de 1911; contudo, as convulsões políticas em Portugal impediram-no de receber o chapéu cardinalício; só em 1914, depois de participar no Conclave que elegeu Bento XV, recebeu deste sumo-pontífice o chapéu vermelho, com o título de Santos Marcelino e Pedro.

Foi o 568º Grã-Cruz da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa em 1897.

Conclaves[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Leonardo de Sousa Brandão
Brasão episcopal
Administrador da
Diocese de Pinhel

18741881
Sucedido por
extinção da diocese
Precedido por
António de Santo
Ilídio da Fonseca e Silva
Brasão episcopal
Administrador da
Diocese de Aveiro

1881
Sucedido por
extinção da diocese
Precedido por
D. António José
de Freitas Honorato
Brasão episcopal
Bispo Titular de Mitilene

18841884
Sucedido por
D. Giovanni Rebello
Cardoso de Menezes
Precedido por
D. Inácio do Nascimento
Morais Cardoso
Brasão episcopal
Bispo do Algarve

18841907
Sucedido por
D. António Barbosa Leão
Precedido por
D. José Sebastião Neto
Brasão cardinalício
13.º Cardeal-Patriarca de Lisboa

19071929
Sucedido por
D. Manuel Gonçalves Cerejeira
Precedido por
D. Alessandro Sanminiatelli
Zabarella
Brasão cardinalício
Cardeal-presbítero
de Santos Marcelino e Pedro

19141929
Sucedido por
D. Manuel Gonçalves Cerejeira