Antônio Ferreira de Brito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Antônio Ferreira de Brito, primeiro e único barão da Boa Esperança (Três Pontas, 9 de julho de 1831Três Pontas, 27 de março de 1903), foi um fazendeiro e político brasileiro.

Nasceu na Fazenda do Bom jardim, no oeste do território de Três Pontas, no caminho que liga a cidade ao povoado de Martinho Campo. Após a morte de Antônio José Rabelo e Campos, assumiu o comando político do município, em 1879. Militou na região pelo Partido Conservador, por meio do qual ocupou diversas funções públicas, para além de coronel da Guarda Nacional.

Nobiliarquia[editar | editar código-fonte]

Agraciado com o título de barão por decreto de 11 de setembro de 1888. O título faz referência à cidade mineira de Boa Esperança; porém, este nobre possuía suas terras todas no território de Três Pontas.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Filho de Francisco Ferreira de Brito e de Felicidade Jesuína de Adelindes, era neto paterno do Capitão Bento Ferreira e Brito, o fundador de Três Pontas. Casou-se duas vezes: a primeira, com Porcina Xavier de Mesquita e a segunda, com Ambrosina Antônia da Silveira, filha de Antônio Luís de Azevedo, primeiro barão de Pontal. Do primeiro casamento, teve doze filhos.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.