Antônio Paulino Limpo de Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antônio Paulino Limpo de Abreu
Nascimento 22 de setembro de 1798
Lisboa
Morte 14 de setembro de 1883 (84 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro

Antônio Paulino Limpo de Abreu, primeiro e único visconde com grandeza de Abaeté GCNSC (Lisboa, 22 de setembro de 1798Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1883), foi um magistrado, diplomata e político brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Visconde de Abaeté.

Pai de Antônio Paulino Limpo de Abreu.

Formado em direito na Universidade de Coimbra em 1820, foi juiz de fora em São João del-Rei, ouvidor da comarca, desembargador, vereador, deputado geral, presidente da província de Minas Gerais (1833), ministro e presidente do Conselho de Ministros. Foi senador do Império do Brasil de 1847 a 1883, a qual presidiu entre 1861 a 1873.[1]

Como diplomata executou várias missões em Montevidéu e na Confederação Argentina.

Gabinete de 12 de dezembro de 1858[editar | editar código-fonte]

Foi Presidente do Conselho de Ministros e simultaneamente ministro da Marinha

Títulos nobiliárquicos e honrarias[editar | editar código-fonte]

Armas do visconde com grandeza de Abaeté.

Gentil-Homem da Casa Imperial e Grande do Império, foi agraciado com os títulos de Dignitário da I Ordem do Cruzeiro, Grã-Cruz da I Ordem de Cristo e de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, de Portugal.[1]

Visconde de Abaeté[editar | editar código-fonte]

Título conferido por decreto imperial em 2 de dezembro de 1854.[1] Faz referência ao então povoado mineiro de Abaeté.

Brasão de armas[editar | editar código-fonte]

Recebeu seu brasão de armas em 22 de Julho de 1864, registrado no Cartório da Nobreza Liv. VI, fls. 63. Era assim descrito:

Em campo azul, uma asna de prata acompanhada, em chefe, de duas estrelas de ouro e em ponta, de uma palmeira do mesmo, posta em um monte de sinople. Divisa: Consilium in providendo, celeritas in conficiendo.[1]

Referências

  1. a b c d e VASCONCELOS, José Smith de; VASCONCELOS, Rodolfo Smith de. Archivo nobiliarchico brasileiro. Lausanne: Imprimerie La Concorde, 1918. 26-27 pp.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
José de Araújo Ribeiro
Presidente da província de Minas Gerais
1833 — 1834
Sucedido por
Manuel Dias de Toledo
Precedido por
Joaquim Vieira da Silva e Sousa
Ministro dos Negócios do Império do Brasil
1835 — 1836
Sucedido por
José Inácio Borges
Precedido por
Manuel Alves Branco
Ministro da Justiça do Brasil
1835 — 1836
Sucedido por
Gustavo Adolfo de Aguilar Pantoja
Precedido por
Manuel Alves Branco
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1836
Sucedido por
Gustavo Adolfo de Aguilar Pantoja
Precedido por
Gustavo Adolfo de Aguilar Pantoja
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1837
Sucedido por
Francisco Gê Acaiaba de Montezuma
Precedido por
Manuel da Fonseca de Lima e Silva
Ministro dos Negócios do Império do Brasil
1837
Sucedido por
Manuel Alves Branco
Precedido por
Paulino José Soares de Sousa
Ministro da Justiça do Brasil
1840 — 1841
Sucedido por
Paulino José Soares de Sousa
Precedido por
José Carlos Pereira de Almeida Torres
Ministro da Justiça do Brasil
1845 — 1846
Sucedido por
Joaquim Marcelino de Brito
Precedido por
Ernesto Ferreira França
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1845 — 1846
Sucedido por
Bento da Silva Lisboa
Precedido por
Bernardo de Sousa Franco
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1848
Sucedido por
José Antônio Pimenta Bueno
Precedido por
Manuel Alves Branco
Ministro da Fazenda do Brasil
1848
Sucedido por
José Pedro Dias de Carvalho
Precedido por
Paulino José Soares de Sousa
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1853 — 1855
Sucedido por
José Maria da Silva Paranhos
Precedido por
Honório Hermeto Carneiro Leão
Ministro da Fazenda do Brasil
1855
Sucedido por
Honório Hermeto Carneiro Leão
Precedido por
Marquês de Olinda
Primeiro-Ministro do Brasil
12 de dezembro de 1858 — 10 de agosto de 1859]
Sucedido por
Barão de Uruguaiana
Precedido por
José Antônio Saraiva
Ministro da Marinha do Brasil
1858 — 1859
Sucedido por
Francisco Xavier Pais Barreto


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.