Antônio de Almeida Lustosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dom Antônio de Almeida Lustosa
Arcebispo da Igreja Católica
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 28 de janeiro de 1912
Ordenação episcopal 11 de fevereiro de 1925
Lema episcopal SUB UMBRA ALARUM TUARUM
Nomeado arcebispo 10 de julho de 1931
Brasão arquiepiscopal
Brasao Antonio de Almeida Lustosa.png
Dados pessoais
Nascimento BrasilSão João del-Rei
11 de fevereiro de 1886
Morte Carpina
14 de agosto de 1974 (88 anos)
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Antônio de Almeida Lustosa, SDB, (São João del-Rei-MG, 11 de fevereiro de 1886Carpina, 14 de agosto de 1974) foi um bispo católico brasileiro.

Ingressou na congregação salesiana no dia 29 de janeiro de 1905. Foi ordenado sacerdote no dia 28 de janeiro de 1912, em Taubaté-SP, pelas mãos de Dom Epaminondas Nunes d'Ávila e Silva, bispo de Taubaté-SP.

Como padre salesiano, ensinou filosofia e teologia. Foi mestre de noviços, diretor e vigário.

Bispo de Uberaba[editar | editar código-fonte]

O Papa Pio XI nomeou o padre Antônio Lustosa como o segundo bispo de Uberaba-MG, no dia 4 de julho de 1924. Sua ordenação episcopal deu-se a 11 de fevereiro de 1925, em São João del-Rei pelas mãos de Dom Helvécio Gomes de Oliveira, SDB, Dom Emanuel Gomes de Oliveira, SDB e Dom Benedito Paulo Alves de Sousa.

Sua Excelência permaneceu no governo da diocese até 1928.

Bispo de Corumbá[editar | editar código-fonte]

No dia 17 de dezembro de 1928, o Papa Pio XI nomeia Dom Lustosa para ser bispo de Corumbá-MS, Brasil, onde permanecerá até 1931.

Arcebispo de Belém do Pará[editar | editar código-fonte]

Dom Antônio é promovido a arcebispo de Belém do Pará, pelo Papa Pio XI, no dia 10 de julho de 1931.

Dom Lustosa toma posse por procuração no dia 15 de novembro de 1931, nomeando imediatamente Monsenhor Argemiro Maria de Oliveira Pantoja, governador do Arcebispado que já vinha exercendo a função de vigário capitular da Arquidiocese desde 21 de julho. Sua chega a Belém do Pará foi no dia 17 de dezembro do mesmo ano, fazendo sua entrada solene na catedral no mesmo dia.

Em 1932 Monsenhor Argemiro Maria de Oliveira Pantoja é nomeado, pelo arcebispo, vigário geral da Arquidiocese.

Nos dez anos de seu governo, ele visitou todo o território da Arquidiocese, apesar das grandes dificuldades de acesso e excessiva extensão territorial. A partir de setembro de 1932, Dom Lustosa passa a publicar no periódico católico "A Palavra", suas crônicas relativas às visitas pastorais. Esta coluna terá o nome de "A Margem da Visita Pastoral"; a coletânea destes artigos foi publicada como livro. De sua pena saíram ainda muitos outros livros, entre os quais uma biografia de Dom Macedo Costa, Bispo do Pará.

Dentre as muitas realizações de Dom Antônio Lustosa, destacam-se a reabertura do Seminário Nossa Senhora da Conceição, confiado à administração dos salesianos; criação de diversas paróquias; instalação de comunidades religiosas dos Padres Crúzios, das Irmãs Filhas de Maria Auxiliadora, das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, das Irmãs Capuchinhas, das Angélicas de São Paulo e das Irmãs de Nossa Senhora da Anunciação.

No dia 19 de julho de 1941, por ordem do Papa Pio XII, Dom Lustosa é transferido para a Arquidiocese de Fortaleza, Ceará.

No dia 30 de setembro de 1941 ele realiza uma de suas últimas funções litúrgicas como Arcebispo de Belém: a sagração da Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, santuário dedicado à padroeira do Pará e da Amazônia, para onde converge o Círio de Nossa Senhora de Nazaré.

Arcebispo de Fortaleza[editar | editar código-fonte]

Dom Antônio de Almeida Lustosa toma posse na Arquidiocese de Fortaleza no dia 5 de novembro de 1941.

Em 1952 Dom Almeida Lustosa participou da fundação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Foi co-fundador do Instituto Josefino.

É o autor dos vitrais que ornamentam a Catedral de Fortaleza.

Participou da fase ante-preparatória do Concílio Vaticano II e do primeiro período (outubro – dezembro 1962) do Concílio.

O Papa João XXIII aceitou sua renúncia no dia 16 de fevereiro de 1963. Passou ao título de Arcebispo de Velebusdus (sé titular), à qual renunciou em 1971, passando a ter o título de Arcebispo emérito de Fortaleza.

Morte[editar | editar código-fonte]

Dom Lustosa faleceu no dia 14 de agosto de 1974, aos 88 anos de idade, na casa salesiana de Carpina, Pernambuco, Brasil, onde viveu os seus últimos quinze anos. Está sepultado na catedral de Fortaleza, Ceará.

Processo de canonização[editar | editar código-fonte]

Em 1993 a Arquidiocese de Fortaleza abriu o processo canônico para sua canonização.

Em Belém do Pará, no dia 1º de janeiro de 2006 o Arcebispo de Belém Dom Orani Tempesta assinou o processo arquidiocesano, remetendo-o para Roma.

Brasão de armas[editar | editar código-fonte]

Os elementos presentes no brasão de Sua Excelência são o Coração de Jesus, a Basílica de São Pedro, o Rio Amazonas e a Ilha de Marajó cobertos com um par de asas.

Moto: Sub umbra alarum tuarum (Sob a sombra de tuas asas). Referência ao Salmo 17 que recita: "Guarda-me como a pupila dos olhos, esconde-me à sombra de tuas asas, longe dos ímpios que me oprimem, dos inimigos mortais que me cercam".

Sucessão[editar | editar código-fonte]

Na Diocese de Uberaba, Dom Lustosa foi o 2º Bispo, sucedeu a Dom Eduardo Duarte Silva e teve como sucessor Dom Luiz Maria Santana-OFMCap.

Na Diocese de Corumbá, Dom Antônio Foi o 4º Bispo, Sucedeu a Dom José Maurício da Rocha e teve como sucessor Dom Vicente Maria Bartholomeu Priante-SDB.

Na Arquidiocese de Belém do Pará, Dom Antônio de Almeida Lustosa foi o 4º Arcebispo, sucedeu a Dom João Irineu Joffily e teve como sucessor Dom Jaime Cardeal de Barros Câmara.

Na Arquidiocese de Fortaleza, Dom Antônio de Almeida Lustosa foi o 4º Arcebispo, sucedeu a Dom Manoel da Silva Gomes e teve como sucessor Dom José de Medeiros Delgado.

Ordenações episcopais[editar | editar código-fonte]

Dom Lustosa foi o principal sagrante dos seguintes bispos:

Foi co-celebrante da sagração episcopal de:

Ordenações presbiterais[editar | editar código-fonte]

(lista não exaustiva)

Dom Lustosa ordenou sacerdote:

  • Rodolfo Wohlrab, SDB
  • Frei Dionísio Goncalvez, OAR
  • José Maria Pontes de Azevedo
  • Faustino Calixto de Brito
  • Frei Sevorino Garcia, OAR
  • Frei Antolin Rodriguez, OAR
  • Carlos Borromeu Ebner, CPPS
  • Júlio Muller, CPPS
  • João Menges, CPPS
  • Alberto Gaudêncio Ramos

Citação[editar | editar código-fonte]

"Continuarei aqui simplesmente a trabalhar pelo Pai Nosso: Santificado seja o Vosso nome! Venha a nós o Vosso Reino, o programa de um bispo é sempre o mesmo: cumprir o seu dever".

Dom Antônio de Almeida Lustosa

"Não quero terminar estas palavras e encerrar este encontro sem evocar as figuras de Bispos, que ao longo de quatro séculos e meio foram neste País os legítimos sucessores dos Apóstolos e aqui dedicaram toda a vida, todas as energias à construção do Reino de Deus. Diversas as circunstâncias histórico-culturais em que foram chamados a exercer sua missão, diversas suas fisionomias humanas, diversas suas histórias pessoais, todos porém homens que deixaram marcas de sua passagem, desde aquele Dom Pedro Fernandes Sardinha que foi o primeiro Bispo a exercer aqui no Brasil seu ministério episcopal. Qualquer citação de nomes é forçosamente limitada mas como não evocar figuras como as de Dom Vital de Oliveira e Dom Antônio Macedo Costa, de Dom Antônio Ferreira Viçoso, dos dois primeiros Cardeais brasileiros Dom Joaquim Arcoverde e Dom Sebastião Leme da Silveira Cintra, de Dom Silvério Gomes Pimenta e de Dom José Gaspar de Affonseca e Silva. Como não evocar aqui em Fortaleza a figura admirável de Dom Antônio de Almeida Lustosa que repousa nesta Catedral e que deixou nesta Diocese a imagem luminosa de um sábio e de um santo. Possa a recordação destes irmãos, e de tantos e tantos outros, que nos precederam com o sinal da fé, estimular-nos mais e mais no serviço do Senhor."

Papa João Paulo II - Discurso aos bispos do Brasil. Fortaleza, 10 de julho de 1980

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Obras com referência a Dom Lustosa[editar | editar código-fonte]

  • GARDEL, Luis D. Les Armoiries Ecclésiastiques du Brésil (1551-1962). Rio de Janeiro, 1963.
  • Guia histórico e catálogo da Arquidiocese de Belém. Belém, 1982. 45 p.
  • RAMOS, Alberto Gaudêncio. Cronologia eclesiástica do Pará. Belém: Falângola, 1985. 305 p.
  • BEOZZO, José Oscar. Padres conciliares brasileiros no Vaticano II: participação e prosopografia - 1959-1965. Tese de Doutorado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2001. Orientado por Maria Luiza Marcílio.

Obras de autoria de Dom Lustosa[editar | editar código-fonte]

  • LUSTOSA, Antônio de Almeida. Dom Macedo Costa (Bispo do Pará). Belém: Cruzada da Boa Imprensa, 1939. 580p.
  • LUSTOSA, Antonio de Almeida. Carta Pastoral: em prol da saúde corporal e espiritual dos nossos diocesanos do interior. 2. ed. Livraria Pará, 1935. 54 p.
  • LUSTOSA, Antonio de Almeida. No estuário amazônico: à margem da visita pastoral. Belém : Conselho Estadual de Cultura, 1976. 498 p.
  • LUSTOSA, Antonio de Almeida. Respigando. Fortaleza: Universidade do Ceará, 1958. 358 p.
  • LUSTOSA, Antonio de Almeida. Abraçando a cruz. 4. ed. São Paulo: Salesiana Dom Bosco, 1982. 182p. (Coleção Fé e Vida; 1).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Antônio de Almeida Lustosa