Anthrax

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anthrax
Anthrax durante peformace no Sonisphere Festival em Sofia, Bulgaria, 22 de junho de 2010
Informação geral
Origem Nova Iorque, NY
País  Estados Unidos
Gênero(s) Heavy metal,[1] thrash metal,[2] [3] [1] groove metal,[2] speed metal,[2] [1] metal alternativo[4] [5] [6]
Período em atividade 1981 – atualmente
Gravadora(s) Island Def Jam, Elektra, Megaforce, Sanctuary
Página oficial www.anthrax.com
Integrantes Scott Ian
Joey Belladonna
Charlie Benante
Frank Bello
Jonathan Donais
Ex-integrantes John Bush
Rob Caggiano
Dan Spitz
Paul Crook
Dan Lilker
Neil Turbin

Anthrax é uma banda de heavy metal dos Estados Unidos, fundada em Nova York em 1981 pelo guitarrista Scott Ian e o baixista Dan Lilker.[7] Foi uma das mais populares bandas no cenário do thrash metal dos anos 80, notáveis pela sua combinação de metal com hardcore punk e música alternativa, graças ao sucesso de seus primeiros álbuns, fazem parte das "quatro grandes" bandas do thrash metal juntamente com Metallica, Slayer e Megadeth.[8] [9] [10]

Durante sua carreira, influenciaram fortemente o thrash metal com seus três primeiros discos, ao longo dos anos tem mudado o seu estilo musical, desde o lançamento do single "I'm The Man", incorporando elementos do rap. O grupo também é considerado um dos primeiros a ter lançado o gênero rap metal.[11] [12]

Com o lançamento do "Stomp 442" e "Volume 8: The Threat is Real", por causa de seu fracasso comercial, a banda estava muito perto da dissolução.[10]

Em 2003, após um retorno nos estilos groove/thrash metal com o álbum "We've Come For You All",[13] em 2011 foi lançado o álbum de grande sucesso comercial e já apontado por muitos fãs como um dos melhores trabalhos da banda o "Worship Music".[14]

Os integrantes participaram diversas vezes em programas de televisão, incluindo Married... with Children, WWE RAW e NewsRadio. Também apareceram em filmes como Run Ronnie Run (como a banda fictícia Titannica) e Calendar Girls.

História[editar | editar código-fonte]

Década de 1980[editar | editar código-fonte]

Formada em Julho de 1981, o Anthrax é a uma das bandas mais importantes do cenário thrash, inicialmente composta por Scott Ian (segundo guitarrista), Danny Lilker (primeiro guitarrista), Dave Weiss (bateria), John Connelly (vocal) e Kenny (baixo). O nome da banda foi inspirado no nome de uma bactéria chamada Bacillus anthracis que os integrantes encontraram em um livro de biologia.[7] "Howling Furies" foi uma das primeiras músicas que Scott escreveu, juntamente com Dave. A banda fez suas primeiras apresentações no porão de uma igreja.

Meses depois a banda passou por suas primeiras mudanças na formação: saíram Kenny e Dave, entrando Paul Kahn e Gregg D'Angelo em seus lugares respectivamente.[7] No início de 1983 gravaram uma demo que continha "Across the River", "Howling Furies" e "Panic", entre outras. Ainda neste ano, gravaram outra demo, agora com Charlie Benante na bateria, que chamou a atenção da recém formada gravadora Megaforce Records.[7] Danny "Dan" Spitz (ex-Overkill) juntou-se à banda, no lugar de Danny Lilker, que assumiu o baixo no lugar de Paul Kahn (que deixou a banda).[7]

Joey Belladonna, o vocalista considerado parte da formação clássica da banda.

No fim de 1983 gravam o primeiro LP Fistful of Metal, de onde saiu alguns de seus principais clássicos, tais como "Metal Thrashing Mad", "Panic" e "Deathrider", porém só foi lançado em janeiro de 1984.[7] Ocorrem mais mudanças: Danny Lilker é trocado por Frank Bello (na época, roadie da banda). Joey Belladonna é recrutado para os vocais e, em 1985, gravam o EP Armed and Dangerous,[7] que garante um contrato com a Island Records.

No mesmo ano o Anthrax grava seu segundo LP, que seria um grande marco da banda e da cena thrash: Spreading The Disease, que foi origem de grandes hits da banda como "A.I.R", "Madhouse", "Gung-Ho" e "Medusa".[7] A música e o videoclipe de "Madhouse" chegaram a ser praticamente proibidos na Europa por mostrar a banda pulando feito loucos (se divertindo). O LP vendeu mais de 100 mil cópias só nos Estados Unidos, e o mesmo na Europa. Scott Ian formou nessa época um projeto paralelo, o Stormtroopers of Death (ou simplesmente S.O.D., como ficou conhecida), juntamente com o baterista do Anthrax e com o ex-baixista do Anthrax, Danny Lilker.[7]

1986 foi um ano de apresentações e turnês intensas. Em janeiro de 1987 saiu o terceiro álbum, Among the Living[7] (dedicado entre outros a Cliff Burton do Metallica), considerado o melhor álbum da banda e um dos maiores clássicos do thrash metal. As primeiras quatro canções desse álbum são considerados hinos da banda, sendo que são executadas em todas as apresentações. Outro hit é "Indians", falando sobre o expurgo e a caçada contra os índios na colonização dos Estados Unidos. A canção "I Am The Law" fala sobre o personagem de quadrinhos Judge Dredd, ou Juiz Dredd.

Ainda nesse ano eles tocaram no Donington's Monsters of Rock e lançaram o EP I'm The Man, que conta com a canção "I'm The Man", uma mistura de rock com rap em tom de deboche,[7] algo inusitado para uma banda de thrash metal na época. O EP contém ao todo seis canções: "I'm The Man" de estúdio com censuras nos palavrões, "I'm The Man" de estúdio sem censuras, "Sabbath Bloody Sabbath" do Black Sabbath, "I'm The Man" ao vivo sem censura e recheado de palavrões e versões de "Caugh In A Mosh" e "I Am The Law" ao vivo.

Em 1988 saiu o primeiro VHS, N.F.V. (Oedivnikufesin) (nome que segue uma brincadeira feita pela banda, que lido ao contrário, revela-se Nisefukinvideo), além do quarto LP, State of Euphoria. Nesse ano também lançam outro EP na Europa, Penikufesin, Com quatro novas canções, uma versão francesa de "Anti-social" e uma regravação de "Now It's Dark" de State of Euphoria.

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

Anthrax ao vivo em agosto de 2009 em Knebworth, Inglaterra com o vocalista John Bush.

O quinto LP, Persistence of Time, saiu em 1990, mantendo o mesmo peso dos anteriores, porém meio sem graça segundo a crítica.[7] Durante a gravação desse álbum, o estúdio da banda entrou em chamas[7] contando com hits como "Time", "Got the Time", "Keep It in The Family", "In My World" e "Blood". Em 1991 é lançado Attack of the Killer B's, com apresentações ao vivo, canções nunca lançadas e também "Bring the Noise", outra mistura de rock com rap, gravada com o Public Enemy.[7] Depois disso assinam um contrato com a Elektra Records, e, para a tristeza de muitos fãs, o vocalista Joey Belladonna é despedido por divergências musicais, em março de 1992.[7]

Alguns meses se passaram na busca de um novo vocalista e John Bush é convidado. O novo álbum, Sound of White Noise é lançado um ano após a saída de Joey.[7] O som da banda continua pesado, porém não tão rápido como era costume da banda.[15] Em 1993 e 1994, tocaram em algumas trilhas (Last Action Hero e Airheads).

Em 1994 foi lançado o primeiro álbum ao vivo, Live the Island Years. Em Março do ano seguinte, Danny Spitz saiu da banda e não houve um substituto.[7] A guitarra é revezada por Dimebag Darrel (do Pantera), Scott e Paul Crook no álbum Stomp 442.[7] Em 1996 a banda realizou turnê pelos Estados Unidos e Europa.

Em 1997 surgiram rumores de que a banda iria terminar, o que não aconteceu. O Anthrax criou a Skism Records, um selo próprio para gravar o próximo álbum. Volume 8: The Threat is Real é lançado em fevereiro do ano seguinte. Em março saiu também uma coletânea Moshers (1986 - 1991).

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

Anthrax ao vivo em 2009 no "INmusic festival" em Zagreb capital da Croácia com o vocalista Dan Nelson.

O que ninguém poderia imaginar é que, depois de aproximadamente quinze anos de ter batizado a banda, Scott Ian teria que dar entrevistas sobre o nome escolhido. É que depois dos atentados terroristas a Nova Iorque em 2001, todos os jornais divulgaram uma onda de contaminação pela bactéria Bacillus anthracis causando alguns transtornos para o grupo. Foi quando Scott publicou em seu site oficial que o nome da banda havia mudado para Basket Full of Puppies, mas tudo não passava de uma brincadeira em resposta a uma piada feita por Jay Leno.[7] Nesse ano também lançam a coletânea Madhouse - The Best of Anthrax, com todos os maiores hits da banda.

Em 2003 o Anthrax lançou We've Come for You All,[15] pela Nuclear Blast seguido do álbum ao vivo Music of Mass Destruction lançado um ano depois.[7] Com o reforço de Rob Caggiano nas guitarras, o álbum foi eleito um dos melhores de toda a carreira do grupo, tanto pelo público quanto pela crítica. A faixa "Safe Home" ainda ganhou um videoclipe com a participação especial do ator Keanu Reeves, amigo pessoal e grande admirador da banda. Outros hits da banda são as canções "What Doesn't Die" e "Strap It On".

Em 2004 o baixista Frank Bello anunciou sua saída do elenco da banda para integrar o Helmet. Pouco tempo depois o Antrax colocou nas lojas o DVD ao vivo Music of Mass Destruction, trazendo um registro de uma apresentação gravada em Chicago, nos Estados Unidos. Algum tempo depois o grupo voltou a chamar a atenção com o disco The Greater of Two Evils. O material reuniu no repertório os principais clássicos da carreira do Anthrax lançados entre 1984 e 1990, contando com os vocais de John Bush, enquanto as versões originais traziam Neil Turbin ou Joey Belladonna à frente dos microfones.

A grande novidade na trajetória musical do grupo estava para acontecer no dia 1º de abril de 2005. Depois de um bom tempo longe do elenco da banda, o ex-vocalista Joey Belladonna voltou a assumir os vocais. Com a banda em sua formação clássica chegou às lojas o CD e DVD ao vivo Alive 2, reunindo grandes sucessos da carreira do grupo.[7] Após 18 meses no Anthrax, Scott Ian anunciou o fim da reunião da formação clássica por causas não divulgadas e Joey Belladonna saiu da banda novamente.[7]

Dan Nelson deixou a banda por motivos não especificados em 2009, após o Anthrax ter concluído os trabalhos de seu próximo álbum. John Bush fez algumas apresentações ao vivo antes de Joey Belladonna voltar pela terceira vez em maio 2010 para a turnê de verão "Big Four" com as bandas Megadeth, Metallica e Slayer.[7] [15] [16]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Membros[editar | editar código-fonte]

Formação atual[editar | editar código-fonte]

Ao vivo[editar | editar código-fonte]

Cronologia dos membros[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Anthrax, Allmusic
  2. a b c Encyclopaedia Metallum - Metal Archives
  3. Pronin, Lizandra. Anthrax: Music of Mass Destruction. RockOnline, 21 de setembro de 2005
  4. Anthrax - Sound of White Noise Brutalmetal.com
  5. Volume 8 - The Threat Is Real by Anthrax: Reviews and Ratings Rate Your Music
  6. "We've Come for You All by Anthrax: Reviews and Ratings". Rate Your Music. Retrieved 2012-06-22.
  7. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w Encyclopaedia Metallum - Metal Archives (Read more about Anthrax)
  8. Garry Sharpe-Young p. 94.
  9. Luca Signorelli, 2001 p. 27.
  10. a b Stephen Thomas Erlewine & Greg Prato. Anthrax Biograpy. Página visitada em 15-3-2010.
  11. Mike DaRonco. I'm the Man > Overview. Página visitada em 18-4-2010.
  12. Mike DaRonco. Rap metal. Página visitada em 18-4-2010.
  13. Johnny Loftus. We've Come For You All review. Página visitada em 15-3-2010.
  14. Anthrax: ad Ottobre festeggiano i 25 anni con "Worship Music". Página visitada em 14-3-2010.
  15. a b c About.com
  16. Anthrax: Joey Belladonna comenta seu retorno à banda. whiplash.net. Página visitada em 19/3/13.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]