Antinêutron

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O antineutrão (português europeu) ou antinêutron (português brasileiro) é a antipartícula do nêutron. Foi descoberto por Bruce Cork em 1956, um ano depois da descoberta do antipróton. O antinêutron tem o mesmo valor de massa de um nêutron, e nenhuma carga elétrica. No entanto se diferencia de um nêutron por ser composto por antiquarks. Particularmente o antinêutron é composto por dois antiquarks down e um antiquark up.

O momento magnético de um antinêutron, é contrário ao de um nêutron. É de +1.91 µN para o número do antinêutron -1.91 µN, (relativo à direção de spin). Aqui o µN é a unidade elementar do momento magnético, determinada magnéton nuclear.

Sabendo-se que o antinêutron é eletricamente neutro, não pode ser facilmente observado de forma direta. Em vez disso o aniquilamento dos seus produtos com matéria ordinária são observados.

Há propostas teóricas que indicam que as oscilações nêutron-antinêutron existem, um processo que iria acontecer apenas se houver um processo físico não descoberto que viola a conservação do número bariônico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.