Antipartícula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Antipartículas são genericamente partículas elementares que constituem a chamada antimatéria.

As antipartículas são simétricas às partículas elementares da matéria, tendo a mesma massa que aquelas. As cargas elétricas das partículas e antipartículas e seus momentos angulares têm os mesmos valores absolutos que suas correspondentes simétricas. No entanto, os campos eletromagnéticos (sinais) são contrários. Sempre que uma antípartícula colide com a sua respectiva partícula dá-se o aniquilamento das duas entidades.

Conceitua-se que antipartícula é a denominação que se utiliza para partículas consideradas elementares pela física e que apresentam a mesma massa, spin e paridade de uma partícula. Porém, sua carga elétrica, número bariônico, número leptônico e números quânticos de estranheza, força trifônica, opostos. Para cada partícula corresponde uma antipartícula. Algumas partículas neutras, como o fóton (partícula-onda) e o pi neutro, são suas próprias antipartículas

Devido à descoberta das antipartículas, poderia ser que existisse um "átomo" formado por antielétrons (ou pósitrons), antiprótons e antinêutrons, e vários desses "átomos" formariam a antimatéria (conceito proposto inicialmente por Dirac), que em contato com a matéria, causaria a aniquilação total (rendimento 100%).

Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.