Antissovietismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Doloy bolshevizm! (“Abaixo o bolchevismo!”). Cartaz de propaganda nazi em idioma russo, durante a ocupação dos territórios ocidentais da União Soviética que seguiu a operação Barbarossa lançada por Adolf Hitler em 22 de junho de 1941.

Antissovietismo ou antissoviético se referem a pessoas e atividades efetivas ou supostamente dirigidas contra a União Soviética ou o poder do governo dentro da União Soviética.

Podem ser distinguidos três tipos diferentes do uso do termo.

Devemos lembrar-nos que Antissovietismo não é semanticamente sinônimo de anticomunismo (considerando que os ambientes eurocomunistas e maoístas também eram freqüentemente hostis para os soviéticos),[1] nem nazista ou fascista. No entanto, é muitas vezes identificado com os termos capitalistas ou pró-americano.

União Soviética[editar | editar código-fonte]

Na URSS, o epíteto antissovietico era sinônimo de contra-revolucionário, e ser antissoviético era uma ofensa criminal na União Soviética. Atividades e agitação anti-soviética eram crimes políticos manipulados pelo artigo 58[2] [3] e, posteriormente, o artigo 70 do Código Penal, e artigos semelhantes em outras repúblicas soviéticas.

Para muitas pessoas, a maior evidência de sua culpa era seu status social, em vez de ações reais. Martin Latsis, chefe do ucraniano da Cheka, explicou em um jornal:

Não olhe no arquivo para provas incriminatórias. Você não precisa provar que este ou aquele homem agiu contra os interesses do poder soviético. Pergunte a ele em vez de qual classe ele pertence, o que é o seu passado, a sua educação , a sua profissão. Estes são os perguntas que vão determinar o destino do acusado[4]

No socialismo soviético o Estado realizava a política de classe dominante e era o instrumento de sufocação das classes que lhe eram hostis.[5]

Referências

  1. Bucharin, N. I. Selected Writings on the State and the Transition to Socialism. Armonk, N.Y.: M.E. Sharpe, 1982. p. xxi
  2. Nanci D, Adler; "The Gulag Survivor: Beyond the Soviet System"; Transaction Pub.; New York; (2001); ISBN 0-7658-0071-3
  3. Le Livre noir du communisme, Éditions Robert Laffont, 1997. ISBN 2-221-08-204-4p.
  4. Yevgenia Albats and Catherine A. Fitzpatrick. The State Within a State: The KGB and Its Hold on Russia -Past, Present, and Future, 1994. ISBN 0-374-52738-5.
  5. http://grabois.org.br/portal/cdm/revista.int.php?id_sessao=35&id_publicacao=502&id_indice=2968

Notas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.