Antonín Panenka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antonín Panenka (2009)

Antonín Panenka (Praga, 2 de dezembro de 1948) é um ex-jogador de futebol checo.

Devido ao fechamento político do leste Europeu (que durou até os anos 80) Antonín jogou por quase toda a carreira no pequeno Bohemians Praga, onde iniciou nos juvenis, em 1958 e onde debutaria profissionalmente em 1967.

A primeira convocação para a Seleção Tchecoslovaca veio em 1973. A equipe falhou em obter a classificação para a Copa do Mundo de 1974, mas conquistou a Eurocopa 1976 sobre a então campeã do mundo, a Alemanha Ocidental. O título só veio nas cobranças de pênaltis; todos os jogadores vinham convertendo seus chutes, até que o alemão Uli Hoeneß mandou o seu sobre o travessão. Cabia a Panenka a responsabilidade de definir o título, e, apesar de além desta pressão estar no gol alemão o lendário Sepp Maier, Panenka cobrou tranquilamente, fazendo o grande goleiro jogar-se para um canto enquanto a bola fazia uma lenta parábola vertical em direção ao meio do gol. Surgia a famosa "Cavadinha" ou "À Panenka".

Panenka inspirou muitos a partir daí.

O português Hélder Postiga com frieza fez um penálti à Panenka nos penáltis nos quartos-de-final do Euro 2004 contra a Inglaterra. O francês Zinédine Zidane faria algo parecido na final da Copa do Mundo de 2006, assim como o uruguaio Sebastián Abreu em uma quarta-de-final da Copa do Mundo de 2010 e também na final do 2º turno do Campeonato Carioca de 2010. Mais recentemente, a 24 de Junho de 2012, o jogador italiano Andrea Pirlo marcou (nos penáltis contra a Inglaterra) um golo do mesmo género, marcando assim os quartos-de-final e colocando Selecção Italiana nas meias-finais do Euro 2012. Por esse motivo, os europeus dizem "à la Panenka" quando um penálti é cobrado dessa maneira (no Brasil chamam de "cavadinha").

A seleção falhou também nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1978, e Panenka só foi disputar seu primeiro - e único - mundial no de 1982. Um empate na primeira rodada com a Seleção Kuwaitiana de Carlos Alberto Parreira minou as chances da equipe, que sucumbiria na primeira fase, em um grupo que continha Inglaterra e França. Panenka, que marcou os dois gols da equipe na Copa, já estava desde 1981 no futebol austríaco (graças à abertura política do Leste Europeu nos anos 80), no Rapid Viena, onde conquistaria dois títulos na Bundesliga Austríaca.

Aquele que talvez tenha sido o maior jogador da extinta Tchecoslováquia desde Masopust rodaria por outros clubes da Áustria até encerrar a carreira, aos 44 anos.

Na final da Copa do Brasil de 2010 o jogador Neymar bateu um pênalti a la Panenka, porém o erro não custou o título ao seu clube.

O jogador uruguaio Sebastian 'Loco' Abreu é conhecido por bater pênaltis dessa maneira, o mais famoso deles nas quartas de finais da Copa do Mundo de 2010, onde o pênalti que classificou sua seleção foi batido por ele, a la Panenka.

No dia 28 de agosto de 2012, o meia Maicosuel perdeu um penâlti contra o Braga que eliminou a Udinese da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa. Bateu a la Panenka e a cobrança é considerada uma das mais desastrosas dentro do estilo.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

  • www.youtube.com/watch?v=RSjpO308j88 - a famosa cobrança de pênalti de Panenka