Antonio Barberini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Antônio Barberini, Júnior,
O.S.Io.Hieros.
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo de Reims
Camerlengo da Câmara Apostólica
Arcipreste da Basílica de Santa Maria Maior

Título

Cardeal-bispo de Palestrina
Ordenação e Nomeação
Ordenação Episcopal 24 de outubro de 1655
Nomeado Arcebispo 27 de junho de 1657
Cardinalato
Criação 30 de agosto de 1627, pelo Papa Urbano VIII
Brasão
CoA Francesco Barberini Sr.svg
Dados Pessoais
Nascimento Estados Pontifícios Roma
5 de agosto de 1607
Falecimento Estados Pontifícios Nemi
4 de agosto de 1671 (63 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Antônio Barberini, dito o Júnior[1] O.S.Io.Hieros. (Roma, 5 de agosto de 1607 - Nemi, 4 de agosto de 1671) foi um cardeal italiano, cardeal-sobrinho, arcipreste da Basílica de Santa Maria Maior, Camerlengo da Câmara Apostólica e Arcebispo de Reims.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido da tradicional família Barberini, era o filho mais novo de Carlo Barberini e Costanza Magalotti, assim, era sobrinho de Maffeo Barberini, mais tarde Papa e do cardeal Antonio Marcello Barberini. Era irmão do cardeal Francesco Barberini, sênior e do Capitão-geral da Igreja Taddeo Barberini, além de primo do cardeal Francesco Maria Machiavelli. Era ascendente dos cardeais Carlo Barberini e Francesco Barberini, iuniore.

Tornou-se Grão-Prior da Ordem Soberana e Militar de Malta em Roma e Grão-Cruz da ordem. Entrou para o estado eclesiástico em 1627.

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

Foi criado cardeal in pectore no consistório de 30 de agosto de 1627, pelo Papa Urbano VIII, com as despensas por ter um tio Papa e outros cardeais parentes, sendo seu nome publicado no consistório de 7 de fevereiro de 1628, recebendo o barrete cardinalício e o título de Cardeal-diácono de Santa Maria em Aquiro em 28 de fevereiro.

É nomeado arcipreste da Basílica de São João de Latrão em 1627. Depois, é nomeado Prefeito do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica de Justiça em 18 de março de 1628. Nomeado Secretário de breves apostólicos. Em 1629, passa a ser o arcipreste da Basílica de Santa Maria Maior, cargo que exerceria até a sua morte.

Passa para a diaconia de Cardeal-diácono de Santa Ágata do Subúrbio em 24 de novembro de 1632. No mesmo ano, torna-se Prefeito da Sagrada Congregação da Inquisição Universal.

Em 1633, com seu irmão cardeal Francesco, estabeleceu-se em seu novo palácio em Quattro Fontane, onde contribuiu para a abertura do Teatro do Palácio Barberini e onde ele se tornou um generoso mecenas de artistas e autores literários, como Naudé, Holste e Bouchard, que contribuíram para a formação de sua grande biblioteca. Ele próprio era um poeta em latim reconhecido.

Torna-se Camerlengo da Santa Igreja Romana em 28 de julho de 1638, ficando nesse posto até sua morte. Passa para a diaconia de Santa Maria em Via Lata em 10 de novembro de 1642 e torna-se Cardeal Protodiácono.

Queda dos Barberini[editar | editar código-fonte]

Junto com seu irmão Taddeo, general do exército papal, foi acusado com a supervisão das operações militares durante a Guerra de Castro. A guerra terminou desastrosamente na batalha de Lagoscuro em 1644 com a rendição das tropas papais. O Papa Urbano VIII morreu pouco depois. A família Barberini caiu em desgraça por causa do ressentimento acumulado em Roma contra eles. Em 1645, o novo Papa Inocêncio X ordenou uma investigação sobre os lucros ilícitos dos Barberinis durante o pontificado de Urbano e em particular sobre a Guerra de Castro. Devido à evolução da situação, Cardeal Antonio e seu irmão Taddeo escaparam para Paris, em 27 de setembro de 1645.

Eles receberam a hospitalidade e o apoio do rei Luís XIV e de seu ministro, o Cardeal Jules Mazarin. O cardeal reconcilia-se com o Papa Inocêncio X e retorna a Roma em 12 de julho de 1653. O papa restaura todos os seus títulos e protetorados em 15 de agosto. Ele recupera sua riqueza, sob o pontificado do Papa Alexandre VII. A partir desse momento, ele experimentou uma conversão dedicando-se à religião e abandonando a conduta mundana que tinha caracterizado a sua vida até então. Ele assume uma atitude de rígida ortodoxia e mais particularmente, contra o jansenismo. Passa para a ordem de cardeais-presbíteros e o título de Santíssima Trindade no Monte Pincio, em 21 de julho.

Episcopado[editar | editar código-fonte]

Nomeado bispo de Poitiers pelo rei Luís XIV, em 16 de agosto, nunca foi confirmado pela Santa Sé. Grão-Esmoler da França e prelado-comandante da Ordem do Espírito Santo, em 1653. Passa para a ordem dos cardeais-bispos e assume a Sé suburbicária de Frascati, em 11 de outubro de 1655. Foi consagrado em 24 de outubro, na igreja do noviciado da Companhia de Jesus, de Roma, por Giovanni Battista Scanaroli, bispo-titular de Sidon, assistido por Lorenzo Gavotti, Theat., bispo de Ventimilia, e por Marcantonio Bettoni, T.O.S.F., bispo-titular de Coron. Nomeado arcebispo de Reims pelo rei Luís XIV da França em 27 de junho de 1657, foi confirmado pela Santa Sé, mantendo o cargo de camerlengo da Santa Igreja Romana em 18 de julho de 1667. Passou para a suburbicária de Palestrina em 21 de novembro de 1661.

Faleceu na madrugada de 4 de agosto de 1671, perto de três horas, na diocese de Nemi, em Roma, de apoplexia. Seu corpo foi exposto e depois enterrado na igreja de San Lorenzo em Palestrina. Segundo a sua vontade, então, o irmão do cardeal moveu seus restos mortais para a igreja de sua família dedicada a Santa Rosalia.

Conclaves[editar | editar código-fonte]

Honras[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Dito o Júnior em contraposição a Antonio Marcello Barberini, seu homônimo tio, chamado de O Sênior, também cardeal.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Antonio Barberini
Precedido por
Francesco Barberini, sênior
COA basilica template.svg
Arcipreste da Basílica de
São João de Latrão

16271629
Sucedido por
Girolamo Colonna
Precedido por
Lorenzo Magalotti
Cardeal
Cardeal-diácono de
Santa Maria em Aquiro

16281632
Sucedido por
Jan Albert Waza, S.J.
Precedido por
Maffeo Barberini
Coat of arms of the Vatican City.svg
Prefeito do Supremo Tribunal
da Assinatura Apostólica

16281632
Sucedido por
Benedetto Odescalchi
Precedido por
Giovanni Garzia Millini
COA basilica template.svg
Arcipreste da Basílica de
Santa Maria Maior

16291671
Sucedido por
Giacomo Rospigliosi
Precedido por
Francesco Barberini, sênior
Cardeal
Cardeal-diácono de
Santa Ágata do Subúrbio

16321642
Sucedido por
Giulio Gabrielli
Precedido por
Ludovico Ludovisi
Coat of arms of the Vatican City.svg
Prefeito da Sagrada Congregação
da Inquisição Universal

16321645
Sucedido por
Paluzzo degli Albertoni
Precedido por
Aldobrandino Aldobrandini
Blason Ordre Malte 3D.svg
Grão-prior da
Ordem Soberana e
Militar de Malta
em Roma

16421646
Sucedido por
Sigismondo Chigi
Precedido por
Ippolito Aldobrandini
Camerlengo.svg
Camerlengo

16381671
Sucedido por
Paluzzo degli Albertoni
Precedido por
Maurício de Saboia
Cardeal
Cardeal-diácono de
Santa Maria em Via Lata

16421653
Sucedido por
Giangiacomo Teodoro Trivulzio
Precedido por
Carlos Fernando de Médici
Cardeal
Cardeal-Protodiácono

16421653
Sucedido por
Giangiacomo Teodoro Trivulzio
Precedido por
Alphonse-Louis de Richelieu
Cardeal
Cardeal-padre de Santíssima Trindade
no Monte Pincio

16531655
Sucedido por
Girolamo Grimaldi
Precedido por
Henri-Louis Chasteigner
de La Roche-Posay
BishopCoA PioM.svg
Bispo de Poitiers

16531657
Sucedido por
Gilbert Clérembault de Palluau
Precedido por
Alphonse-Louis
du Plessis de Richelieu
Icône Grand aumonier.svg
Grão-Esmoler da França

16531671
Sucedido por
Emmanuel-Théodose
de La Tour d'Auvergne
Precedido por
Giulio Cesare Sacchetti
Cardeal
Cardeal-bispo de Frascati

16571661
Sucedido por
Girolamo Colonna
Precedido por
Henrique de Saboia-Nemours
Blason Archevêques de Reims.svg
Arcebispo de Reims

16571671
Sucedido por
Charles-Maurice Le Tellier
Precedido por
Bernardino Spada
Cardeal
Cardeal-bispo de Palestrina

16611671
Sucedido por
Rinaldo d’Este