Antonio Pacheco D'Agosti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antonio Pacheco
Antonio Pacheco
Pacheco pelo Peñarol
Informações pessoais
Nome completo Antonio Pacheco D'Agosti
Data de nasc. 11 de abril de 1976 (38 anos)
Local de nasc. Montevidéu, Uruguai
Altura 1,75 m
Destro
Apelido Tony, El Genio, El Ocho
Informações profissionais
Clube atual Uruguai Peñarol
Número 8
Posição Meia - Atacante
Clubes de juventude
Uruguai Peñarol
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1993–2000
2001–2005
2002
2003
2003–2005
2005–2006
2006
2007
2007–2011
2011–2012
2012–
Uruguai Peñarol
Itália Internazionale
Espanha Espanyol (emp.)
Uruguai Peñarol (emp.)
Espanha Albacete (emp.)
Espanha Albacete
Espanha Alavés (emp.)
Argentina Gimnasia La Plata
Uruguai Peñarol
Uruguai Montevideo Wanderers
Uruguai Peñarol
155 000(47)
001 0000(0)
013 0000(3)
015 000(11)
067 000(19)
019 0000(4)
000 0000(0)
008 0000(0)
118 000(50)
028 000(10)
036 000(12)
Seleção nacional3
1997–2004 Flag of Uruguay.svg Uruguai 012 0000(3)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 16 de março de 2014.


3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 17 de junho de 2012.

Antonio Pacheco D'Agosti[1] (Montevidéu, 11 de abril de 1976) é um futebolista uruguaio que atua como meia ou atacante. Atualmente joga pelo Peñarol.

Pacheco é o quarto maior goleador da história do Campeonato Uruguaio com 127 gols.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Peñarol[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira no Peñarol, onde jogou entre 1993 a 2000. Nesse período, conhecido como quinquenio de ouro, ganhou cinco Campeonatos Uruguaios, tornando-se um dos maiores jogadores do futebol uruguaio nesse periodo.

Internazionale e empréstimos[editar | editar código-fonte]

Em 2001 foi contratado pela Internazionale após performances estrelares no Peñarol, assinando um contrato até 30 de junho de 2005. No entanto, jogou apenas duas partidas com a camisa da Internazionale: contra a Lazio, pelo Campeonato Italiano e contra o Alavés, pela Copa da UEFA. Nos anos seguintes, sucedeu a empréstimos consecutivos, para o Peñarol, mas também na Espanha, pela primeira vez com o Espanyol e em seguida ao Albacete, time esse que comprou o passe definitivo do jogador.

Em janeiro de 2006, o Albacete caiu para a segunda divisão, e Pacheco e acabou por ser emprestado ao Alavés até o final da temporada. Sua passagem pelo Alavés foi um desastre individualmente e coletivamente (rebaixamento).

Período na Argentina e volta ao Peñarol[editar | editar código-fonte]

Após um breve período na Argentina com o Gimnasia La Plata, voltou em 2007 para uma terceira passagem pelo Peñarol. Marcou 12 gols no campeonato 2008-09, incluindo duas vezes contra o rival Nacional [2]

Em 2009, saiu como o quarto jogador em atividade mais popular da América segundo o IFFHS.

Em 14 de novembro de 2010, estabeleceu um recorde, sendo o jogador que mais disputou clássicos, chegando ao seu 50º jogo contra o Nacional, superando o recorde anterior de Fernando Morena e Pablo Bengoechea, ambos com 49 jogos.

Na temporada 2009-10, tornou-se artilheiro do Campeonato Uruguaio, marcando 23 gols. Além do título uruguaio, foi eleito o melhor jogador do Torneio Clausura.

Na temporada seguinte, com a chegada de Diego Aguirre, perdeu espaço na equipe, indo pra reserva e jogando poucos minutos. Na campanha do vice-campeonato da Libertadores 2011, foi reserva durante quase todo o campeonato, jogando alguns poucos minutos na primeira partida da final contra o Santos, em Montevideo.

Montevideo Wanderers[editar | editar código-fonte]

Em 15 de julho de 2011, Pacheco deixa o Peñarol.[3] No mesmo ano, é anunciado como novo jogador do Montevideo Wanderers.[4] Em sua primeira partida, marcou dois gols de pênalti, na vitória sobre o Cerro Largo por 3 a 2, sendo muito elogiado pelos torcedores e pelo técnico Daniel Carreño. Com a camisa dos bohemios, jogou 28 jogos e marcou 10 gols.

Retorno ao Peñarol[editar | editar código-fonte]

Depois de seu contrato com o Montevideo Wanderers terminar, Pacheco acerta seu retorno ao Peñarol pela quarta vez.[5] Em sua reestreia, marcou um gol contra o Fénix, porém, depois de uma dividida, sofreu uma fratura na tíbia e perônio da perna direita. Após a operação, a expectativa de retorno é de aproximadamente quatro meses.[6] Na semifinal do Campeonato Uruguaio de 2012–13, contra o Defensor Sporting, marcou um hat trick na vitória por 3 a 1, conquistando seu oitavo título uruguaio com a camisa dos carboneros.

Seleção[editar | editar código-fonte]

Sua estréia pela seleção foi no dia 12 de outubro de 1997, em um 0-0 contra a Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 1998. Pelo Uruguai, jogou 12 jogos e marcou 3 gols. Também participou da Copa América de 1999 e da Copa das Confederações de 1997.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Peñarol

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligaçoes externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de UruguaiSoccer icon Este artigo sobre futebolistas uruguaios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.