Antonio Peticov

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antonio Peticov
Nascimento 1946 (68 anos)
Assis (SP)
Nacionalidade  brasileiro
Área Pintura
Escultura
Formação Artista plástico
Página oficial
http://www.art-bonobo.com/peticov/

Antonio Peticov (Assis, 1946 [1] ) é um pintor, desenhista, escultor e gravurista brasileiro.

Autodidata, aos doze anos de idade teve a certeza de que queria trilhar o caminho das artes. E, para alcançar seu objetivo, buscou informações em livros e revistas. Sua formação artística se constitui a partir de pesquisas pessoais sistemáticas em história da arte e pela sua integração aos movimentos artísticos de vanguarda na segunda metade da década de 60.

Em 1970 mudou-se para Londres, onde ampliou seus estudos. No ano seguinte, transferiu residência para Milão e, em 1986, mudou-se novamente, desta vez para Nova Iorque, só retornando ao Brasil em 1999.

Ao longo de sua carreira aplicou seus conhecimentos em design, criando uniformes e embalagens, mas sempre enfocando a arte.

Antonio Peticov participou de diversas exposições, dentre elas:

  • Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, 1965, 66 e 67;
  • Bienal Internacional de São Paulo, São Paulo, 1967, 69 e 89;
  • Camden Arts Center, Londres, Inglaterra, 1971;
  • Situazione Simbolo - Galeria San Fedele, Milão, Itália, 1973;
  • National Arts Center, New York, Estados Unidos, 1979;
  • Galerie 212, Paris, França, 1983;
  • Labirinto - Galeria GB, Rio de Janeiro, 1984;
  • Gallery SHO, Tóquio, Japão, 1988;
  • Momento Antropofágico com Oswald de Andrade, instalação permanente na estação República do Metrô, São Paulo, 1990;
  • Músicas - Museu do Cartaz, Curitiba e Galeria Banestado, Londrina, 1992;
  • The Brazilian Art Exhibition, Hong Kong, Hong Kong, 1995;
  • Búlgaros Criativos no Exterior - Galeria de Arte Moderna, Sófia, Bulgaria, 1996;
  • Libros de Artistas - Instituto de A. Gráficas de Oaxaca, Oaxaca, México, 1998.

"A arte é a transformação do ordinário no extraordinário."

Fonte: www.zonad.com.br

A sua produção é diversificada e segue tendências variadas das vanguardas artísticas internacionais das últimas décadas. Realiza vários trabalhos, dentre eles: o documentário Homo Faber (1978); a instalação Balli Ballet (1982), em Cloudwalk Farm, Connecticut (Estados Unidos) e a escultura The Golden Wall (1988), em forma de grande espiral, em homenagem à cidade de Aiuruoca (Minas Gerais). Em 1989, apresenta o Projeto Natura - Rio Pinheiros na 20ª Bienal Internacional de São Paulo e, em 1992, o Projeto Bosque Natura no Rio de Janeiro. Participa de várias exposições entre elas, Bienal Internacional de São Paulo, 1967, 1969 e 1989; Panorama da Pintura Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1983; Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP, 1985; Bienal Brasileira de Design, Curitiba, 1990; OFF Bienal, no MuBE, São Paulo, 1996; Arte Suporte Computador, na Casa das Rosas, São Paulo, 1997; A Imagem do Som de Caetano Veloso.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Leituras complementares

Antonio Peticov Ciência, Humor e Paradoxo

Antonio Peticov A Lição (1998)