Antonio Prata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Antonio Prata (São Paulo, 24 de agosto de 1977) é um escritor e roteirista brasileiro.

Escreve aos domingos no caderno Cotidiano da Folha de São Paulo e é roteirista contratado pela Rede Globo, onde colaborou na novela Avenida-Brasil, de João Emanuel Carneiro.

Escreveu crônicas para a revista Capricho entre 2001 e 2008 [1] e também para o jornal O Estado de São Paulo, entre 2003 e 2009

Foi um dos 16 participantes do projeto Amores Expressos, passando um mês em Xangai para escrever um romance, até hoje não publicado[2] .

Em 2012, foi incluído na edição brasileira da revista Granta como um dos vinte melhores escritores nacionais com menos de 40 anos.

Em novembro de 2013, publicou o livro de contos e crônicas semi-memorialísticas Nu, de botas, pela editora Companhia das Letras.

É filho dos também escritores Mário Prata e Marta Góes.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Cabras, Caderno de Viagem - com Paulo Werneck, Chico Mattoso e Zé Vicente da Veiga
  • Douglas e outras histórias — Azougue Editorial
  • Pernas da tia Corália — Objetiva
  • Escola Viva - DBA
  • Adulterado - Moderna
  • Estive pensando — Marco Zero Editora
  • O inferno atrás da pia — Objetiva
  • Meio Intelectual, meio de esquerda - Editora 34
  • Felizes Quase Sempre - Editora 34, com Laerte Coutinho
  • Nu, de botas - Companhia das Letras

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]