Antonio Risério

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Antonio Risério (Salvador, 21 de novembro de 1953) é um antropólogo, poeta, ensaísta e historiador brasileiro. Em 1968, fez política estudantil, mergulhou na contracultura, sendo preso como subversivo pela ditadura militar aos dezesseis anos de idade. Em 1995, defende tese de mestrado em Sociologia com especialização em Antropologia na UFBA. Integrou grupos de trabalho que implantaram a televisão educativa, as fundações Gregório de Matos e Ondazul, e o Hospital Sarah Kubitschek, na Bahia. Elaborou o projeto geral para implantação do Museu da Língua Portuguesa em São Paulo, e do Cais do Sertão Luiz Gonzaga, no Recife. Tem feito roteiros de cinema e televisão e diversos ensaios sobre urbanismo e história da Bahia e do Brasil. Muitas composições suas foram gravadas por importantes artistas da música popular brasileira, sendo considerado um herdeiro da Tropicália[1] . Integrou o núcleo de criação e estratégia das campanhas vitoriosas de Lula da Silva e Dilma Rousseff à Presidência da República.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • "Carnaval Ijexá". Salvador, Corrupio, 1981.
  • "O poético e o político e outros escritos". Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1988.
  • "Caymmi: Uma Utopia de Lugar". São Paulo, Perspectiva (editora), 1993.
  • "Textos e Tribos. Rio de Janeiro, Imago Editora, 1993.
  • "Avant-Garde na Bahia". São Paulo, Instituto Lina Bo Bardi e Pietro Maria Bardi, 1995.
  • "Fetiche". Salvador, Fundação Casa de Jorge Amado, 1996.
  • "Oriki Orixá". São Paulo, Perspectiva (editora), 1996.
  • "Ensaio sobre o Texto Poético em Contexto Digital". Salvador, Fundação Casa de Jorge Amado, 1998.
  • "Adorável Comunista". Rio de Janeiro, Versal, 2002.
  • "Uma História da Cidade da Bahia". Rio de Janeiro, Versal, 2004.
  • "Brasibraseiro", com Frederico Barbosa. São Paulo, Livraria Saraiva, 2004.
  • "A Banda do Companheiro Mágico" (novela). São Paulo, Publifolha, 2007.
  • "A Utopia Brasileira e os Movimentos Negros". São Paulo, Editora 34, 2007.
  • "A Cidade no Brasil". São Paulo, Editora 34, 2012.
  • "Edgard Santos e a reinvenção da Bahia". Rio de Janeiro, Versal, 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um escritor do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


  1. Hotsite do livro "Tropicália ou Panis et Circenses".