Anvard

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anvard
Cidade fantástica da As Crônicas de Nárnia
Pertencente ao reino de Arquelândia
Importância: Cidade capital de Arquelândia
Governo: Monarquia
Reis: Veja aqui

Anvard é a cidade e castelo onde o rei Luna da Arquelândia reside. Está construido com pedras marrons avermelhadas, e está fundamentado sobre grama diante duma área alta de árvores. Em O cavalo e seu menino, o príncipe Rabadash da Calormânia dirigiu um batalhão de duzentos cavaleiros para a cidade de Anvard, mas depois foi derrotado pelo rei Edmundo de Nárnia.[1] Desse jeito, o castelo de Anvard se tornaria na residência oficial dos reis e rainhas da Arquelândia muito depois do reinado de Luna, graças ao rei Edmundo.

História[editar | editar código-fonte]

O eremita da fronteira sul[editar | editar código-fonte]

Shasta e Aravis cruzam o deserto da Calormânia e alcançam ao Eremita da fronteira sul[2] . Ali, Shasta encontra ao Rei Luna. Ele leva Shasta para Nárnia, mas este último perde de vista ao exército do rei por causa da forte neblina. Durante o trajeto, Shasta conversa com Aslam sem percebê-lo. Logo após, ao chegar à Nárnia, encontra-se com alguns animais falantes, os mesmos que enviam a um veado até Cair Paravel levando a notícia aos reis narnianos sobre os planos de conquista da Arquelândia por parte dos calormanos.[3] A identidade do eremita nunca foi esclarecida. Ele parece ser um equivalente ao Coriakin e Ramandu, estrelas nomeadas em A viagem do Peregrino da Alvorada.

Exército de apoio[editar | editar código-fonte]

As tentativas de Shasta de conseguir ajuda não foram em vão. O veado Chervy chega até Cair Paravel justo a tempo para entregar a notícia. Foi assim que se organiza um exército de apoio narniano para salvar a Anvard da invasão calormana. Este exército coloca-se às ordens da rainha Lúcia e do rei Edmundo, os mesmos que vão acompanhados do Lorde Peridan como portador da bandeira e do brasão da Nárnia. O príncipe Corin da Arquelândia está também neste exército, mas desafia as ordens estritas dos reis da Nárnia de não participar na batalha, indo lá para lutar contra os calormanos apoiado pelo seu ajudante Thornbut. Corin anima Shasta para se unir à batalha.[4]

Luta em Anvard[editar | editar código-fonte]

Rabadash planejava um ataque secreto, mas devido a fatos que começam com Lasaraleen e Aravis ouvindo por casualidade os planos de Rabadash em Tashbaan, Nárnia chega a tempo para impedir a Rabadash e seu exército de fazer una emboscada contra o castelo principal da Arquelândia. O exército de apoio narniano (integrado por cavaleiros, cavalos falantes, centauros, ursos, cães, leopardos, panteras, anões, e seis gigantes) os derrota. Shasta é ligeiramente prejudicado na batalha. Depois de que a batalha acaba, o Rey Luna reconhece a Shasta como seu filho perdido há muito tempo, o Príncipe da Arquelândia e gêmeo de Corin.[5]

Depois destes acontecimentos, não há nenhuma outra referência sobre Anvard em nenhum livro das crônicas, embora uma referência fosse dita acerca do rei Nain da Arquelândia em O príncipe Caspian, quem sem dúvida representa aos descendentes restantes de Cor (Shasta) e Aravis.[6]

Referências

  1. Acerca de Anvard na Wikipédia anglófona
  2. Fronteira sul da Nárnia
  3. O cavalo e seu menino: Capítulos 10 e 11
  4. O cavalo e seu menino: Capítulo 12
  5. O cavalo e seu menino: Capítulos 13-15
  6. Príncipe Caspian: Capítulo 5

Ver também[editar | editar código-fonte]