Apolónio de Rodes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Apolónio (português europeu) ou Apolônio (português brasileiro) de Rodes (Alexandria, c. 295 a.C. - Alexandria, 230 a.C.) foi um poeta da Grécia Antiga, autor da obra épico Os Argonautas (ou A Argonáutica) , que foi primeiramente reconhecido e aclamado em Rodes (daí seu apelido). Ele dirigiu a Biblioteca de Alexandria, sendo sucedido por Eratóstenes.[1]

Ele era natural de Alexandria, da tribo Ptolemais, seu pai se chamava Silleus (ou Illeus) e sua mãe se chamava Rode.[Nota 1] [2] Ele viveu na época do terceiro Ptolemeu,[2] e foi um aluno de Calímaco de Cirene.[1] [2]

Conta-se que Apolônio escreveu, quando jovem, uma versão da Argonautica, que foi mal recebida; para não ser desonrado em sua cidade, ele mudou-se para Rodes, onde aperfeiçoou seu poema, e, no título do poema, chamou-se de um natural de Rodes.[2] Ele tornou-se um professor notável em Rodes, e foi agraciado com a cidadania e grandes honras.[2]

De volta a Alexandria, Apolônio publicou seu poema e foi aclamado, e foi apontado como diretor da Biblioteca e do Museu, sendo enterrado junto a Calímaco.[2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Rode é a ninfa, filha de Posidão e Hália, que deu nome à ilha de Rodes.

Referências

  1. a b P.Oxy 1241 [em linha]
  2. a b c d e f Edição de C. Wendell do escólio [em linha]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Precedido por
Calímaco de Cirene
Diretores da

Biblioteca de Alexandria
270 a.C. - 235 a.C.

Sucedido por
Eratóstenes de Cirene