Aprilia RSA 250

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aprilia RSV 250
Hector Faubel em 2008 na Aprilia RSA 250
Fabricante Aprilia
Produção 1991-presente
Predecessora Aprilia AF1
Motor 250 cc, Motor a dois tempos
Similar Gilera GFR 250
Honda RS250R
KTM 250 FRR
Suzuki RGV Γ 250
Yamaha YZR 250

A Aprilia RSV 250 é uma mota de corrida fabricada pela Aprilia para correr no Mundial de MotoGP. Foi inicialmente estreada em 1991; na sua história sofreu várias modificações e upgrades, até à sua mais recente encarnação (a RSA 250). Desde a sua criação, a mota ganhou dez campeonatos mundiais (um como Gilera, que usou as renomeadas motas da Aprilia), fazendo desta uma das mais bem sucedidas motas da sua categoria.

1991-2007: RSV and RSW[editar | editar código-fonte]

Entre 1991 e 2007 a moto foi usada em duas configurações diferentes: primeiro a original RSV, e depois a RSW, uma nova versão da RSV. Apesar de ser uma mota obsoleta, a versão RSW ainda correu como mota cliente com alguns upgrades da nova RSA, com o nome RSW 250 LE.

Inicialmente o sistema de travões dianteiro estava disponível com discos de carbono de 273mm ou com discos de aço de 300mm, e desde 1994 só foi usada a versão de duplo disco de carbono, com comprimento de 255mm ou 273mm. O sistema de travões traseiro foi sempre de um disco de aço, inicialmente de 184mm, e desde 1996 de 190mm.

2007-presente: RSA[editar | editar código-fonte]

Em 2007 a mota ficou disponível na nova versão, que foi denominada com o acrónimo RSA. É caracterizada por muitos detalhes diferentes do anterior modelo, incluindo um sistema de ingestão revisto e uma nova disposição da unidade de mudanças e dos grupos termais. Também as medidas do frame mudaram para possibilitar o uso de um swingarm mais longo, e obter benefícios em aceleração e tracção. Outra novidade é o uso de 3 acelerómetros para dar mais dados para a gestão do poder de moção em situações de pouca aderência para acelerar o desenvolvimento da Aprilia RSV4 que irá disputar o Campeonato Mundial de Superbike de 2009.

O novo motor é mais potente e tem um período operacional mais longo, mas requer ficar pelo menos nas 6,000 rpm para trabalhar bem, e nas 13,500 rpm para gerar a potência máxima.

A RSA (e a versão de "evolução" da RSW) foi usada não só pela Aprilia, mas também pela Gilera e pela Derbi (renomeada como tal), desde que as três marcas pertencem ao grupo Piaggio.