Araponga (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Araponga
logotipo da novela.
Informação geral
Formato Telenovela
Criador(es) Dias Gomes[1]
Lauro César Muniz[1]
Ferreira Gullar[1]
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Cecil Thiré[1]
Lucas Bueno[1]
Fred Confalonieri[1]
Elenco Tarcísio Meira
Christiane Torloni
Taumaturgo Ferreira
Zilka Salaberry
Paulo José
Lúcia Veríssimo
Flávio Galvão
Carla Marins
Ary Fontoura
Eloísa Mafalda
e elenco
Tema de abertura "Araponga Mix" por DJ Marcelo Mansur
Transmissão original 15 de outubro de 1990[1]29 de março de 1991[1]
N.º de episódios 143 capítulos[1]

Araponga é uma telenovela brasileira, produzida pela Rede Globo, foi exibida entre 15 de outubro de 1990 e 29 de março de 1991, às 21h30. Escrita por Dias Gomes, Lauro César Muniz e Ferreira Gullar, dirigida por Cecil Thiré, Lucas Bueno e Fred Confalonieri.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A morte do Senador Petrônio Paranhos é o ponto de partida. O senador falece ao dar uma entrevista à jornalista Magali Santanna, que está interessada em saber sobre o seu romance com a jovem Arlete, uma moça ambiciosa que está disposta a engravidar do velho senador através da fertilização in vitro. Só que a morte do senador ocorreu numa situação adversa. Magali aceitou entrevistar o senador num quarto de motel, condição imposta por ele, e acaba ficando numa situação difícil.

Todos esses acontecimentos estão sendo investigados por Aristênio Catanduva, um detetive atrapalhado de codinome Araponga que trabalha para a Polícia Federal, depois de muitos serviços prestados ao Regime Militar. Mas Araponga conserva as mesmas ideias e os mesmos hábitos do velho regime. Tanto que tenta convencer seus superiores da necessidade de reativar o Serviço Nacional de Informações (SNI), órgão da polícia política do Regime Militar.

Araponga, que vigiava o senador falecido, começa a criar elos imaginários entre pessoas e situações. Suas ideias delirantes são reforçadas pelas mentiras do informante Tuca Maia, um malandro que vai trabalhar no mesmo jornal que Magali.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Tarcísio Meira Araponga (Aristênio Catanduva)
Christiane Torloni Magali Santana
Ana Maria Nascimento e Silva Celene
Ângela Vieira Jurema
Anselmo Vasconcelos Bitola
Ary Fontoura General Perácio
Benjamin Cattan Delegado Pacheco
Carla Marins Arlete
Cláudio Cunha Coruja
Cláudio Curi Paulino
Darlene Glória Dayse Sheldon
Dira Paes Nininha
Edgard Amorim Peracinho
Edwin Luisi Alves
Elizabeth Gasper Marieta
Eloísa Mafalda Zuleide
Ewerton de Castro Doutor Jansen
Fernanda Muniz Cláudia
Flávio Galvão João Paulo
Gracindo Júnior Frei Bernardo
Junior Prata São Francisco de Assis
Heloísa Helena Zora Paranhos
Ítalo Rossi Zaca
Ivan Setta Preá
Jayme Leibovitch Mr. Palmer
João Signorelli Escubidu
Léa Garcia Mundica
Lúcia Veríssimo Tamara
Luísa Thiré Lúcia
Luiza Brunet Dalila
Maria Odete Tia Coló
Marco Miranda Pipoca
Marcos Waimberg Décio
Marilena Cury Emilia
Milton Gonçalves Zé dos Couves
Monique Lafond Elizabeth
Paulo Gracindo Senador Petrônio Paranhos
Paulo José Érico
Roberto Frota Faisão Dourado
Rodrigo Santiago Germano
Rogério Fróes Gavião (Nilo Paiva)
Serginho Rigoletto
Taumaturgo Ferreira Tuca Maia (Artur da Costa Maia)
Thiago Justino Whitehouse
Yvan Mesquita Mão-de-Gato
Zilka Salaberry Dona Marocas (Maroca Cantanduva)

Produção[editar | editar código-fonte]

A novela foi exibida no horário das 21h30, anteriormente ocupado pela linha de shows da Rede Globo, suspensa durante a exibição da novela. A Globo criou a trama para concorrer com Pantanal, da TV Manchete, que começava um pouco antes de terminar Rainha da Sucata, a atração das oito na Globo que criou este novo horário.[1]

Araponga tornou-se uma gíria para se referir aos profissionais da espionagem e da contraespionagem. "Araponga" era o nome do protagonista, ex-espião do SNI. Segundo o coautor, Ferreira Gullar, a idéia foi de Dias Gomes, que partiu do facto de que os espiões escolhiam nomes de aves como cognomes, com medo de serem descobertos. E as arapongas são aves que emitem sons metálicos, estridentes, exatamente o oposto da discrição pretendida pelos espiões.

Retorno de Darlene Glória a televisão, um dos destaques do teatro de revista e do cinema brasileiro na década de 1970.[1]

Foi a segunda novela da modelo Luiza Brunet, com desempenho medíocre. Sua primeira actuação havia sido em Cambalacho, em 1986. Ela voltaria a actuar em O Mapa da Mina, em 1993, e, pela última vez, segundo a própria modelo, na segunda versão da novela Anjo Mau, em 1997. Luiza esteve na capa da trilha sonora nacional & internacional da novela.[1]

Primeira novela de Ângela Vieira na Globo.[1] Ela já havia trabalhado em sketchs humorísticos Planeta dos Homens e Viva o Gordo e na minissérie Parabéns pra Você.

O carro em que aparece na abertura é um Ford Landau, considerado o carro mais luxuoso do Brasil nos anos 80.[2]

Trilha Sonora Nacional[editar | editar código-fonte]

Capa: Luiza Brunet[1]

  1. Arabond - Nova Era (Tema de Araponga)
  2. Carta Marcada - Simone (Tema de Magali)
  3. Senta a Pua - Lulu Santos (Tema de Arlete)
  4. Imensamente Só - Sandra de Sá (Tema de Jurema)
  5. Dias de Lua - Emílio Santiago (Tema de Tamara)
  6. Estou de Volta - Stryx (Tema de João Paulo)
  7. Agente Secreto - Ary Sperling e Milton Guedes (Tema de Araponga)
  8. Araponga Mix - DJ Marcelo Mansur (Tema de Abertura)
  9. Estrelas de Outubro - Selma Reis (Tema de Érico)
  10. Nojento - MC Batata (Tema de Tuca Maia)
  11. Se Eu Quiser Falar Com Deus - Ithamara Koorax (Tema de Frei Bernardo)
  12. Fibra de Herói (Bandeira do Brasil) - Banda do Condomínio (Tema de Perácio)
  13. Melhores Momentos - Alcione (Tema de Marieta)
  14. Idas e Voltas - Kátia (Tema de Nininha)

Trilha Sonora Internacional[editar | editar código-fonte]

Capa: Luiza Brunet[1]

  1. Secret Agent Man - Johnny Rivers (Tema de Araponga)
  2. Teach Me Tiger - April Stevens (Tema de Dalila)
  3. Never My Love - The Association (Tema de Nininha)
  4. Respect - Aretha Franklin (Tema de Arlete)
  5. Hurdy Gurdy Man - Donovan (Tema de Érico)
  6. The Pink Panther - Henri Mancini
  7. Lazy - Tab (Big Voice) Smith (Tema de Dayse Sheldon)
  8. How Can You Mend A Broken Heart? - Bee Gees (Tema de Magali)
  9. A Little Bit Me, A Little Bit You - The Monkees (Tema de Tamara e João Paulo)
  10. Turn! Turn! Turn! - The Byrds (Tema de Locação no Rio de Janeiro)
  11. That’s What I want - The Square Set (Tema de Locação em São Paulo)
  12. Don’t Play That Song - Ben E. King (Tema de Jurema)
  13. Sky High - Jigsaw (Tema de Ação Geral)
  14. Night Lovers - Charles Marx (Tema de Marieta)

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p Memória Globo. Araponga. Visitado em 4/6/2010.
  2. Ford Landau

Ver também[editar | editar código-fonte]

Há 20 anos, 'Araponga' estreava na Globo para frear 'Pantanal', Terra Networks, 9 de outubro de 2010.