Arapuá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Arapuá
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 1º de março
Fundação 30 de dezembro de 1962
Gentílico arapuense
Prefeito(a) Vilson Gontijo de Oliveira (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Arapuá
Localização de Arapuá em Minas Gerais
Arapuá está localizado em: Brasil
Arapuá
Localização de Arapuá no Brasil
19° 02' 02" S 46° 09' 21" O19° 02' 02" S 46° 09' 21" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba IBGE/2008 [1]
Microrregião Patos de Minas IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Carmo do Paranaíba, Rio Paranaíba, Tiros, Matutina
Distância até a capital 350 km
Características geográficas
Área 172,529 km² [2]
População 2 772 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 16,07 hab./km²
Clima tropical temperado
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,776 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 44 500,540 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 16 024,68 IBGE/2008[5]
Página oficial

Arapuá é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2004 era de 2.555 habitantes.

Foi desmembrado do município de Rio Paranaíba (onde se situam as nascentes do rio do mesmo nome).

A economia do município se baseia na agropecuária, especialmente a cafeicultura e gado de leite.

A empresa de maior porte da pequena cidade é uma fábrica de laticínios, do Grupo Tirolez.


ORIGEM DA CIDADE

Arapuá recebeu este nome devido à “uma morada de abelhas arapuá”; o nome é pequeno, a cidade é pequena, a história é de grande importância. Neste lugar, onde é a atual Arapuá, era uma floresta pertencente ao Município de Rio Paranaíba. Saía uma estrada do povoado Mata do Salgado e passava no meio desta floresta. No meio da Mata havia uma árvore por nome Marinheiro, o qual possuía uma enorme morada de “abelhas arapuá”. As famílias Salgado e Fradiques, vindos de Dores do Indaiá e Pitangui, e a família Luis da fazenda Lages, deste Município, marcaram um encontro (num sábado), ao pé do Marinheiro onde tinham a morada de abelha arapuá, deste encontro se iniciou ARAPUÁ. Dos lenheiros veio a Família Albino e começaram a roçar a mata. Em 1888, a família Luiz da Silva doou o terreno, ½ (meia) quarta, e com algumas pessoas fizeram primeiro; os cruzeiros depois de muito tempo, uma Capelinha e mais tarde um Cemitério, cercado de madeira lavrada. A mata foi sendo destruída pouco a pouco e foram sendo construídas pequenas casas. As construções eram feitas de pau-a-pique (barreadas). No dia de barrear estas casas faziam uma grande festa. A base econômica do município é a agropecuária, onde 60 % da população está envolvida nestas atividades. Os principais produtos são: Feijão, milho, café, maracujá, tomate, produção de leite e criação de bovinos.

C U R I O S I D A D E S

PIONEIROS DA REGIÃO (ARAPUÁ)

HABITANTES: garimpeiros que se estabeleceram às margens do rio Abaeté a procura de diamantes. Em maio de 1927, passou a Arraial. José Maria de Melo (Lulu), escravo de José Gonçalves de Melo, foi um dos primeiros moradores deste Arraial.

CASA DE ESCOLA: localizada na chegada do povoado atraiu a população com propósitos de colocar seus filhos na Escola. Os professores foram: Eduardo Augusto de Medeiros (o fundador), Francisco de Paula Moura, procedentes de Dores e Pitangui, com cinqüenta alunos. Com a criação desta Escola, e o crescimento, nascia ali a “Vila Arapuá”.

CASA DE MORADIA: A primeira foi construída perto da casa de escola, e seu morador, Torquato da Silva Porto; a segunda, de João Barbosa Lagares; a terceira João Grigório da Cunha, José Mariano e José Luis de Moura.

CASA COMERCIAL: De propriedade dos turcos: Isa Felipe Abraão, Jarbas e José Calixto. Josias Caetano Lima, proprietário da segunda loja, orientou a construção da estrada que ligava Carmo do Paranaíba a este povoado feito toda à enxada, passando pela fazenda de João Boaventura.

O TRANSPORTE: Através de carro de boi, o povo buscava mercadorias nos distritos de Catiara, São Pedro de Alcântara (atual Ibiá). A grande e maior dificuldade era a falta de água; as pessoas buscavam Mauá para servirem em casa, nos brejos e no cortume.

PRIMEIRO AUTOMÓVEL: De propriedade do Sr. Fulgêncio Sinfrônio de Souza, também motorista e vereador do distrito.

RÁDIO: De Padre Guarino, de Rio Paranaíba, que assistia o distrito.

PADRE: O primeiro Padre Grigório; o segundo Querdole.

FARMACEUTICO: Isidrim Filho.

ESCRIVÃO: Sr. Aristeu Gonçalves Boaventura.

JUÍZ DE PAZ: Eduardo Augusto de Medeiros.

DENTISTA: Sr. João Pinto dos Reis.

BARBEIRO: José Gonçalves de Oliveira.

SUB-DELEGADO: Josias Caetano de Lima.

ÓBITOS: Sra. Maria Joana de Jesus, esposa de Albino José Fernandes.

AUTO DE CORPO DELITO: Registrado em 1º de dezembro de 1927, Elias Borges matou Antônio Silvano Júnior.

ELEIÇÃO: Orientada por um idoso de Carmo do Paranaíba, Francisco Carlos de Andrade.

ELEITOR: Antônio Francisco Ferreira, o primeiro a votar.

PRIMEIRA ESCOLA MISTA: Instalada em 1º de dezembro de 1928, pelo inspetor escolar Pedro Leandro Ferreira, sendo Maria Caetano da Rocha a primeira professora.

SEGUNDA ESCOLA MISTA: Criada em 20 de outubro de 1928. Instalada em 1º de Janeiro de 1929, sendo D. Amélia Boaventura a professora.

TERCEIRA ESCOLA MISTA: Criada em 1950 pelo prefeito Aristeu Boaventura.

Em 1951, aos 05 de agosto, foi inaugurado o Grupo Escolar “Manoel Gonçalves Boaventura”. Neste mesmo ano a água que temos hoje foi canalizada pelo Sr. Sinval Boaventura. A nascente ficava nas terras do Sr. Antonio Candido que vendeu o direito de canalizá-la para o Sr. Olímpio Franco.

Adoção do nome Arapuá: 1923. Lei nº 843, de 07/09/1923.

Criação do Distrito: 1923, lei nº 843, de 07/09/1923.

Emancipação do Distrito: São João de Arapuá

Emancipação do Município: 1962 lei nº 2762,de 30/12/1962.

Era governador do Estado, o Sr. Magalhães Pinto, que nomeou o Sr. José da Silva Brandão, intendente do município até a realização da primeira eleição (seis meses depois).

Fonte: Plano Municipal de Assistência Social (Arquivo Prefeitura)

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.