Arautos do Evangelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arautos do Evangelho na Igreja de San Benedetto in Piscinula, Itália.
Arautos do Evangelho na Igreja de Gesù em Roma.
Símbolo dos Arautos do Evangelho
Símbolo do Virgo Flos Carmeli

Os Arautos do Evangelho (em latim Evangelii Præcones, cuja sigla é E.P.) formam uma associação religiosa privada de fiéis de direito pontifício, a primeira a ser erigida pela Santa Sé no terceiro milênio por ocasião da festa litúrgica da Cátedra de São Pedro em 22 de fevereiro em 2001.

Estão espalhados por mais de 78 países. Seus membros se propõem a observar a obediência, a pobreza e a castidade a exemplo de muitas ordens religiosas como os Franciscanos e os Carmelitas.

Origem[editar | editar código-fonte]

Foi fundada pelo monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, paulistano filho de mãe italiana e pai espanhol nascido em 15 de agosto de 1939. Uma das maiores casas da Ordem dos Arautos do Evangelho está sediada na Cidade de Caieiras, na grande São Paulo, nas imediações da Serra da Cantareira.

As ordens[editar | editar código-fonte]

A sua estrutura comporta três ordens:

  • Ordem I: homens consagrados que se dedicam integralmente a Santa Igreja Católica Apostólica Romana e a própria entidade.
  • Ordem II: mulheres consagradas que se dedicam integralmente a Santa Igreja Católica Apostólica Romana e a própria entidade.
  • Ordem III: homens ou mulheres, que se dedicam aos ideais da entidade no emprego, na família e em seus círculos sociais.

Virgo Flos Carmeli[editar | editar código-fonte]

A Sociedade Clerical Virgo Flos Carmeli é constituída por membros dos Arautos do Evangelho que receberam o chamado de Deus ao sacerdócio, após dezenas de anos de vida comunitária, estudos e muita dedicação, com o fim de melhor empreender a atividade evangelizadora, como se pode ler no art. 3º de seus estatutos:

"A Sociedade nasce como expressão do carisma da Associação Arautos do Evangelho, com a especificidade da vocação sacerdotal, manifestando a vontade de atuar em comunhão de métodos e metas com a mencionada associação, e empenhando-se particularmente em que os fiéis que se sentem atraídos por este carisma tenham uma assistência ministerial, sobretudo, os que vivem em comunidade (PC 10)".

Foi elevada a Sociedade de Vida Apostólica por Decreto Vaticano no dia 30 de abril de 2009.

Consagração[editar | editar código-fonte]

Os Arautos são consagrados a Jesus Cristo por meio de Nossa Senhora, segundo o método descrito por São Luís Maria Grignion de Montfort em seu livro Tratado da Verdadeira Devoção à Virgem Maria.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Em seu medalhão estão contidos os três principais símbolos dos Arautos: as chaves de São Pedro (simbolizando o Papa), Maria Santíssima e a Santíssima Eucaristia. À cintura, uma corrente de ferro representa à fortíssima ligação de cada Arauto com Maria Santíssima, ao ponto de se chamarem "Escravos de Jesus através de Maria". Pendente desta corrente está o Rosário, frequentemente recomendado por Maria em suas aparições.

Seu hábito é uma túnica branca (homens) ou amarela (no caso das mulheres), guarnecida de um escapulário marrom que ostenta a Cruz de Santiago, em vermelho e branco.

Igrejas[editar | editar código-fonte]

Basílica de Nossa Senhora do Rosário, inaugurada dia 24 de fevereiro de 2008, na Serra da Cantareira, município de Caieiras, Diocese de Bragança Paulista e outra igreja em seu Centro Mariano, localizado na Granja Viana, em Embú das Artes.

Igreja de San Benedetto in Piscinula em Roma

Projeto Futuro&Vida[editar | editar código-fonte]

Projeto que realiza apresentações de música e teatro em escolas de regiões próximas às sedes dos Arautos do Evangelho, em que são sorteados jovens para participar gratuitamente de aulas de karatê, música e teatro realizadas aos fins de semana, e em férias e feriados passeios a pontos turísticos, museus, cidades históricas, etc.

Os arautos são um instituto de vida consagrada da Igreja Católica cujo fundador é o Monsenhor João Clã Dias e o seu formador foi o Dr. Plínio Corrêa de Oliveira.


Os arautos foram aprovados pelo papa João Paulo II em 2001 e atualmente estão espalhados por 78 países.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.