Archaeoraptor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Archaeoraptor foi um destacado achado fóssil.

Primeiramente o Archaeoraptor (Archaeoraptor liaoningensis) foi considerado como um transicional entre dinossauros e aves,[1] após sua publicação em revistas populares de divulgação científica, não em jornais com peer-review. O autor do artigo principal, Christopher P. Sloan, era o diretor de arte da revista National Geographic, não um cientista[carece de fontes?], nem um "notório saber" nem um especialista em paleontologia. O estudo foi feito pelo escultor e paleontologista Stephen Czerkas que liderou o estudo de espécime e elaborou a reconstrução do animal.[1]

Segundo a revista National Geographic,

Cquote1.svg Com os braços de um pássaro primitivo e a cauda de um dinossauro, esta criatura encontrada na província de Liaoning, na China, é um verdadeiro elo que falta na cadeia complexa que conecta os dinossauros às aves. Os cientistas financiados pela National Geographic estudaram o animal, chamado Archaeoraptor liaoningensis, sob luz ultravioleta e utilizaram tomografia computadorizada para ver as partes do animal obscurecidas pela rocha. Estudos preliminares dos braços sugerem que era um voador melhor do que o Archaeopteryx, a primeira ave conhecida. Sua cauda, no entanto, é muito semelhante às caudas rígidas de uma família de dinossauros predadores chamada dromaeosaurus. Esta combinação de características avançadas e primitivas é exactamente o que os cientistas esperariam encontrar em dinossauros experimentando o vôo. Cquote2.svg
Christopher P. Sloan[1]

Tanto a revista Nature quanto a revista Science rejeitaram os artigos que o descreviam, alegando suspeitas de que ele teria sido forjado e contrabandeado ilegalmente.[2] [3]

Posteriormente, este achado fóssil foi revelado uma fraude, mas não uma fraude científica propriamente dita, pois foi montado por um caçador de fósseis chinês que o teria descoberto. As partes foram montadas com uma composição de um corpo de fóssil de ave com a cauda de um fóssil de dinossauro. O objetivo era tornar o fóssil mais valioso na comercialização para colecionadores, não para pesquisadores. Supõe-se que seu descobridor/confeccionador nem sequer sabia que eram de fósseis diferentes.[3]

Os procedimentos científicos naturais foram mantidos como de praxe até a revelação da fraude, e é de se destacar que as partes que compõe o Archaeoraptor, classificadas como Yanornis martini, correspondente ao corpo, e Microraptor zhaoianus, a cauda, continuam como importantes fósseis transicionais.[4] [5] [6]

Referências

  1. a b c Sloan, Christopher P.. (novembro 1999). "Feathers for T. Rex?" (em inglês). National Geographic 196 (5): 99-107 pp.. Washington, D.C.: National Geographic Society. ISSN 0027-9358.
  2. Dalton, Rex, 2000. Feathers fly over Chinese fossil bird's legality and authenticity. Nature 403: 689-690.
  3. a b Simons, Lewis M., 2000. Archaeoraptor fossil trail. National Geographic 198(4) (Oct.): 128-132.
  4. Rowe, T. et al., 2001. The Archaeoraptor forgery. Nature 410: 539-540.
  5. Xu, Xing, Zhonghe Zhou and Xiaolin Wang, 2000. The smallest known non-avian theropod dinosaur. Nature 408: 705-708.
  6. Zhou, Zhonghe, Julia A. Clarke and Fucheng Zhang, 2002. Archaeoraptor's better half. Nature 420: 285.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Paleontologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.