Arconte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Arconte (em grego: αρχων, transl. arkhon, o responsável por um arkhê, "cargo") [1] era o título dos membros de uma assembléia de nobres da Atenas antiga, que se reuniam no arcontado.[1]

Arcontado[editar | editar código-fonte]

O arcontado hereditário e vitalício surgiu com Medonte, filho do rei Codro, e terminou com Alcmeão, filho de Ésquilo[2] .

Em Atenas, até a morte de Codro, havia dois magistrados importantes: o basileu (rei) e o polemarco,[3] o comandante das forças militares. Com Medonte, foi introduzido o cargo de arconte, inicialmente vitalício, mas depois passou para o período de dez anos;[3] alguns historiadores, porém, consideram que o cargo de arconte foi instituído com Acasto,[3] filho de Medonte; a prova disso é que os nove arcontes juravam cumprir as obrigações que eram-lhes impostas como nos tempos de Acasto.[3]

Em 683 os poderes passaram de um, a nove arcontes de nomeação anual. O primeiro, ou arconte epónimo, dava o nome ao ano civil; o segundo, ou arconte rei, tinha funções religiosas; o terceiro, ou arconte polemarco, exercia o comando do exército; os restantes, os arconte tesmótetas, preparavam as leis e velavam pela sua execução. [1]


Referências

  1. a b c Dic. Enciclopédico Lello Universal - Volume II, Pág. 199
  2. Eusébio de Cesareia, Crônica, 67, Os príncipes (arcontes) de Atenas, que governaram por toda a vida The Greek Chronicle [em linha]
  3. a b c d Aristóteles, Constituição dos Atenienses, 3
Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.