Aretusa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Maio de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Alfeu tenta capturar Aretusa, gravura de Bernard Picart.

Aretusa, na mitologia grega, era uma ninfa que fazia parte do cortejo de Artémis e, como sua deusa, era avessa ao amor. [1]

Um dia, após uma caçada extenuante, decidiu banhar-se em um rio límpido. Enquanto nadava sozinha, ouviu uma voz vinda das águas. Era Alfeu , o deus do rio, que se apaixonara pela bela ninfa. Aretusa fugiu assustada, com o deus-rio em seu encalço. Este, abandonando seu leito, perseguiu-a até que esta, sem forças, suplicou a Artémis que a salvasse. A deusa, diante das poderosas águas de Alfeu, envolveu a náiade em uma nuvem, transformando-a em uma fonte. Em seguida, a terra abriu-se, e a ninfa, assim transformada, percorreu seus subterrâneos e chegou a Siracusa, brotando na ilha de Ortígia, lugar consagrado a Artémis. Porém Alfeu, sem desistir de sua amada, internou-se também na terra, vindo brotar junto à fonte de Aretusa. Assim o deus-rio uniu suas águas as da ninfa em um eterno enlace amoroso.

Pausânias conta a lenda da seguinte forma: Alfeu e Aretusa eram caçadores, e Alfeu se apaixonou por Aretusa, mas esta não queria se casar, e cruzou o mar até a ilha oposta a Siracusa, Ortígia, e lá se transformou em uma fonte de água. Alfeu, por seu amor, foi transformado no Rio Alfeu.[2] A evidência de que esta lenda é verdadeira, e de que o Rio Alfeu, ao se tornar subterrâneo, passa do Peloponeso até a Sicília é dada por um oráculo de Apolo dado a Árquias de Corinto quando ele foi banido para fundar Siracusa.[3]

Segundo Diodoro Sículo, uma ilha próxima da Sicília foi dada a Ártemis, e o nome da ilha passou a ser Ortígia; neste ilha as ninfas, para agradar Ártemis, fizeram surgir uma fonte, que foi chamada de Aretusa.[4]

Aretusa vem do grego, ARETY, ninfa representativa da virtude. Sua imagem é ainda hoje vendida na Grécia com um rosto retratando a pureza, vestes de vestal templária, porém cobrindo todo o corpo, cabelos presos e olhar ingênuo. [carece de fontes?]

Esta lenda foi alvo do humor de Luciano de Samósata, em um diálogo entre Poseidon e Alfeu.[5]

Outras personagens de nome Aretusa[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Hacquard, George, Dicionário da Mitologia Grega e Romana.
  2. Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 5.7.2
  3. Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 5.7.3
  4. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro V, 3.5
  5. Luciano de Samósata, Diálogos dos deuses marinhos, 3, Poseidon e Alfeu
  6. Quinto de Esmirna, A Queda de Troia, Livro X, 82-91
  7. Higino, Fabulae, CLVII, Filhos de Netuno
  8. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 2.5.11
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aretusa