Argentina 2 x 1 Inglaterra (1986)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Argentina 2 x 1 Inglaterra
Evento Quartas-de-finais da Copa do Mundo FIFA de 1986
Data 22 de junho de 1986
Local Estadio Azteca, México Cidade do México
Árbitro Ali Bin Nasser Tunísia
Público 114,580

Argentina 2 x 1 Inglaterra foi uma histórica partida de futebol válida pelas quartas-de-finais da Copa do Mundo do México-1986.

O jornalista Paulo Vinicius Coelho, em seu livro "Os 50 maiores jogos das Copas do Mundo" ranqueou esta partida como a 11a mais importante partida das história das Copas.[1]

A Partida[editar | editar código-fonte]

Pré-Jogo[editar | editar código-fonte]

Entre 02 de abril e 14 de junho de 1982, Argentina e Inglaterra travaram uma sangrenta batalha pela posse dos arquipélagos austrais das Malvinas, num conflito que ficou mundialmente conhecido como a Guerra das Malvinas. Além disso, a rixa entre ambos também era visível no futebol desde 1966, na Copa do Mundo realizada na terra da Rainha. Naquela partida, além da troca de palavrões de ambas equipes durante o jogo, o jogador argentino Rattín zombou da bandeira inglesa no escanteio e sentou no tapete vermelho exclusivo da Rainha, acirando assim a rivalidade futebolística entre os 2 países.

Com o choque confirmado entre argentinos e ingleses, a comissão organizadora da Copa e o governo mexicano trataram de reforçar a segurança do estádio Azteca antes, durante e depois do jogo. Dezenas de militares foram escalados para garantir a proteção dos mais de 110 mil torcedores dentro e fora do estádio. Porém, mesmo com este forte esquema de segurança, antes mesmo de a partida começar já haviam relatos de confrontos. Torcedores argentinos adeptos das Barras Bravas participaram de brigas contra os Hooligans ingleses. Na chegada ao estádio eram visíveis alguns cartazes com dizeres como “Las Malvinas son Argentinas”.[2]

Cquote1.svg Em 1986, vencer aquele jogo contra a Inglaterra era o suficiente. Vencer a Copa do Mundo era secundário para nós. Bater a Inglaterra era nosso verdadeiro objetivo”.[3] Cquote2.svg
Roberto Perfumo, jogador argentino, em entrevista ao The Guardian, maio de 2002

O Jogo[editar | editar código-fonte]

Foi com este cenário que as 2 equipes entrariam em campo. Assim, com o estádio lotado, aquela partida seria o cenário ideal para a Argentina dar o troco nos ingleses.

Cquote1.svg "Quando nós entramos em campo, sabíamos das dificuldades. No entanto, pedi para os companheiros jogarem naquela partida o seu melhor futebol. Que ali, não estávamos nos vingando, mas representando todo o povo argentino, e principalmente as famílias que tiveram de alguma forma prejuízos com essa guerra maldita."[2] Cquote2.svg
Maradona, após a atuação histórica no jogo.

Embora o clima fosse de tensão e também de beleza pelo público contagiante no ensolarado Azteca, os jogadores começaram a partida sem faltas ríspidas ou provocações, com a Argentina mantendo a posse de bola e dominando as ações iniciais. Apesar fo bom futebol de ambas equipes, o primeiro tempo terminou mesmo 0 x 0.

No segundo tempo, dois lances que entraram para a história do futebol.

Logo aos 6 minutos, Maradona marcou, de mão (naquele que ficou conhecido como "La Mano de Dios"), o primeiro gol argentino. Após a bola entrar no gol, Maradona saiu comemorando timidamente e de olho no juíz. Ele percebeu que ninguém de seu time veio ao seu encontro e chamou os colegas: “Vamos, me abracem, ou o árbitro não vai validar o gol!

Mesmo com a revolta dos ingleses, o gol não foi anulado. 1 x 0 para os Argentinos.

4 minutos depois, outro lance histórico. Após arrancar do meio-de-campo e passar por 6 adversários, Maradona fez 2 x 0 para a Argentina, com o chamado Gol do Século.

Cquote1.svg "É o maior gol da história das Copas pelo contexto histórico, já que a Guerra das Malvinas tinha acontecido anos antes. Era um jogo muito esperado. Os ingleses e argentinos queriam o jogo. Era em um estádio histórico, o Azteca, final da Copa de 1970. Maradona consegue ser o autor do gol mais bonito e do mais polêmico, de mão."[4] Cquote2.svg
Lédio Carmona, jornalista

Se gol de mão havia provocado a indignação da seleção Inglesa, o Gol do Século acabou ofuscando a controvérsia. O artilheiro da competição, Gary Lineker, garantiu que pela primeira vez na carreira teve vontade de aplaudir o gol de um adversário.[5]

Com 2 a 0 no placar, a Argentina passou a jogar com mais precaução na defesa e a Inglaterra dominou as ações ofensivas. Aos 31´, o técnico Bobby Robson colocou a Inglaterra totalmente no ataque ao trocar Steven pelo jovem e habilidoso Barnes. O ponta rapidamente mostrou a que veio e, aos 36´, fez uma boa jogada pela esquerda e cruzou na medida para Lineker diminuir a desvantagem e anotar seu sexto gol na Copa (2 x 1 Argentina, faltando apenas 9 minutos).

Logo na saída de bola, a Argentina ainda meteria uma bola na trave, após Maradona deixar Carlos Tapia na cara do gol. Mas o jogo já estava decididido. Com "a mão de Deus, e o pé do capeta", Maradona decretou: 2 x 1 para a Argentina, e fim de papo.

Cquote1.svg "Quando chegamos ao vestiário, o Diego me pediu desculpas por não ter passado a bola para mim, que vinha acompanhando a jogada pelo outro lado. Tive de xingá-lo! Senti que estava me desrespeitando como futebolista. Além de ter feito tudo o que fez, ainda teve tempo de me ver? Simplesmente impossível, só mesmo um jogador daquela classe para fazer isso."[5] Cquote2.svg

Detalhes[editar | editar código-fonte]

22 de Junho de 1986 Flag of Argentina.svg Argentina 2–1 Flag of England.svg Inglaterra Estadio Azteca, Cidade do México
12:00 CST
Maradona Gol marcado aos 51 minutos de jogo 51' Gol marcado aos 55 minutos de jogo 55' Relatório Lineker Gol marcado aos 81 minutos de jogo 81' Público: 114,580
Árbitro: Ali Bin Nasser Tunísia[6]

Arbitros Assistentes: Berny Ulloa Morera Costa Rica
Bogdan Dotchev Bulgária

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Argentina
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
England
GK 18 Nery Pumpido
DF 5 José Luis Brown
DF 9 Jose Cuciuffo
DF 19 Oscar Ruggeri
MF 2 Sergio Batista Penalizado com cartão amarelo após 60 minutos 60'
MF 7 Jorge Burruchaga Substituído após 75 minutos de jogo 75'
MF 10 Diego Maradona Capitão
MF 12 Héctor Enrique
MF 14 Ricardo Giusti
MF 16 Julio Olarticoechea
FW 11 Jorge Valdano
Substituições
MF 21 Carlos Tapia Entrou em campo após 75 minutos 75'
Técnico
Carlos Bilardo
GK 1 Peter Shilton Capitão
DF 2 Gary Stevens
DF 3 Kenny Sansom
DF 14 Terry Fenwick Penalizado com cartão amarelo após 9 minutos 9'
DF 6 Terry Butcher
MF 4 Glenn Hoddle
MF 16 Peter Reid Substituído após 69 minutos de jogo 69'
MF 17 Trevor Steven Substituído após 74 minutos de jogo 74'
MF 18 Steve Hodge
FW 10 Gary Lineker
FW 20 Peter Beardsley
Substituições
FW 11 Chris Waddle Entrou em campo após 69 minutos 69'
FW 19 John Barnes Entrou em campo após 74 minutos 74'
Técnico
Bobby Robson

Referências

  1. Livro: Os 50 maiores jogos das Copas do Mundo, por Paulo Vinicius Coelho
  2. a b jogadaensaiada.com.br/ "D10s" e as Malvinas: como a Argentina venceu a Inglaterra mesmo perdendo a guerra
  3. imortaisdofutebol.com/ JOGOS ETERNOS – ARGENTINA 2×1 INGLATERRA 1986
  4. sportv.globo.com/ Jornal revela ângulo inédito de golaço de Maradona na Copa de 86
  5. a b pt.fifa.com/ O "Gol do Século" faz 25 anos
  6. England National Football Team Match No. 618 England football online; Retrieved 28 January 2009