Armada de Dumbledore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Dumbledore's Army (Armada de Dumbledore na tradução brasileira ou Exército de Dumbledore na tradução portuguesa), nome criado por Gina Weasley, foi, no mundo de Harry Potter, um grupo de estudantes, liderados por Harry Potter, que tiveram como intuito aprender Defesa Contra as Artes das Trevas (DCAT) na prática.

História[editar | editar código-fonte]

Iniciou-se da impossibilidade sobre aprendizado da parte prática da disciplina, ministrada pela profª regente da disciplina durante o 5º livro (Harry Potter e a Ordem da Fênix), Dolores Umbridge. Ao invés de praticar os feitiços, era apenas permitido, em aulas, a leitura de livros sobre o assunto (Umbridge era irredutível quanto a proibição de prática de feitiços pelos alunos). A armada de Dumbledore foi idealizada por Hermione Granger e teve como principal objetivo aprender na prática defesa contra as artes das trevas parra assim poderem lutar contra Voldemort e seus Comensais da Morte. Os participantes treinavam um feitiço por semana na Sala Precisa, desde os mais simples, como o feitiço de desarmamento "Expeliarmus", até o feitiço para repelir dementadores "Expecto Patronum". Para se comunicar com os outros membros, Hermione Granger criou um sistema de moedas, parecidas com galeões; (Rony pensou que fosse galeões de verdade), quando Harry ativasse a sua, todas as outras mudariam também, dizendo a data e a hora da reunião na Sala Precisa, e esquentariam para que os membros soubessem quando seria a próxima reunião. Hermione confessou que teve essa ideia com base em Voldemort e seus fiéis Comensais da Morte, que possuíam a Marca Negra, que ficava quente toda vez que Voldemort quisesse convocar seus fiéis devotos. Marieta, amiga de Cho Chang, entrou na AD pressionada por sua amiga, porém, foi ela quem denunciou as reuniões da AD para Dolores. Isso resultou em um feitiço que Hermione havia aplicado no pergaminho onde os participantes assinaram quando entraram no grupo. Esse feitiço revelaria quem foi o "traidor" (ou dedo-duro) quando o segredo fosse revelado e punido (ex: No livro editado pela Rocco, Marieta, ao confessar, fica com estranhas manchas roxas no rosto muito difíceis de tirar que formavam a palavra Dedo-duro).

Participantes[editar | editar código-fonte]

Os participantes que frequentaram a AD foram:


Na versão filmada de A Ordem da Fênix, porém, não existe a personagem Marieta Edgecombe. E existe um menino chamado Nigel.

O "fim" da AD[editar | editar código-fonte]

Grande idealizadora da Armada Dumbledore e o cérebro da organização, Hermione Granger, utilizando sua capacidade intelectual à favor da AD, lançou uma azaração de elevado nível na lista dos membros para que assim ninguém se atrevesse a traí-los. Uma vez membro, caso isso ocorresse, uma traição seria punida, e o rosto do traidor iria denunciá-lo como "dedo-duro", o que aconteceu com Marieta Edgecombe. A “dedo-duro” entrou na AD porque sua amiga Cho Chang pressionou-a, mas convidá-la para a Armada resultou em uma traição: ela acabou por revelar à professora Umbridge o segredo, fazendo com que ela fosse azarada pelo feitiço de Hermione. No filme, porém, quem revela sobre a AD é a própria Cho, sob efeito da Poção da Verdade Veritaserum. A AD retorna no 7º livro, os líderes dessa vez são Neville, Gina e Luna, eles lutam contra a diretoria de Snape, que substituiu Alvo Dumbledore na diretoria de Hogwarts.

O Retorno da "Armada de Dumbledore" no 7º ano[editar | editar código-fonte]

Desde o início do ano letivo sobre comando do novo diretor Severo Snape, Hogwarts havia estado em uma espécie de estado de sítio. Comensais da Morte patrulhavam os corredores, associações de alunos foram novamente banidas, conversas entre três ou mais alunos foram proibidas e "Defesa contra as Artes das Trevas" agora eram praticamente aulas de uso das Artes das Trevas, onde os alunos praticavam o feitiço Cruciatus naqueles em detenção. Neville agora lidera a "Armada de Dumbledore" e comandava uma desobediência civil. A armada ainda era forte entre os alunos e sempre crescente. As paredes da escola são freqüentemente pintadas com os dizeres "Armada de Dumbledore - O Recrutamento Continua".

Neville convoca todos da armada para a "Sala Precisa".