Armistício de Compiègne

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Junto ao vagão, após a assinatura do armistício: em primeiro plano, o marechal Foch , ladeado pelos almirantes britânicos Hope e Rosslyn Wemyss.
Nota: Não confundir com Segundo Armistício de Compiègne, assinado em 1940 por representantes da França e da Alemanha Nazista.

O Armistício de Compiègne foi um tratado assinado em 11 de novembro de 1918 entre os Aliados e a Alemanha, dentro de um vagão-restaurante, na floresta de Compiègne, com o objetivo de encerrar as hostilidades na frente ocidental da Primeira Guerra Mundial. Os principais signatários foram o Marechal Ferdinand Foch, comandante-em-chefe das forças da Tríplice Entente, e Matthias Erzberger, representante alemão.

Página de capa do New York Times no Dia do Armistício, 11 de novembro de 1918.

Seguiu-se ao armistício o tratado de paz de Versalhes, celebrado em 1919, segundo o qual, a Alemanha, derrotada, era obrigada a:
- reduzir as suas tropas pela metade
- pagar pesadas indenizações aos países vencedores
- ceder todas as suas colônias
- restituir a Alsácia-Lorena à França.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre a história da Europa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História Militar é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.