Arnold Böcklin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Autorretrato
A ilha dos mortos, a sua obra-prima

Arnold Böcklin (Basileia, 16 de outubro de 1827Fiesole, 16 de janeiro de 1901) foi um pintor suíço enquadrado no movimento artístico do Simbolismo, de grande influência no posterior movimento surrealista.

Vida e arte[editar | editar código-fonte]

Estudou na Academia de Belas Artes de Düsseldorf com Schirmer,[1] , onde conheceu a Ludwig Andreas Feuerbach. Schirmer, que reconheceu nele um estudante excepcionalmente prometedor, mandou-o para Antuérpia e Bruxelas, onde ele copiou as obras de mestres flamengos e holandeses. Böcklin, foi então para Paris, onde trabalhou no Louvre e pintou diversas paisagens . [1] Embora começasse como um pintor de paisagens, nas suas viagens a Bruxelas, Zurique, Gênova e Roma entrou em contato com a arte renascentista e com a atmosfera do Mediterrâneo, que o conduziu a uma inclusão de figuras mitológicas e alegóricas na sua obra.

Em 1866 residiu em Basileia, em 1871 em Munique, em 1885 em Hottingen (Suíça) e no final da sua vida em Fiesole, perto de Florença. Influenciado pelo romantismo, mantendo muitos nexos com a obra de Caspar David Friedrich e assim netamente simbolista, mas dentro do estilo da Art Nouveau, as suas obras bosquejam figuras fantásticas, mitológicas, sob construções provenientes da arquitetura clássica (que revelam frequentemente uma obsessão com a morte), criando um mundo estranho, de fantasia.

Böcklin é conhecido, sobretudo, pelas suas cinco versões da ilha dos mortos, que em parte evoca o Cemitério inglês de Florença, perto do seu estudo e onde enterrara a sua filha pequena Maria.

Legado[editar | editar código-fonte]

O jogo das ondas (pormenor), 1883, óleo sobre tela, 180,3 x 237,5 cm, Neue Pinakothek de Munique

Böcklin exerceu a sua influência sobre os pintores surrealistas como Max Ernst e Salvador Dalí, e sobre Giorgio de Chirico.

Otto Weisert desenhou um tipo de letra Art Nouveau em 1904 e denominou-o "Arnold Böcklin" na sua honra. O design usa rizomas que penduram de muitas das letras maiúsculas e ao longo da parte superior das minúsculas v até e.

O tipo de letra "Böcklin" foi mais tarde objeto de apropriação pelo movimento hippie. A sua influência pode ser vista também na obra de ilustradores da década de 1970 como Roger Dean. O artista stuckista Paul Harvey também usa este tipo de letra na sua obra.

As pinturas de Böcklin, em especial A ilha dos mortos, foram fonte de inspiração para vários compositores tardo-românticos. Rachmaninov e Heinrich Schülz-Beuthen compuseram poemas sinfônicos inspirados por ela, e em 1913 Max Reger compôs um conjunto de Quatro poemas tonais segundo Böcklin dos quais o terceiro movimento é A ilha dos mortos (Os outros são O ermitão tocando o violino, O jogo das ondas e Bacanal).

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arnold Böcklin