Arquidiocese da Cidade do México

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Arquidiocese de México
Archidiœcesis Mexicanus
Catedral Metropolitana da Cidade do México
Localização
País México
Dioceses Sufragâneas Diocese de Atlacomulco
Diocese de Cuernavaca
Diocese de Tenancingo
Diocese de Toluca
Estatísticas
Área 1 479 km²
Informação
Rito romano
Criação da Diocese 2 de setembro de 1530
Elevação a Arquidiocese 12 de fevereiro de 1546
Governo da Arquidiocese
Arcebispo Norberto Rivera Carrera
Jurisdição Sé Primacial Metropolitana
Contatos
Endereço Apartado Postal 24-433, Durango 90, Col. Roma, 06700 México, D.F.
Página Oficial arzobispadomexico.org.mx
Símbolo da Arquidiocese Primaz do México.

A Arquidiocese da Cidade do México (Archidiœcesis Mexicanus) é uma arquidiocese da Igreja Católica situada na Cidade do México. É fruto da elevação da diocese de México, criada em 2 de setembro de 1530, sobre a área da antiga diocese de Tlaxcala, como sufragânea da Arquidiocese de Sevilha. Acompanha seu título o de Primaz do México. Seu atual arcebispo é Norberto Rivera Carrera. Sua é a Catedral Metropolitana da Cidade do México.

Possui 431 paróquias servidas por 1686 padres, contando com 81,3% da população jurisdicionada batizada, em 12 zonas pastorais.

História[editar | editar código-fonte]

Depois da chegada dos conquistadores espanhóis ao México, a Igreja Católica enviou missionários aos territórios recém conquistados que, com o passar do tempo, formariam parte da Nova Espanha. Pouco depois do avistamento das costas yucatecas por Francisco Hernández de Córdoba (1517), o Papa Leão X erigiu pela Bula Sacri Apostolatus Ministerio de 24 de janeiro de 1519, a diocese de Santa Maria dos Remédios, com sé na ilha de Cozumel, mas com o avançar o conhecimento das terras conquistadas pelos espanhóis, o Papa Clemente VII, mediante a Bula Devotionis tuae provate sinceritas de 13 de outubro de 1525, autorizou ao Imperador Carlos I de Espanha para que determinasse o melhor assento das circunscrições religiosas e fixara seus limites. Essa primeira diocese do México incluia todo o território desde Tlaxcala até a Península de Yucatán, da que se desprenderam sucessivamente os territórios das dioceses de Yucatán e Tlaxcala. Dessa última se desmembraria o território da original diocese de México.

Ao concluir o sítio de México-Tenochtitlan em 1521, os espanhóis desejavam fazer de Puebla a capital do novo território, embora o peso político, demográfico e militar da antiga Tenochtitlán os obrigou a abandonar esses planos e a estabelecer a capital no que é agora a Cidade do México. O Rei Carlos I de Espanha dotou a nova diocese de terrenos e meios, com o que a nova diocese cresceu em importância com a nova capital dos territórios espanhóis na América. Dessa disposição, nasceu a Diocese de Tlaxcala, cuja catedral se trasladou depois para Puebla. Nessa época, o imperador resolveu fundar outra diocese na Cidade do México, cidade que ao término da conquista passou a ser a mais importante das possessões recém adquiridas. Assim, em 12 de dezembro de 1527, apresentou como bispo dessa segunda circunscrição o frei Juan de Zumárraga, que viajou à Nova Espanha em 1528 sem ter sido consagrado, pois nessa época estavam suspensas as relações entre o Monarca e o Pontífice. Zumárraga governou, em caráter de bispo eleito, até meados de 1532, no que voltou à Espanha. Nesses quatro anos se distinguiu como ativo e intransigente protetor dos direitos dos índios, então escravizados, o qual acarretou graves dificuldades com a Primera Audiencia na Junta de Governo do que seria mais adiante conhecido como Nueva España.

Restabelecidas as relações entre o Papa e o Imperador pelo Tratado de Barcelona (julho de 1529), Clemente VII expediu em 2 de setembro de 1530 três bulas principais: a de ereção canônica da diocese pela bula Sacri Apostolatus, apenas nove anos depois da queda de México-Tenochtitlán, na segunda nomeou primeiro bispo a Zumárraga e na terceira participou a eleição ao arcebispo de Sevilha, de quem a nova diocese seria sufragânea. Nessas circunstâncias no domingo 27 de abril de 1533, Zumárraga recebeu a plenitude sacerdotal das mãos do bispo de Segovia na Capela Maior do Convento de San Francisco em Valladolid. Em 2 de agosto despachou o Imperador à Audiencia de Nueva España as intruções para executar as bulas. O provisor Alonso López e um dos mais distintos vizinhos, Bernardino de Santa Clara, apresentaram aquela ordem em 27 de dezembro, com poder do bispo, e tomaram posse da diocese em seu nome no dia seguinte. Zumárraga continuou na Espanha recrutando missionários e no fim chegou ao México em outubro de 1534. Foi elevada a arquidiocese em 12 de fevereiro de 1546, junto com as dioceses de Santo Domingo e Lima.

Prelados[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Small Mitre.svg Arquidioceses do México Coat of arms of Mexico.svg
Acapulco | Antequera | Chihuahua| Durango | Guadalajara | Hermosillo | Jalapa | León | Mexico | Monterrey | Morelia | Puebla de los Angeles | San Luis Potosí| Tijuana | Tlalnepantla | Tulancingo | Tuxtla Gutiérrez | Yucatán
Ícone de esboço Este artigo sobre Catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.