Arquivo Geral das Índias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Catedral, Alcázar e Arquivo das Índias em Sevilha *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Cathedral and Archivo de Indias - Seville.jpg
A Catedral de Sevilha e o Arquivo Geral das Índias
País Espanha
Critérios i, ii, iii, vi
Referência [1]
Histórico de inscrição
Inscrição 1987  (11ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

O Arquivo Geral das Índias (em castelhano, Archivo General de Indias) é um arquivo histórico espanhol no centro de Sevilha que foi criado em 1785 por iniciativa do rei Carlos III, visando centralizar num único lugar a documentação referente às colónias espanholas que até então se encontrava dispersa por diversos arquivos em Simancas, Cádiz e Sevilha.

O arquivo conserva cerca de 43000 documentos, com 80 milhões de páginas e 8000 mapas e desenhos que procedem, fundamentalmente, dos organismos metropolitanos encarregues da administração das colónias.[1] O acervo inclui documentos como o Tratado de Tordesilhas ou documentos pessoais de Cristóvão Colombo, Fernão de Magalhães, Vasco Nuñez de Balboa, Francisco Pizarro e Hernán Cortés. Grande parte deles provêm do antigo Conselho das Índias e da Casa de Contratação.

O edifício e seu conteúdo encontram-se classificados como Património Mundial pela UNESCO desde 1987, no sítio denominado Catedral, Alcazar e Arquivo das Índias em Sevilha.

Referências

  1. Archivo General de Indias cervantes.es 7-7-2008

Ligações externas[editar | editar código-fonte]