Arranha-céu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Arranha-céus)
Ir para: navegação, pesquisa
Comparação da altura dos edifícios mais altos atualmente: Burj Khalifa, Willis Tower, Taipei 101, Petronas Tower e Empire State Building.

Arranha-céu é um edifício alto, continuamente habitável por muitos andares, geralmente projetados para escritórios e uso comercial. Não existe uma definição oficial ou uma altura mínima para uma construção poder ser classificada como um arranha-céu. Uma característica comum dos arranha-céus é ter uma estrutura de aço que suporta as paredes externas, que servem como revestimento, em vez de paredes estruturais das construções convencionais. Alguns dos primeiros arranha-céus têm uma estrutura de aço que permite a construção de paredes estruturais mais altas do que aquelas feitos de concreto armado. As paredes dos arranha-céus modernos não são feitas para sustentar o peso da estrutura e a maioria dos arranha-céus são caracterizados por grandes áreas de superfície de janelas, que só são possibilitadas pelo uso da estrutura de aço e de paredes de revestimento. No entanto, os arranha-céus podem ter paredes que imitam paredes convencionais e uma pequena área de superfície de janelas.

Os arranha-céus, desde a década de 1960, usam modelos tubulares inovadores criados pelo engenheiro estrutural estadunidense-bangladeshiano Fazlur Rahman Khan. Este princípio de engenharia civil faz com que esses edifícios sejam estruturalmente mais eficientes e fortes. Ele reduz a utilização do material (economicamente muito mais eficiente), permitindo , simultaneamente, que as construções alcancem maiores alturas. O modelo de Khan permite menos colunas interiores e assim cria um espaço mais utilizável, além de permitir que os edifícios tenham formatos variados. Existem diversas variações do modelotubular; estes sistemas estruturais são fundamentais para o projeto de construção de altura atual.[1] [2] [3] [4] Outros pioneiros incluem Hal Iyengar e William LeMessurier.

Hoje, os arranha-céus são algo cada vez mais comum onde a terra é cara, como nos centros das grandes cidades, porque eles fornecem uma alta proporção de espaço locável por área de terra. Eles são construídos não apenas pela economia de espaço, mas, assim como templos e palácios do passado, os arranha-céus são considerados símbolos do poder econômico de uma cidade ou de um país. Eles não só definem o horizonte, como ajudam a definir a identidade da uma cidade. Em alguns casos, arranha-céus excepcionalmente altos foram construídas não por necessidade, mas para ajudar a definir a identidade e de projeção do poder da cidade onde foi construído.

História[editar | editar código-fonte]

A cidade de Shibam, construída no século XVI no Iêmen, é composta por mais de 500 arranha-céus.

Ao longo da História da Arquitetura, com exceção de monumentos como obeliscos, colunas e faróis, verificaram-se poucos edifícios dotados de grande altitude. Normalmente, os poucos exemplares constituíam-se de torres, as quais possuíam algum tipo de significado religioso (como as torres de templos católicos) ou militar. Até o período da Revolução Industrial, os edifícios de uso cotidiano raramente possuíam múltiplos andares.

Até por volta de meados do século XIX, o gabarito máximo encontrado nas grandes cidades capitalistas era de próximo de cinco andares. Uma das razões era devida às escadas, pois ninguém se dispunha a subir até andares altos. Por outro lado, a construção de edifícios altos demandava sistemas construtivos e tecnológicos avançados. Como a maior parte das edificações era construída em alvenaria, quanto maior a altitude, maiores as espessuras necessárias para as suas paredes portantes, seja para suportar os andares superiores ou para resistir aos esforços do vento. Porém, avanços construtivos que tornavam as paredes independentes dos elementos estruturais do edifício, como o concreto armado e a estrutura em ferro (e mais tarde em aço) já possibilitavam a construção de edifícios altos: o inconveniente das escadas, no entanto, era maior e estes sistemas de uma forma geral eram caros.

Um trabalhador durante a construção do Empire State Building. O Chrysler Building pode ser visto ao fundo.

Em 1852, a invenção do elevador por Elijah Otis eliminou o primeiro empecilho. O segundo problema foi resolvido a partir da popularização dos sistemas construtivos avançados: a pré-fabricação de elementos construtivos em aço nos países industrializados passou a ser gradativamente comum. Na década de 1920, uma junção de fatores — novas técnicas de construção, materiais mais resistentes e a invenção dos elevadores — levou aos arranha-céus. A novidade mudou as formas de consumo, de fazer comércio e, principalmente, de moradia dos habitantes das metrópoles. Cabe notar também que a produção arquitetônica ligada à Escola de Chicago, influenciada e exigida pelas necessidades do capitalismo naquela cidade, e a arquitetos como Louis Sullivan possuiu também um papel de difundir as novas tipologias urbanas entre outras cidades no mundo. O arranha-céu passaria a caracterizar-se como símbolo do progresso industrial nas grandes cidades do mundo desenvolvido: a cidade de Nova Iorque veria nas próximas duas décadas uma corrida entre empreendedores em busca da construção do edifício mais alto. Como fruto deste fenômeno, surgiram edifícios que hoje são considerados símbolos daquela cidade, como o Empire State Building, o Chrysler Building e mais tarde o Rockfeller Center.

Nota-se também que a apropriação do formato "arranha-céus" pelo ecletismo e pelo art déco foi um elemento importante na própria definição destes estilos nos Estados Unidos e especialmente em Nova Iorque e em Chicago. A associação entre o art déco e os arranha-céus foi tão forte em determinados momentos que gerou clones dos edifícios nova-iorquinos em outras partes do mundo: o Edifício Altino Arantes (antigo Banespa) em São Paulo, ainda que com altura relativamente pequena frente aos seus pares nos EUA, pode ser encarado desta maneira.

Do ponto de vista urbanístico, a aceitação dos edifícios altos nos grandes centros urbanos deveu-se sobretudo ao conceito conhecido como solo criado: trata-se de um ganho de potencial construtivo face ao custo das propriedades, pois o terreno seria pago pela sua superfície, e quanto se estendesse horizontalmente um edifício, mais cara ficaria a sua construção.

Evolução histórica dos arranha-céus[editar | editar código-fonte]

O Empire State Building em Nova York foi o maior edifício do mundo entre 1931 e 1972.

No início do século XX, Nova Iorque era um centro para a movimento de arquitectura Beaux-Arts, atraindo talentos de grandes arquitectos como Stanford White ou Carrere e Hastings. À medida que novas técnicas de construção e de engenharia se tornaram disponíveis, Nova Iorque tornou-se o centro de competições para construir o edifício mais alto do mundo. A silhueta da cidade ainda hoje reflecte os efeitos desse concurso, com numerosos dos seus edifícios a já ter ostentado o título de mais alto do mundo, muitos deles verdadeiros ícones da arquitectura do século XX:

Fim de
constr.
Edifício Cidade País Altura
do topo
Pisos Altura do
pináculo
Estado actual
1873 Equitable Life Building Nova Iorque  Estados Unidos 43 m 8 Demolido
1889 Auditorium Building Chicago  Estados Unidos 82 m 17 106 m Erigido
1890 New York World Building Nova Iorque  Estados Unidos 94 m 20 106 m Demolido
1894 Manhattan Life Insurance Building Nova Iorque  Estados Unidos 106 m 18 Demolido
1899 Park Row Building Nova Iorque  Estados Unidos 119 m 30 Erigido
1901 Philadelphia City Hall Filadélfia  Estados Unidos 9 167 m Erigido
1908 Singer Building Nova Iorque  Estados Unidos 187 m 47 Demolido
1909 Met Life Tower Nova Iorque  Estados Unidos 213 m 50 Erigido
1913 Woolworth Building Nova Iorque  Estados Unidos 241 m 57 Erigido
1930 40 Wall Street Nova Iorque  Estados Unidos 70 283 m Erigido
1930 Chrysler Building Nova Iorque  Estados Unidos 282 m 77 319 m Erigido
1931 Empire State Building Nova Iorque  Estados Unidos 381 m 104 449 m Erigido
1972 World Trade Center
(Torre Norte)
Nova Iorque  Estados Unidos 417 m 110 528 m Destruído por atentado
1974 Willis Tower
antiga Sears Tower
Chicago  Estados Unidos 442 m 110 527 m Erigido
2003 Taipei 101 Taipé Taiwan 448 m 101 509 m Erigido
2009 Burj Khalifa
antigo Burj Dubai
Dubai  Emirados Árabes Unidos 828 m 160 818 m Erigido

Fonte: emporis.com

Os mais altos da atualidade[editar | editar código-fonte]

Os cinquenta maiores arranha-céus do mundo de acordo com o Council on Tall Buildings and Urban Habita (CTBUH):[5]

Posição Edifício[A][6] Cidade País Altura (m)[5] Altura (pés) Andares Inauguração
1 Burj Khalifa Dubai  Emirados Árabes Unidos 828 m 2.717 pés 163 2010
2 Shanghai Tower[7] Xangai  China 632 m 2.073 pés 121 2014[B]
3 Makkah Royal Clock Tower Hotel Meca  Arábia Saudita 601 m[8] 1.971 pés 120 2012
4 One World Trade Center Nova York  Estados Unidos 541,3 m 1.776 pés 104 2013
5 Taipei 101 Taipei  Taiwan 509 m[9] 1.670 pés 101 2004
6 Shanghai World Financial Center Xangai  China 492 m 1.614 pés 101 2008
7 International Commerce Centre Hong Kong  Hong Kong 484 m 1.588 pés 118 2010
8 Petronas Tower 1 Kuala Lumpur  Malásia 452 m 1.483 pés 88 1998
8 Petronas Tower 2 Kuala Lumpur  Malásia 452 m 1.483 pés 88 1998
10 Zifeng Tower Nanquim  China 450 m 1.476 pés 89 2010
11 Willis Tower (antiga Sears Tower) Chicago  Estados Unidos 442 m  1.450 108 1973
12 Kingkey 100 Shenzhen  China 442 m 1.449 pés 100 2011
13 Centro Financeiro Internacional de Cantão Cantão  China 440 m 1.440 pés 103 2010
14 Dream Dubai Marina Dubai  Emirados Árabes Unidos 432 m 1.417 pés 101 2014[B]
15 Trump International Hotel and Tower[10] Chicago  Estados Unidos 423 m 1.389 pés 98 2009
16 Jin Mao Tower Xangai  China 421 m 1.380 pés 88 1999
17 Princess Tower Dubai  Emirados Árabes Unidos 414 m 1.358 pés[11] 101 2012
18 Al Hamra Firdous Tower Cidade do Kuwait  Kuwait 413 m 1.354 pés 77 2011
19 2 International Finance Centre Hong Kong  Hong Kong 412 m 1.352 pés 88 2003
20 23 Marina Dubai  Emirados Árabes Unidos 395 m 1.296 pés 89 2012
21 CITIC Plaza Cantão  China 391 m 1.283 pés 80 1997
22 Shun Hing Square Shenzhen  China 384 m 1.260 pés 69 1996
23 Central Market Project Abu Dhabi  Emirados Árabes Unidos 381 m 1.251 pés 88 2012
24 Empire State Building Nova York  Estados Unidos 381 m 1.250 pés 102 1931
25 Elite Residence Dubai  Emirados Árabes Unidos 380,5 m 1.247 pés 87 2012
26 Tuntex Sky Tower Kaohsiung  Taiwan 378 m 1.240 pés 85 1997
27 Central Plaza Hong Kong  Hong Kong 374 m 1.227 pés 78 1992
28 Bank of China Tower Hong Kong  Hong Kong 367 m 1.205 pés 70 1990
29 Bank of America Tower Nova York  Estados Unidos 366 m 1.200 pés 54 2009
30 Almas Tower Dubai  Emirados Árabes Unidos 363 m 1.191 pés 68 2009
31 The Pinnacle Cantão  China 360 m 1.181 pés 60 2012
32 SEG Plaza Shenzhen  China 356 m 1.168 pés 70 2000
33 JW Marriott Marquis Dubai Tower 1 Dubai  Emirados Árabes Unidos 355 m 1,166 ft 82 2012
33 JW Marriott Marquis Dubai Tower 2 Dubai  Emirados Árabes Unidos 355 m 1,166 ft 82 2013
35 Emirates Office Tower Dubai  Emirados Árabes Unidos 355 m 1.163 pés 54 2000
36 Aon Center Chicago  Estados Unidos 346 m 1.136 pés 83 1973
37 The Center Hong Kong  Hong Kong 346 m 1.135 pés 73 1998
38 Keangnam Hanoi Landmark Tower Hanói  Vietnã 345 m 1.132 pés 72 2011
39 John Hancock Center Chicago  Estados Unidos 344 m 1.128 pés 100 1969
40 Ahmed Abdul Rahim Al Attar Tower Dubai  Emirados Árabes Unidos 342 m 1.122 pés 76 2010[B]
41 Mercury City Tower Moscow  Rússia 339 m 1.112 pés 75 2012
41 Hefei Feicui TV Tower Hefei  China 339 m 1.112 pés 75 2012
43 Tianjin World Financial Center Tianjin  China 337 m 1.105 pés 79 2010
43 The Marina Torch Dubai  Emirados Árabes Unidos 337 m 1.105 pés 79 2011
45 Shimao International Plaza Xangai  China 333 m 1.094 pés 61 2005
46 Rose Tower Dubai  Emirados Árabes Unidos 333 m 1.093 pés 72 2007
47 Modern Media Center Changzhou  China 332 m 1.089 pés 57 2012
48 Minsheng Bank Building Wuhan  China 331 m 1.087 pés 68 2007
49 China World Trade Center Tower 3 Pequim  China 330 m 1.083 Emirados Árabes Unidos 74 2009
49 Ryugyong Hotel Pyongyang  Coreia do Norte 330 m 1.083 pés 105 1992[C]
51 The Index Dubai  Emirados Árabes Unidos 328 m 1.076 pés 80 2010

Estão atualmente em fase de projeto ou de execução estruturas que ultrapassam o quilómetro de altura. São disso exemplo a Torre do Reino em Jidá na Arábia Saudita, o Burj Mubarak Al Kabir no Koweit e a Torre Azerbaijão em Bacu.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. On the rise. Constructionweekonline.com (2011-01-31). Página visitada em 2013-06-14.
  2. IALCCE 2012: Keynote Speakers Details. Ialcce2012.boku.ac.at. Página visitada em 2013-06-14.
  3. Top 10 world's tallest steel buildings. Constructionweekonline.com. Página visitada em 2013-06-14.
  4. Bayley, Stephen. "Burj Dubai: The new pinnacle of vanity", The Daily Telegraph, 5 January 2010.
  5. a b 100 tallest completed buildings in the world. CTBUH. Página visitada em 27 de abril de 2012.
  6. Adapted from Emporis - World's Tallest Skyscrapers
  7. "China tallest building, Shanghai Tower, gets final beam", 3 de agosto de 2013. Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  8. Abraj Al-Bait Towers at CTBUH
  9. Taipei 101 at CTBUH
  10. CTBUH: Trump Tower Chicago
  11. Princess Tower | Buildings. Emporis. Página visitada em 2012-08-21.

Bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • BENEVOLO, Leonardo; História da arquitetura moderna; São Paulo: Editora Perspectiva, 2001; ISBN 85-273-0149-0

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Arranha-céu