Arrebatamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete Noiva.
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete Noivo.
Escatologia cristã
Diferenças escatológicas
Apocalypse vasnetsov.jpg
Portal do cristianismo


O Arrebatamento é um conceito que está presente em algumas interpretações da escatologia cristã, inclusive o dispensacionalismo, criadas a partir do século XIX, cujo pontapé inicial foi dado pelo ministro anglicano John Nelson Darby. É uma interpretação de vários livros bíblicos, como por exemplo o Apocalipse, livro da revelação dada ao apóstolo João sobre o futuro da humanidade. Trata-se de um momento no qual Jesus resgataria os salvos para a Nova Jerusalém, deixando na Terra os demais seres humanos que não o aceitaram como salvador.

De acordo com a maioria das pessoas que advogam essa tese, após o arrebatamento, haverá um grande caos na terra durante sete anos (três anos e meio de falsa paz e três anos e meio de guerras), com o governo do Anti-Cristo (líder político mundial), do Falso Profeta (líder religioso ecumênico) e da Besta (O deus da religião do futuro). Esse período é chamado de Grande Tribulação. Após os sete anos Jesus voltaria novamente junto com os salvos para reinar no nosso planeta por mil anos. Após o milênio irá acontecer o juízo final e a construção do "novo céu" e da "nova Terra".

Segundo algumas interpretações de certas passagens bíblicas - tais como Primeira Epístola aos Tessalonicenses 4, 13-17, 1 Corintios 15, 51-52 e Mateus 24, 40-41 - alguns textos bíblicos apresentam esta doutrina como uma realidade que impulsiona a fé e a esperança de um futuro sem dores, tristeza e morte. Essa seria a grande verdade, pois todos os cristãos têm uma esperança bendita da manifestação da glória de Deus Tt 2, 13.

A exegese católica não crê em um arrebatamento nestes termos e tampouco nos mil anos literalmente falando que, para a mesma, consistiriam no lapso de tempo entre a Ascensão de Jesus e os tempos em que vivemos, mas na Parusia, que é a segunda vinda de Jesus Cristo no final dos tempos e sua manifestação gloriosa ao mundo para julgar pessoalmente cada homem segundo sua fé e obras e a História humana. Os justos seriam salvos e gozariam a vida eterna, a criação será renovada e os maus condenados à eternidade sem Deus, que é o inferno.

No Antigo Testamento também se refere o arrebatamento de Elias, não sendo muito claro o significado deste acontecimento.

O conceito popularizou-se em anos recentes, tanto pelo avanço do esforço missionário pentecostais quanto pela difusão de obras que tentam divulgar esse conceito, das quais a mais notável é a série Deixados Para Trás.

Protestante[editar | editar código-fonte]

Similar à crença acima, porém os protestantes acreditam que Jesus já veio, morreu e reviveu e virá para buscar a igreja, porém antes desta segunda vida relatada na bíblia [1] , haverá o grande Arrebatamento da igreja, que será a subida do Espirito Santo, e em seguida os selos serão deslatados e as trombetas tocarão e começara o grande apocalipse, e esta é a teoria mais originalizada dentro da bíblia. Sendo a maior população cristã dos Estados Unidos e do mundo, os protestantes contém conteudos exatamente ideal dentro da palavra de Deus.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.