Arrendamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Arrendamento é um contrato de cessão de um fator de produção, pelo qual seu proprietário o entrega a outro para ser explorado, mediante determinada remuneração.

O sistema de arrendamento de terras já usado na época da expansão romana1 e constitui-se em um dos traços característicos dos regimes agrários de muitos países. Ainda hoje é elevada a proporção de arrendatários na agricultura de algumas regiões.[carece de fontes?] Porém, em outras regiões, a execução de programas de reforma agrária reduziu a importância deste sistema.[carece de fontes?]

Participantes[editar | editar código-fonte]

Nesse tipo de pacto, estão envolvidos:

  • arrendatários - aqueles que serão os usufrutuários dos fatores de produção objeto do contrato;
  • arrendadores - aqueles que cedem os referidos fatores de produção (geralmente os proprietários).

Tipos de arrendamento[editar | editar código-fonte]

Royalty[editar | editar código-fonte]

Um tipo usual de arrendamento é o contrato de patentes de invenção, quando o inventor não dispõe dos recursos necessários para comercializá-las. A remuneração do titular do direito de propriedade de uma patente chama-se royalty.

Arrendamento urbano[editar | editar código-fonte]

Arrendamento urbano é aquele pelo qual uma das partes concede à outra o gozo temporário de um prédio urbano, no todo ou em parte, mediante retribuição.

Arrendamento rural[editar | editar código-fonte]

Arrendamento rural é o contrato agrário pelo qual uma pessoa se obriga a ceder à outra, por tempo determinado ou não, o uso e gozo de imóvel rural ou partes do mesmo, incluindo ou não outros bens, benfeitorias ou facilidades, com o objetivo de nele ser exercida atividade de exploração agrícola, pecuária, agroindustrial, extrativa ou mista, mediante certa retribuição ou aluguel, observados os limites percentuais da Lei.1

Seu traço característico é que o arrendatário, além de cobrir todos os riscos da atividade agrícola, se obriga a pagar quantia líquida e certa para o arrendador, independente da produção.2

Contratos desta natureza regem-se pelo Estatuto da Terra,3 sua regulamentação,4 alteração,5 além de ter os casos omissos dirimidos pelo Código Civil Brasileiro.6 1 Esse arcabouço jurídico preconiza que um contrato de arrendamento rural, dentre outras formalidades, deve necessariamente conter:1

  • identificação do imóvel e número do seu registro no cadastro de imóveis rurais do INCRA;
  • cláusula de renúncia de vantagens, proibindo os arrendatários de renunciar aos direitos ou vantagens estabelecidas em Leis ou Regulamentos;
  • preços e pagamentos, onde há limites para a fixação (proteção do arrendatário) - remuneração não poderá ser superior a quinze por cento do valor cadastral do imóvel (constante da declaração do ITR2 ), com exceção de glebas de alta rentabilidade, quando a remuneração poderá ir até o limite de trinta por cento;
  • condições de renovação, onde o arrendador deve, com seis meses de antecedência, notificar o arrendatário de que pretende retomar o imóvel para fazer ele mesmo ou através de ascendente a sua exploração direta; caso o arrendador receba outras proposta, deve notificar o arrendatário de suas condições, sendo que o arrendatário terá a preferência em relação ao estranho, em igualdade de condições.

Observa-se que o presente Estatuto da Terra objetiva:1

  • assegurar os direitos do arrendatário como parte mais fraca na relação jurídica contratual;
  • garantir que a terra possa ser explorada de forma a cumprir com sua função social.

Estes contratos também deverão observar os seguintes prazos mínimos para o arrendamento:1

  • para atividade de exploração de lavoura temporária ou pecuária de pequeno e médio porte: três anos;
  • para lavoura permanente e pecuária de grande porte (para cria, recria, engorda ou extração de matérias primas de origem animal): cinco anos o contrato de arrendamento em que ocorra atividade de exploração de lavoura permanente e ou de pecuária de grande porte;
  • exploração florestal: sete anos.

Tratamento fiscal[editar | editar código-fonte]

Há uma grande diferença na carga tributária para o cedente (geralmente o proprietário) do imóvel rural entre os contratos firmados como parceria rural ou como arrendamento rural.2

Os arrendamentos são tributados como aluguéis, ou seja, a renda é caracterizada como se fosse em função da cessão de um imóvel.2 Se o arrendatário for pessoa física, deverá o arrendador fazer recolhimento mensal obrigatório (carnê-leão, art. 106 do RIR Dec. 3000/997 8 ); se forem recebidos de pessoa jurídica, estarão sujeitos à retenção do Imposto de Renda na Fonte (art. 6317 8 ).

Dessa forma, para as pessoas físicas, a alíquota incidente sobre a totalidade das receitas do arrendamento rural será a da tabela progressiva do IRPF2 , que é de 27,5% para os rendimentos superiores a R$ 46.939,56 no ano de 2011 (exercício de 2012, ano-calendário de 2011).9

Arrendamento de veículo[editar | editar código-fonte]

É a utilização de um carro em forma de renda — o veículo é tomado ou dado em condições estabelecidas por contrato, firmado entre as partes, por tempo determinado.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. a b c d e f Recanto das Letras - Arrendamento rural, por Professor Izaias Resplandes
  2. a b c d e FISCOSoft - Arrendamentos e Parcerias Rurais - Questões Civis e Tributárias Relevantes - Francisco de Godoy Bueno
  3. Senado Federal - Lei N. 4.504 - de 30 de novembro de 1964 - Estatuto da Terra
  4. Senado Federal - Decreto N. 59.566, de 14 de novembro de 1966 - Regulamentação do Estatuto da Terra
  5. Senado Federal - Lei N. 11.443, de 5 de janeiro de 2007 - Dá nova redação ao Estatuto da Terra
  6. Senado Federal - Lei N. 10.406, de 10 de janeiro de 2002- Institui o Código Civil
  7. a b Senado Federal - DECRETO Nº 3.000, DE 26 DE MARÇO DE 1999 - Regulamenta a tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza.
  8. a b Senado Federal - DECRETO Nº 4.166, DE 13 DE MARÇO DE 2002 - Altera o § 1º do art. 33 do Decreto nº 3.000, de 26 de março de 1999, que regulamenta a tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza.
  9. Receita Federal - Tabela Progressiva para Cálculo anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física – a partir do exercício de 2012
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete arrendar.