Artaxerxes II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Artaxerxes II da Pérsia)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Outubro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Artaxerxes II
Grande Rei da Pérsia
Tumba de Artaxerxes em Persépolis
Governo
Consorte Estatira
Antecessor Dario II
Sucessor Artaxerxes III
Dinastia Império Aquemênida
Vida
Nascimento ca. 436 a.C.
Morte 358 a.C. (78 anos)
Filhos Artaxerxes III
Pai Dario II
Mãe Parisátide

Arsaces ou Artaxerxes II Mnemon depois da subida ao trono (ca. 436 a.C.358 a.C. [carece de fontes?] ou 424 a.C. - 359 a.C.[1] ), foi um imperador aquemênida, filho de Dario II, começou a reinar em 404 a.C., quando, na Grécia, Atenas era derrotada na Guerra do Peloponeso e reinou até à sua morte em 358 a.C. Foi casado com a princesa Estatira.[2] Ele viveu noventa e quatro anos, e foi rei por sessenta e dois.[3]

Ele era filho de Dario II e Parisátide, filha de Artaxerxes I.[4] Dario e Parisátide tiveram quatro filhos, Artaxerxes II, o mais velho, Ciro,[4] que ganhou este nome em honra de Ciro, o Grande, cujo nome, segundo Plutarco, é a palavra persa para Sol, [5] Ostanes e Oxatres.[4] O nome de Artaxerxes II, segundo Plutarco, era Arsicas, ou, segundo Deinon, citado por Plutarco, Oarses.[5] [Nota 1]

Durante seu governo, várias províncias do Império Persa se rebelaram, mas Artaxerxes soube sufocar tais insurreições: Babilônia, Egito e reconquistou as regiões da Jônia (litoral da Anatólia) perdidas durante a Paz de Susã, firmadas em 448 a.C., durante o reinado de Artaxerxes I.

Artaxerxes II teve vários filhos, dentre os quais Dario, Ochus, Atossa[6] e Ariaspes.[7] De acordo com o genealogista inglês William Berry, Dario, Ariaspes e Ochus eram filhos de Estatira.[8]

Ele foi antecido por Dario II [1] [9] e foi sucedido por Oco [1] [3] (Artaxerxes III).

Revolta de Ciro, o jovem[editar | editar código-fonte]

Durante o seu reinado, Artaxerxes teve que enfrentar a revolta de seu irmão, Ciro, o Jovem.

Casamentos com as filhas[editar | editar código-fonte]

Após a morte de Estatira,[10] Artaxerxes ficou apaixonado por sua filha Atossa,[11] e, por sugestão de sua mãe Parisátide, casou-se com ela, tornando-a sua esposa legítima.[12]

Ele também se casou com outra filha, Amastris. Amastris, filha de Artaxerxes, havia sido prometida em casamento a Teribazo mas depois virou esposa de Artaxerxes II; em seguida Artaxerxes havia prometido Atossa a Teribazo,[13] mas Artaxerxes também rompeu o acordo e se casou com Atossa.[14]

Conspiração de seu filho Dario[editar | editar código-fonte]

Dario, o filho mais velho, foi nomeado sucessor quando tinha cinquenta anos de idade.[15]

Ochus, mais novo que Dario, pretendeu obter a sucessão, usando sua irmã Atossa.[6] Ochus, porém, conseguiu o favor de Atossa, prometendo torná-la sua esposa e dividir o poder com ela após a morte do pai; segundo algumas versões, Ochus tinha um caso com Atossa mesmo antes da morte de Artaxerxes II.[15]

De acordo com o costume dos persas, quando um sucessor era nomeado, ele tinha o direito a um pedido, e Dario pediu Aspásia, que havia sido a favorita de Ciro, o Jovem, e agora era uma concubina do rei.[16] Este pedido era ofensivo, pois o bárbaros eram muito ciumentos de suas mulheres,[17] mesmo Artaxerxes II tendo sua filha Atossa por esposa e 360 concubinas.[18] Artaxerxes respondeu que Aspásia era uma mulher livre, e poderia escolher quem ela quisesse, e ela escolheu Dario; Artaxerxes entregou Aspásia para Dario, mas logo depois pegou-a de volta,[18] colocando-a como sacerdotisa de Ártemis em Ecbátana, para que ela ficasse casta o resto da vida, como punição para Dario.[19]

Dario ficou ressentido, ou por desejo por Aspásia, ou por ter sido ofendido pelo rei,[19] e ainda foi inflamado por Teribazus, que dizia que ter uma tiara na cabeça não significava nada sem ter tomar conta dos negócios do estado e enquanto seu irmão menor tomava conta do estado através do harém.[20]

Dario e Teribazus conspiraram contra Artaxerxes, mas um eunuco soube da trama e contou a Artaxerxes.[21] Teribazus estava ressentido com Artaxerxes II por causa de Amastris.[13] Artaxerxes foi sábio, e preparou uma cilada para os conspiradores,[22] que foram reconhecidos e descobertos.[23]

Teribazus foi morto pelos guardas, mas Dario e seus filhos foram levados a julgamento.[24] Plutarco menciona duas versões, em uma delas, o executor cortou a cabeça de todos mas não quis cortar a cabeça do filho do rei,[25] apenas executando Dario após ser ameaçado; em outra versão, Dario foi julgado pelo próprio pai, pediu perdão,[26] mas foi morto a golpes de cimitarra pelo pai.[27]

Sucessão[editar | editar código-fonte]

Ochus ainda tinha receios de Ariaspes, o último filho legítimo de Artaxerxes, e de Arsames, filho ilegítimo.[7] Ariaspes era mais novo que Ochus, mas por ser moderado e humano, era considerado digno de ser rei pelos persas, e Arsames era considerado sábio, e era amado por seu pai.[7] Ochus induziu Ariaspes a se suicidar, fazendo-o acreditar que Artaxerxes o executaria de forma cruel,[28] e Arsames foi assassinado por Arpates, filho de Teribazus.[29]

Após a morte dos filhos, Artaxerxes II, que tinha noventa e quatro anos e havia reinado por sessenta e dois, morreu de tristeza, sendo sucedido por Ochus [3] (Artaxerxes III).

Notas e referências

Notas

  1. Plutarco aproveita para ironizar Ctésias, dizendo que seria improvável que este autor, apesar das suas histórias extravagantes e incríveis, tivesse errado o nome do rei, tendo vivido na corte e servido como médico da esposa, mãe e filha do rei.

Referências

  1. a b c Cláudio Ptolomeu (compilador), Cânone de Ptolomeu, Reis dos Persas [em linha]
  2. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 5.3
  3. a b c Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 30.5
  4. a b c Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 1.1 [em linha]
  5. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 1.2
  6. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 26.1
  7. a b c Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 30.1
  8. William Berry, Genealogia antiqua: or, Mythological and classical tables, compiled from the best authors on fabulous and ancient history (1816)
  9. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 2.3
  10. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 19.3
  11. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 23.2
  12. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 23.3
  13. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 27.4
  14. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 27.5
  15. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 26.2
  16. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 26.3
  17. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 27.1
  18. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 27.2
  19. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 27.3
  20. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 28.1
  21. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 29.1
  22. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 29.2
  23. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 29.3
  24. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 29.4
  25. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 29.5
  26. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 29.6
  27. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 29.7
  28. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 30.3
  29. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 30.4


Precedido por
Dario II
imperador aquemênida
404 a.C. — 358 a.C.
Sucedido por
Artaxerxes III
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.