Arte Rupestre do Vale Camonica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Arte Rupestre do Vale Camonica *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Scena di duello R6 - Foppe - Nadro (Foto Luca Giarelli).jpg
Petroglifos em Foppe de Nadro
País  Itália
Tipo Cultural
Critérios iii, vi
Referência 94
Região** Europa e América do Norte
Coordenadas 46° 01′ N 10° 21′ E
Histórico de inscrição
Inscrição 1979  (3ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

A Arte Rupestre do Vale Camonica, localizada no vale do mesmo nome, Vale Camonica, localizada na província de Bréscia, constitui uma das maiores colecções de gravuras pré-históricas no mundo[1] e foi o primeiro Património Mundial reconhecido pela Unesco em Itália (1979). A Unesco reconheceu mais de 140 000 figuras[1] , mas novas descobertas têm aumentado progressivamente o número total de incisões catalogadas, até 200 000[2] se não 300 000 [3] . Os petroglifos estão espalhados em toda a superfície do vale, mas concentrados nas áreas de Darfo Boario Terme, Capo di Ponte, Nadro, Cimbergo e Paspardo.

Características[editar | editar código-fonte]

As incisões foram feitas durante um período de oito mil anos, até à Idade do Ferro (I milênio a.C.) [2] , enquanto os petroglifos do último período são atribuídos a pessoas de Camunni mencionadas por fontes latinas. A tradição dos petroglifos não termina abruptamente: gravuras foram identificadas - embora em número muito pequeno, não é comparável com a grande atividade pré-histórica - da época romana, medieval ou mesmo contemporâneas, até o século XIX[1] [3] . A maioria dos cortes foram feitos com a técnica do "martellina", e em menor número obtido através do graffiti [2] .

O Rosa camuna

As figuras são, por vezes, simplesmente sobrepostas sem ordem aparente, mas muitas vezes aparecem em relação lógica entre elas, uma imagem de um ritual religioso ou uma cena de caça ou de luta; esta abordagem explica o regime de imagens, cada uma das quais é um ideograma que não é o objeto real, mas a sua "ideia "[2] . Sua função é devida aos rituais comemorativos, de iniciação e propiciatório - primeiro no campo da religião, e, depois, mesmo secular - que tiveram lugar em ocasiões especiais, únicas ou periódicas[3] . Entre os mais famosos símbolos encontrados em Val Camonica destaca-se o chamado "Rosa camuna", que foi adotada como símbolo oficial da região da Lombardia.

Temas e periodização[editar | editar código-fonte]

Nos anos sessenta, o arqueólogo Emanuel Anati, entre os primeiros a estudar sistematicamente a área, elaborou uma cronologia das gravuras rupestres, comparando o estilo e os tipos de símbolos como para identificar possíveis correlações com a periodização histórica tradicional da Pré-História à Idade Média[4] .

Parques de arte rupestre[editar | editar código-fonte]

Nome Município Coordenadas Petroglifos
1. Parco nazionale delle incisioni rupestri di Naquane Capo di Ponte 46° 01′ N 10° 20′ E
2. Parco archeologico nazionale dei Massi di Cemmo Capo di Ponte 46° 01′ N 10° 20′ E
3. Parco archeologico comunale di Seradina-Bedolina Capo di Ponte 46° 02′ N 10° 20′ E
4. Parco archeologico di Asinino-Anvòia Ossimo 45° 57′ N 10° 14′ E
5. Parco comunale delle incisioni rupestri di Luine Darfo Boario Terme 45° 53′ N 10° 10′ E
6. Parco comunale archeologico e minerario di Sellero Sellero 46° 03′ N 10° 20′ E
7. Parco archeologico comunale di Sonico Sonico 46° 10′ N 10° 21′ E
8. Riserva naturale Incisioni rupestri di Ceto, Cimbergo e Paspardo Ceto (Nadro)
Cimbergo
Paspardo
46° 01′ N 10° 21′ E

Referências

  1. a b c (em inglês) File Unesco. Página visitada em 11 maggio 2009.
  2. a b c d Piero Adorno, Mesolitico e Neolitico, p. 16.
  3. a b c Introduzione all'arte rupestre della Valcamonica su Archeocamuni.it (em italian). Página visitada em 11 maggio 2009.
  4. Il ciclo istoriativo camuno on Archeocamuni.it (em italian). Página visitada em 10 september 2009.

Literatura[editar | editar código-fonte]

  • Emanuele Süss, Rock Carvings in the Valcamonica, 1954.
  • Emmanuel Anati, Camonica Valley: A Depiction of Village in the Alps From Neolithic Times to the Birth of Christ as Revealed by Thousands of Newly found Rock Carvings, 1961.
  • Emmanuel Anati, Evolution and style in Camunian rock art: An inquiry into the formation of European civilization, 1976.
  • Emmanuel Anati, I Camuni, 1982.
  • Emmanuel Anati, Valcamonica rock art: A new history for Europe, 1994.
  • The intellectual expressions of prehistoric man, art, and religion, Acts of the Valcamonica Symposium, 1979.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arte Rupestre do Vale Camonica