Arte chinesa do papel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Uma exemplo de arte chinesa feita com o papel.

A Arte chinesa do papel (ou Arte chinesa do corte de papel) é uma arte tradicional na China e que evoluiu ao longo do curso do desenvolvimento da cultura chinesa.
Sua origem deve ser estreitamente relacionada com a invenção do papel, que ocorreu durante a dinastia Han (206 a.C.-221 d.C.). Como o papel era altamente precioso naqueles tempos, a arte de cortar papel tornou-se popular primeiramente nos palácios reais e casas da nobreza como um passatempo favorito entre as senhoras da corte.
Posteriormente, do século VII ao XIII, cortar papel era imensamente popular durante os festivais populares e celebrações. Pelo século XIV, a arte tinha se espalhado pelo Oriente Médio e Europa, e pelo século XV em diante, os trabalhos artísticos de corte de papel tinham se tornado uma parte integrante da vida cotidiana das pessoas. Porém, a arte do corte de papel estava à beira do desaparecimento durante o século XX, visto que a China antiga passava por sucessivos anos de desastre de guerra, trazidos por tumultos internos e invasão estrangeira. Entre indeterminadas mudanças em suas vidas, a maioria das pessoas não tinha nenhum tempo de lazer para se empenharem no estudo da arte de corte de papel.

O Renascimento da Arte Chinesa do papel[editar | editar código-fonte]

A República Popular da China e Taiwan tem promovido ativamente o renascimento da cultura chinesa desde os anos 80. A arte de cortar papel recebeu muita atenção graças à pesada publicidade, resultando até em uma arte mais inovadora.

Difusão pelo mundo[editar | editar código-fonte]

A influência do corte de papel na Europa e Ásia continental pode ser localizada no sétimo século. Migrou para o Japão e então para o Oriente Médio e Europa pela Rota da Seda, conduzindo assim ao desenvolvimento de muitos estilos diversos. Hoje, trabalhos em corte de papel de valiosos anciões são mantidos nos museus nacionais destes países.