Arte naïf

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Arte naïf (ingênua, em francês) ou arte primitiva moderna é, em termos gerais, a arte que é produzida por artistas sem formação académica. Caracteriza-se, em termos gerais, pela simplicidade e pela ausência de elementos formais da arte tradicional ocidental, como a perspectiva, harmonia cromática, composição, desenho clássico com correção anatômica, ou mesmo referências tradicionais das pinturas de gênero.

O termo naïf - ingênuo - presume a existência, por contraste, de uma forma acadêmica, "não-ingênua", "consciente", de executar uma obra artística que os artistas desta corrente não seguem.

História do termo[editar | editar código-fonte]

O primeiro pintor a ser chamado de "naïf" foi o funcionário da alfândega francesa Henri Rousseau, que primeiro expôs seus trabalhos no Salão dos Independentes francês de 1886 [1] .

Artistas primitivos modernos[editar | editar código-fonte]

Museu de Arte Primitiva Moderna, em Guimarães

Alexandre Filho

Anônimo pernambucano: Paisagem

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arte naïf

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]