Articulação Nacional de Travestis e Transexuais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Articulação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra)
Línguas oficiais Português

A Articulação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) é uma instituição brasileira voltada a suprir as necessidades da população transexual e transgênera, assim como combater a transfobia.[1] [2] A diretoria da instituição é renovada bianualmente.[1]

Fundada em 1993 e registrada em cartório em dezembro de 2000, na cidade de Porto Alegre, em 2013 contava com cento e cinco afiliadas que cobriam todo o território brasileiro.[2]

Características[editar | editar código-fonte]

Mudanças a partir do biênio 2009–2011[editar | editar código-fonte]

Em 2008, decidiu-se agilizar a administração, extinguindo-se as representações regionais da Antra, sendo então criadas Secretaria de Comunicação, Articulação Política, Direitos Humanos, Homens e Mulheres Transexuais.[1]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A articulação conta com o seguinte quadro hierárquico:[1] [2]

  • Presidente
  • Vice-presidente
  • Primeira-secretária
  • Segunda-secretária
  • Tesoureira
  • Segunda-tesoureira
  • Secretária de mulheres trans
  • Secretária de homens transexuais
  • Secretária de direitos humanos
  • Secretária de articulação política
  • Secretária de comunicação
  • Conselheiros fiscais

Referências

  1. a b c d Da redação (22/05/2009). Travestis e transexuais elegem nova diretoria de ONG nacional. Grupo Gay da Bahia. Página visitada em 23/03/2014.
  2. a b c Adm. do sítio web (25 de Janeiro de 2013). Antra pede a punição dos crimes transfóbicos em São Paulo. Portal dos Conselhos Municipais de Piracicaba. Página visitada em 23 de março de 2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre associações é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.