Aruanã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaAruanã
Aruanã prateado, Osteoglossum bicirrhosum

Aruanã prateado, Osteoglossum bicirrhosum
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Osteoglossiformes
Família: Osteoglossidae
Gêneros
Subfamily Heterotidinae

 Arapaima
 Heterotis
Subfamily Osteoglossinae
 Osteoglossum
 Scleropages

Aruanãs são peixes de água doce da família Osteoglossidae, muitas vezes conhecidos como língua-de-osso. Nesta família de peixes, a cabeça é ossuda e o corpo largo é coberto por escamas enormes, formando um padrão de mosaico. As espinhas dorsal e anal possuem leves raios e são longos, enquanto as peitorais e ventrais são pequenas. O nome língua-de-osso é derivado de um osso dental na parede da boca, a "língua", equipada com dentes que mordem contra os outros no céu da boca. Os peixes podem obter oxigênio pelo ar sugando até o saco de gás, que é alinhado com capilaridades como tecido. O pirarucu é obrigado a respirar ar.[1]

Classificação e zoogeografia[editar | editar código-fonte]

Osteoglossídeos são peixes primitivos do terciário e são colocados em ordem actinoptergi Osteoglossiformes. Existem 10 espécies: três da américa do sul,uma da África, quatro daÁsia, e as duas remanescentes da Austrália.

Osteoglossídeos são peiixes exclusivos de água doce e são encontrados dos dois lados da Linha de Wallace.[2] Isto pode ser explicado pelo fato de aruanãs asiáticos (S. formosus) divergiram dos australianos Scleropages, S. jardinii ed S. leichardti, a mais de 140 milhões de anos, o que torna provável que aruanãs asiáticos foram transportados para Asia pelo subcontinente Indiano.[3] [4]

Alimentação[editar | editar código-fonte]

Osteoglossídeos são carnívoros, especializados em pegar a comida da superfície. São excelentes saltadores; it has been reported that Osteoglossum species have been seen leaping more than 6 feet (almost 2 metres) from the water surface to pick off insects and birds from overhanging branches in South America, hence the nickname "water monkeys". Arowanas have been rumored to capture prey as large as low flying bats and small birds. All species are large, and the arapaima is a contender for the world's largest freshwater fish title. Arowana typically grow around 3 to 4 feet, but this is only accountable in captivity.

Several species of osteoglossid exhibit extensive parental care. They build nests and protect the young after they hatch. Some species are mouth brooders, the parents holding sometimes hundreds of eggs in their mouths. The young may make several tentative trips outside the parent's mouth to investigate the surroundings before leaving permanently.

No aquário[editar | editar código-fonte]

Aruanãs tendem a formar cardumes de 5 ou oito ; infelizmente tendem a mostrar excesso de dominância e agressão. coloque os peixes num aquário mínimo de 750 litros (240 galões) para o peixe com boa filtragem, e mais 100 para colocar outras espécies (Devido ao seu tamanho o pirarucu não é recomendado para aquários menores de 10.000 lts). Tal peixe não é recomendado para hobistas amadores. São compatíveis com peixes como peixes faca palhaços, pacus, oscars, plecostomus, Ciclídeos Jaguar, green terrors, gars e outros peixes semi-agressivos que (é claro!) não caibam na boca do aruanã.

Espécies australianas devem ser mantidas sozinhas no aquário.

Folclore[editar | editar código-fonte]

Para os Chineses e outras culturas relatadas, o dragão é um símbolo de boa sorte e prosperidade. aos olhos dos chineses, o peixe dragão possui a aparência do Dragão, especialmente as escamas largas e os barbilhões.

Aruanãs são também usados no feng shui para atrair boa sorte e saúde.

Espécies[editar | editar código-fonte]

A família contém duas subfamilias, Heterotidinae e Osteoglossinae, com todos menos dez espécies, Espécies são dadas com um ou mais nomes comuns.

Esta espécie é uma das conhecidas como Arowaa Asiática ou Língua-de-osso asiática.
Esta espécie e uma das duas muitas vezes chamada Arowana Australiana ou língua-de-osso australiano.

Um estúdio genético mostra que a linhagem que leva ao arapaima e ao arowana africano diverge cerca de 220 milhões de anos atras, durante o fim do Triassico; a linhagem levando aos arowanas prateados e negros da América do Sul divergiram cerca de 170 milhões de anos, durante o Médio Jurrásico. A linhagem levando aos Arowanas Australianos divergem dos asiaticos cerca de 140 milhões de anos, durante o começo do Cretáceo.[4]

Relato de Fóssil[editar | editar código-fonte]

Pelo menos 5 peixes de paleoespécie, conhecida somente por fósseis, são classificados por Osteoglossids; Esta data vai até o fim do cretáceo, e é largamente considerada parte do arowana Osteoglossomorpha. Ossos Osteoglossomorficos foram encontrados em todos os continentes menos na Antarctica.[5]

Genus Brychaetus[editar | editar código-fonte]

Brychaetus muelleri (Agassiz, 1845) é conhecido como o fim do cretaceo para o paleocene. Seus fósseis foram encontrados na Europa, América do Norte, e norte da África. Este peixe de água doce tem muitos dentes longos e sem corte. Platops e Pomphractus são sinônimos.[6]

Genus Joffrichthys[editar | editar código-fonte]

Este genus norte-americano inclui duas espécies, J. symmetropterus e J. triangulpterus. As espécies posteriores é conhecido como Paleocene da formação dos montes de Dakota do Norte, Estados Unidos.[7]

Genus Phareodus[editar | editar código-fonte]

Este genus inclui pelo menos duas espécies, P. testis (Leidy, 1873) e P. encaustus. Representantes foram encontrados no meio do Eoceno para o Oligoceno na Austrália e América do Norte, incluindo na formação do Green River foi Wyoming, E.U.A.[6]

P. testis era um peixe de água doce com uma linha oval, uma cabeça pequena e levemente pontuda. Sua espinha dorsal e aal são situadas posteriormente, com a espinha anal sendo mais larga. Sua espinha caudal é um pouco torcida. Tem uma espinha pélvica fina, e é sinónimo do Dapdoglossus

Referências

  1. Berra, Tim M. (2001). Freshwater Fish Distribution. San Diego: Academic Press. ISBN 0-12-093156-7
  2. "".
  3. Kumazawa, Yoshinori; Nishida, Mutsumi. (2000). "Molecular Phylogeny of Osteoglossoids: A New Model for Gondwanian Origin and Plate Tectonic Transportation of the Asian Arowana". Molecular Biology and Evolution 17 (12). PMID 11110903.
  4. a b Kumazawa, Yoshinori. (2003). "The reason the freshwater fish arowana live across the sea". Quarterly Journal Biohistory (Winter).
  5. Guo-Qing, Li; Wilson, Mark V. H. (1998). Osteoglossomorpha (article) Tree of Life. Visitado em 2006-04-14.
  6. a b Frickhinger, Karl Albert. Fossil Atlas: Fishes. Blacksburg, Virginia: Tetra Press, 1995.
  7. Newbreya, M. G.; Bozekb, M. A.. (2000). "A New Species of Joffrichthys (Teleostei: Osteoglossidae) from the Sentinel Butte Formation, (Paleocene) of North Dakota, USA". Journal of Vertebrate Paleontology 20 (1): 12–20. DOI:[0012:ANSOJT2.0.CO;2 10.1671/0272-4634(2000)020[0012:ANSOJT]2.0.CO;2].