Ascaris lumbricoides

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaAscaris lumbricoides
Fêmea adulta.

Fêmea adulta.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Nematoda
Classe: Secernentea
Ordem: Ascaridida
Família: Ascarididae
Género: Ascaris
Espécie: A. lumbricoides
Nome binomial
Ascaris lumbricoides
Linnaeus, 1758

Ascaris lumbricoides é uma espécie de nematódeo da família Ascarididae. Parasita seres humanos e é causa da doença conhecida como ascaridíase ou lombriga. Os vermes adultos medem entre 15 cm e 40 cm de comprimento e desenvolvem-se no intestino delgado do hospedeiro, no qual macho e fêmea se acasalam.

Morfologia[editar | editar código-fonte]

Machos[editar | editar código-fonte]

Os machos adultos da espécie podem atingir até 30 centímetros de comprimento e possuem uma cor leitosa. Em uma de suas extremidades, os vermes apresentam uma boca ou vestíbulo bucal, contornada por três lábios com dentículos dispostos em forma de serrilha. Não há interlábios. O alimento ingerido passa por um esôfago musculoso, depois por um intestino retilíneo, até chegar ao reto, na extremidade posterior do animal. O aparelho reprodutor é composto de um único testículo enovelado e filiforme, canal deferente, canal ejaculador e abre-se na cloaca. Dois espículos no corpo do macho servem como estruturas acessórias para a cópula. É possível diferenciar facilmente as fêmeas dos machos pois estes últimos tem sua extremidade posterior bastante encurvada ventralmente.[1]

Diferentemente da grande maioria dos gametas masculinos de outros seres, o espermatozoide tem movimentação ameboide por conta de forças evolutivas sofridas pela espécie no meio. [2]

Fêmeas[editar | editar código-fonte]

As fêmeas medem de 30 a 40 centímetros de comprimento. A cor, a boca e o aparelho digestivo são semelhantes aos dos machos, mas geralmente são mais robustas que estes. O sistema reprodutor é composto de dois ovários filiformes e enovelados que continuam como ovidutos, diferenciando em úteros que se unem para formar uma única vagina. A vulva fica situada no terço anterior do animal. A extremidade posterior da fêmea, ao contrário da dos machos, é retilínea.[3]

Ovos[editar | editar código-fonte]

Um ovo fertilizado.

Os ovos tem a princípio cor branca, mas devido ao contato com os pigmentos biliares das fezes, adquirem um tom castanho, às vezes descrito como de amarelo-escuro a marrom.[4] Tem formato oval a redondo e medem 45 a 75 micrômetros (μm) de comprimento e 35 a 45 (ou 50, a depender da fonte)[5] μm de largura;[6] possuem uma cápsula espessa graças a membrana externa mamilonada, formada por mucopolissacarídeos e secretada pela parede uterina. Internamente a esta membrana, existe outra constituída de quitina e proteína. A mais interna é delgada e impermeável à água constituída de 25% de proteínas e 75% de lipídios. É a camada mais interna que garante ao ovo a capacidade de resistir às condições adversas do ambiente. Em seu interior, os ovos tem uma massa de células germinativas. É possível encontrar nas fezes humanas ovos inférteis de áscaris, isso ocorre quando a fêmea do verme não foi inseminada, ou quando está iniciando a oviposição.[5] Pode-se identificar ao microscópio esse tipo de ovo pois eles possuem o interior desorganizado, com citoplasma granuloso e sem estruturas visíveis.[6] [4] A membrana mamilonada é mais delgada e são mais alongados que os ovos férteis, medindo 80 a 90 μm de comprimento. Algumas vezes, mesmo os ovos férteis podem não ter a membrana mamilonada, sendo chamados de ovos decorticados.[4]

Referências

  1. Neves 2005, p. 253
  2. "Biologia do Desenvolvimento". Gilbert, Scott F. 5ª edição, página 123, parágrafo 1.
  3. Neves 2005, pp. 253-4
  4. a b c Neves 2005, p. 254
  5. a b Roberts 2008, p. 434
  6. a b Ridley 2011, p. 140

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Neves, David Pereira; Alan Lane de Melo, Pedro Marcos Linardi, Ricardo W. Almeida Vitor. Parasitologia Humana (em português). 11º ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2005. Capítulo: Ascaris lumbricoides.  494 pp. ISBN 8573797371
  • Ridley, John W. Parasitology for Medical and Clinical Laboratory Professionals (em inglês). [S.l.]: Cengage Learning, 2011. 316 pp. ISBN 1435448162
  • Roberts, Larry S; Janovy, John. Gerald D. Schmidt & Larry S. Roberts' foundations of parasitology (em inglês). 8ª ed. Nova Iorque: McGraw-Hill Higher Education, 2008. 701 pp. ISBN 0073028274
Ícone de esboço Este artigo sobre Invertebrados, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.