Assembleia Suprema Islâmica do Iraque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.

A Assembleia Suprema Islâmica do Iraque (ASII), também conhecido como Conselho Supremo Islâmico do Iraque (CSII; em árabe المجلس الأعلى الإسلامي العراقي), anteriormente chamada de Assembleia Suprema para a Revolução Islâmica no Iraque, é um partido político iraquiano que defende os interesses do grupo étnico-religioso dos árabes xiitas (grupo majoritário na população deste país).

Ideologia[editar | editar código-fonte]

A ideologia da ASII é o islamismo politico xiita; é fortemente inspirado pela Revolução Islâmica que teve lugar no vizinho país do Irã em 1979. Durante a maior parte de sua história o objetivo fundamental era criar um regime teocrático no Iraque, à imagem e semelhança do iraniano.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Abdul Aziz Al Hakim depositando seu voto nas eleições de janeiro de 2005.

A ASRII foi fundada em 1982, pelo Aiatolá Mohamed Baqir al-Hakim; naquele momento o antigo Partido Islâmico Dawa parecia a ponto de desaparecer por conta da intensa repressão que sofria pela ditadura de Saddam Hussein.

O Dawa era o partido majoritário dentre os xiitas iraquianos, e o único que lutava para criar um regime inspirado nos princípios religiosos do xiismo. Seu desaparecimento significava um duro golpe na população xiita, majoritária no Iraque.

Diante desse perigo, al-Hakim decidiu fundar um novo partido, que continuaria a luta do Dawa e a radicalizaria. A fundação teve lugar na capital iraniana, Teerã, onde este vivia exilado para fugir à perseguição do regime de Hussein.

Desde o primeiro momento o partido contou com apoio do governo iraniano, que o financiava na esperança de derrubar o regime adversário vizinho, e implantar um governo islâmico aliado, durante os anos da guerra Irã-Iraque (1980-1988).

Seus líderes voltaram ao país, em 2003, quando o país foi invadido pelos Estados Unidos e o regime de Saddam foi derrubado. Em 29 de agosto desse ano, entretanto, um atentado terrorista na cidade de Najaf matou al-Hakim e outras 83 pessoas. Seu irmão, Abdul Aziz al Hakim, converteu-se então no líder máximo do partido.[1]

Referências

  1. Londono, Ernesto (27 de agosto de 2009). Shiite leader's death roils Iran's politics The San Francisco Chronicle Sfgate.com.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.