Associação Atlética Anapolina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anapolina
AA Anapolina-06.svg
Nome Associação Atlética Anapolina
Alcunhas Rubra
Xata
Torcedor/Adepto Rubro
Colorado
Mascote Cachorro Loko
Fundação 1 de janeiro de 1948 (66 anos)
Estádio Estádio Jonas Duarte
Capacidade 14.400 pessoas
Localização Brasao-anapolis.png Anápolis, Goiás GO
Brasil Brasil
Presidente Brasil Leandro Ribeiro
Treinador Brasil Alfinete
Patrocinador Brasil Prefeitura de Anápolis
Brasil Giotur
Brasil Café Rancheiro
Brasil Elo Embalo
Material esportivo Brasil Super Bolla
Competição Goiás Campeonato Goiano
Brasil Campeonato Brasileiro
Divisão Goiás 1° divisão
Brasil Série D
Goiás 1ªD 2014
Brasil D 2014
3° colocado
À disputar
Goiás 2ªD 2013
Campeão
Goiás 1ªD 2012
10° colocado (rebaixado)
Ranking nacional 90º lugar, 370 pontos
Website Anapolina
Kit left arm anapolina1415h.png Kit body anapolina1415h.png Kit right arm anapolina1415h.png
Kit shorts anapolina14h.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm anapolina1415a.png Kit body anapolina1415a.png Kit right arm anapolina1415a.png
Kit shorts anapolina14a.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

Associação Atlética Anapolina é um clube brasileiro de futebol, com sede na cidade de Anápolis, no estado de Goiás. Chamada por sua fanática torcida de Xata (com "x" mesmo), dado ao seu costume de vencer os times grandes e perder para os pequenos. Atualmente disputa o campeonato brasileiro da serie “ D ”.

== História ==

A Anapolina foi fundada no dia 1º de janeiro de 1948. Originou-se a partir do Anápolis Sport Club. É carinhosamente denominada "Rubra" ou "Xata".

Rubra é a denominação originada pelo uniforme do time, nas cores vermelho e branco, em homenagem ao primeiro time de futebol de Anápolis, o Bahia Futebol Clube, que utilizava as mesmas cores. Existe também a versão de que a escolha foi uma homenagem prestada ao América-RJ. Xata é uma denominação que vem desde a época do amadorismo, quando o clube montava equipes fracas, que sofriam frequentes derrotas, porém se reabilitava com vitórias surpreendentes contra adversários mais bem preparados. Na Copa do Mundo de 1966, a Seleção Brasileira fazia uma de suas piores campanhas de sua história. Porém, uma faixa no meio da torcida acabou chamando a atenção dos cronistas esportivos brasileiros: "A Rubra é Xata!", escrita de forma proposital com a letra "x".

No final da década de 1970 (e início dos anos 80), a equipe foi reestruturada e obteve grande destaque na mídia nacional, conquistando dois vice-campeonatos goianos em 1981 e 1983, o vice-campeonato da Taça de Prata (antiga 2ª Divisão do Campeonato Brasileiro, atual Série B), além de participar em quatro campeonatos da 1ª divisão (1978, 1979, 1982 e 1984).

Mais recentemente, os melhores resultados alcançados foi o vice-Campeonato Goiano de 2000. Em 2006, a Anapolina apresentou o melhor desempenho dos últimos anos no campeonato goiano, disputando as semifinais do torneio, e terminando em terceiro lugar. Em 2008, porém, a Anapolina conseguiu apenas a 6º colocação no campeonato estadual.

No ano de 2012 foi rebaixada para a 2ª divisão do Campeonato Goiano, agora no Ano de 2013, conseguiu retornar para a divisão principal do Futebol Goiano após dois empates na semifinal contra o Santa Helena (classificou visto melhor campanha).

Seu primeiro Titulo Profissional foi no ano de 2013, no dia 25/08/13, sobre o Trindade, conquistando o titulo da Divisão de Acesso do Campeonato Goiano 2013. Os resultados deste confronto foram: - Anapolina 3 x 1 Trindade - Trindade 3 x 2 Anapolina OBS: Anapolina se sagrou campeã devido a soma dos resultados, sendo: Anapolina 5 x 4 Trindade.

Seus maiores ídolos atualmente são: Edinho, Émerson Cris, Juninho Goiano, Jacó, Vinícius Guedes e Sávio.

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

A Anapolina tem como grande rival o Anápolis Futebol Clube, da mesma cidade.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 1948 - O Anápolis Sport, antigo clube da cidade, é desativado dando lugar a Associação Atlética Anapolina. Sua estréia foi uma vitória contra o Ferroviário de Araguari por 3 X 2.
  • 1949 - A Anapolina vence, invicta, o primeiro campeonato da cidade.
  • 1951 - Em 10 de junho, é disputado o primeiro clássico entre Anapolina e Anápolis FC, onde a Anapolina venceu por 2x1, com gols de Júlio e Zeca Puglisi.
  • 1952 - A Anapolina conquista o tetracampeonato da cidade. Vencendo o Anápolis, na final, por 2X1.
  • 1957 - No ano do cinqüentenário da cidade, realiza-se um torneio entre Anapolina, Anápolis, Ipiranga e Goiás Esporte. O Ipiranga classifica-se para a final, mas tem uma excursão. A Anapolina, usando as camisas do Ipiranga, vence o Anápolis na final por 3 X 2.
  • 1960 - O último campeonato anapolino no amadorismo é vencido pela Anapolina.
  • 1963 - Em 31 de agosto, é inaugurado o primeiro campo gramado de Anápolis, o estádio Irani Ferreira Barbosa, do Ipiranga AC, com o jogo Ipiranga 2x0 Uberlândia. Finalmente, o futebol anapolino é totalmente profissionalizado.
  • 1965 - Em 10 de abril foi inaugurado o Estádio Jonas Duarte, com o jogo São Paulo 4 x 1 Seleção Anapolina. O primeiro gol foi marcado por Rodarte, do São Paulo.
  • 1967 - 19 de outubro, em Goiânia, a Anapolina conquista uma das maiores goleadas de sua história, vencendo o Goiânia por 7 x 1, em partida válida pelo campeonato goiano.
  • 1970 - Passando por grave crise financeira, as três equipes profissionais de Anápolis (Anapolina, Anápolis e Ipiranga) se fundem, e surge o Grêmio Esportivo Anapolino, que disputa o campeonato goiano nos anos de 1970 e 1971. O clube não desperta entusiasmo nos torcedores locais, e é desativado ao final do segundo campeonato disputado.
  • 1972 - O Anápolis e o Ipiranga retornam à disputa do campeonato goiano. A Anapolina prefere se licenciar, e desativa o departamento de futebol profissional.
  • 1975 - A Anapolina retorna à disputa do campeonato goiano.
  • 1978 - A Anapolina participa pela primeira vez de um campeonato brasileiro. O jogo de estréia é contra o Corinthians, em Anápolis, e o resultado é um empate de 0 x 0.
  • 1979 - Pela segunda vez, o clube participa do Campeonato Brasileiro da primeira divisão. O grande destaque da Anapolina é o atacante Zé Carlos Paulista, que marca 7 gols, e é um dos maiores artilheiros da primeira fase do campeonato.
  • 1980 - A Anapolina participa da Taça de Prata (Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro) com uma brilhante participação. O clube conquista o primeiro lugar do seu grupo na primeira fase, e disputa com o Sport Recife a vaga na Copa Brasil, atual Série A do Campeonato Brasileiro, sendo eliminada no segundo jogo, em Recife.
  • 1981 - O clube conquista o vice-campeonato da Taça de Prata, perdendo na final para o Guarani (SP). A Anapolina conquista o título goiano dentro de campo, mas perde para o Goiás no "tapetão". Na conquista do primeiro turno, a Anapolina consegue um feito inédito, ficando dez jogos invicta, com nove vitórias consecutivas e um empate.
  • 1982 - Participa brilhantemente da Taça de Ouro e conquista o 11º lugar, sendo desclassificada nas oitavas de final pelo São Paulo. No primeiro jogo do play-off decisivo, a Anapolina venceu o São Paulo em Anápolis por 3 x 1.
  • 1983 - A Anapolina conquista pela segunda vez o vice-campeonato goiano, perdendo novamente na final para o Goiás. Os anapolinos reclamam muito de Antonio Pereira da Silva, que estreou como árbitro nos jogos finais. Anos mais tarde, ele se tornaria um dos melhores árbitros do Brasil.
  • 1984 - Participa da Campeonato Brasileiro, realizando uma fraca campanha. Esta foi a última participação do clube no campeonato brasileiro da primeira divisão.
  • 1988 - No campeonato goiano, o clube inicia uma fase de ostracismo, e termina na penúltima colocação.
  • 1989 - A Anapolina consegue chegar até a terceira fase do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, sendo eliminada pelo Clube do Remo.
  • 1993 - Mais uma vez, a Anapolina fica na penúltima colocação do Campeonato Goiano.
  • 1996 - Outra péssima campanha no Campeonato Goiano, com a Rubra ficando na antepenúltima colocação.
  • 1997 - Mais um ano de péssima campanha no Estadual, em que a Anapolina fica no décimo lugar, numa disputa com treze equipes.
  • 1998 - No Campeonato Goiano, a Anapolina apresenta um dos desempenhos mais bisonhos de sua história, e é rebaixada para a 2ª Divisão. Porém, graças a sua excelente colocação no ranking da CBF, a Anapolina disputa a Série C após seis anos ausente do Campeonato Brasileiro, e com uma excelente campanha consegue atingir o quadrangular final, obtendo ao final uma brilhante terceira colocação.
  • 1999 - Novamente a Anapolina disputa a Série C, e participa no grupo do Fluminense-RJ. A Anapolina consegue uma brilhante campanha, incluindo uma vitória no Maracanã, derrotando os tricolores por 1 x 0. Infelizmente, uma irregularidade na documentação do jogador Tupã acaba eliminando a Anapolina do campeonato. No Campeonato Goiano, a Anapolina consegue retornar à 1ª Divisão graças a uma jogada de bastidores, e obtém uma belíssima campanha, ficando no final com a terceira colocação.
  • 2000 - Pela Copa João Havelange, Módulo Amarelo (equivalente a Segunda Divisão), a Anapolina consegue uma brilhante classificação para a segunda fase, e é eliminada pelo Paraná. No Campeonato Goiano, também consegue uma bela campanha, ficando novamente na terceira colocação. Porém, o time acaba beneficiado pela punição imposta ao Vila Nova, que se recusou a disputar a final contra o Goiás, e consegue pela terceira vez o vice-campeonato goiano, além de conquistar pela primeira vez uma vaga na Copa do Brasil.
  • 2001 - A Anapolina termina em oitavo lugar na primeira fase do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, Grupo Norte-Nordeste, com um destaque: a equipe tem o segundo melhor ataque, com 45 gols. Pela primeira vez a Anapolina disputa a Copa do Brasil, e é eliminada no segundo jogo pelo Santos.
  • 2002 - O Juventude elimina a Anapolina no primeiro jogo da Copa do Brasil, vencendo em Anápolis por três a um. No Campeonato Goiano, a Anapolina conquista a 1ª Fase do Campeonato (que não teve a participação do Goiás e do Vila Nova), e fica com o troféu "Clomar Vieira". Na classificação final, fica novamente com o terceiro lugar. Na Copa Centro-Oeste, a Anapolina é eliminada pelo CENE-MT no torneio de qualificação. Na Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, o grande destaque da Anapolina é o atacante Espíndola, que termina como terceiro maior artilheiro do torneio, marcando 14 gols.
  • 2003 - Em sua terceira participação na Copa do Brasil, a Anapolina é eliminada pelo Náutico no segundo jogo, em Recife. No Campeonato Goiano, a Anapolina faz uma boa campanha na primeira fase, e termina em terceiro lugar. Porém, no "play-off" da segunda fase é surpreendentemente eliminada pelo Real de Itumbiara, que derrota a Rubra dentro do Jonas Duarte, quando a Anapolina precisava apenas do empate para se classificar. No campeonato brasileiro da Série B, a Anapolina enfrenta o Palmeiras (1x2) e o Botafogo (0x4), que haviam sido rebaixados no ano anterior, e conseguem retornar à primeira divisão, respectivamente como campeão e vice.
  • 2005 - Na Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro o time realiza uma péssima campanha, sendo rebaixado para a Terceirona de 2006. Durante o torneio, o maior destaque foi a vitória sobre o Grêmio, em Anápolis, por 4x0.
  • 2006 - Depois de vários anos, finalmente a Anapolina consegue disputar a fase final do campeonato goiano, depois de realizar uma excelente campanha na primeira fase. Na semifinal, o clube é eliminada pelo Atlético, e fica na terceira colocação.Na Série C, o clube consegue atingir até a terceira fase do torneio, realizando uma campanha muito irregular, e fica de fora do octogonal final do torneio.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Cscr-featured.png Campeão Invicto

Estadual
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Goiano da Segunda Divisão 1 2013
Municipais
Competição Títulos Temporadas
Brasão do Município de Anápolis Campeonato Amador de Anápolis 7 1949Cscr-featured.png, 1950, 1951, 1952, 1956, 1960 e 2006

Elenco Atual[editar | editar código-fonte]


Goleiros
Jogador
1 Brasil André Luis
- Brasil Fabiano Heves
- Brasil Juninho
Defensores
Jogador Pos.
4 Brasil Cris Z
3 Brasil Jacó Lesionado Z
- Brasil Neto Pierin Z
- Brasil Thiago Coutinho Z
- Brasil Vinícius Z
- Brasil Bonfim Z
2 Brasil Ceará LD
- Brasil Johnathan LD
- Brasil Rafinha LD
- Brasil Rafael Serrano LD
Meio-campistas
Jogador Pos.
8 Brasil Felipe Baiano V
5 Brasil André V
- Brasil Patrola V
- Brasil Paulista V
6 Brasil Renato Xavier V
- Brasil Alexandre M
- Brasil Celinho M
- Brasil Diogo M
- Brasil Esquerdinha M
10 Brasil Fabrizzyo M
- Brasil Felipe Santos M
- Brasil Jefferson M
- Brasil Pedro M
Atacantes
Jogador
- Brasil Charles
11 Brasil Danilo
9 Brasil Viola Capitão Lesionado
- Brasil Watthimen
Legenda
  • Capitão: Capitão
  • Lesionado: Jogador lesionado/contundido
  • +: Jogador em fase final de recuperação
  • +: Jogador que volta de lesão/contusão
  • Suspenso.: Jogador suspenso

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Estádio Jonas Duarte[editar | editar código-fonte]

A Xata manda seus jogos no Estádio Jonas Duarte. O clube também o utiliza o estádio para realização de coletivos a pronto.

CT do Bairro de Lourdes[editar | editar código-fonte]

O clube ainda possui uma pequena área, no Bairro Nações Unidas, na cidade de Anápolis. No terreno, foram construídos apenas 1 campo com arquibancada e a sede da escolinha do clube. O campo no CT das Nações Unidas (Anápolis)|Bairro de Lourdes]] é utilizado apenas para treinamento das camadas jovens e da escolinha. O CT está mal cuidado, apesar de sua alta valorização, estima-se que a área tenha um valor de 4 milhões de reais.

CT do Renascer[editar | editar código-fonte]

O CT do Renascer, situado na cidade de Anápolis saída para Goiania, atrás do posto presidente, é utilizado pelo Anapolina para treinamentos. O CT não pertence ao Anapolina, apesar de ser uma das casas da Xata, e da frequente utilização para treinamentos.

Campo do Mago[editar | editar código-fonte]

O Campo do Mago, situado na Vila Fabril, próximo ao matadouro, saída para Campo Limpo de Goiás, foi durante muito tempo o principal local de treinamento da rubra. Hoje em dia é pouco utilizado, pelo clube.

Treinamento no geral[editar | editar código-fonte]

Além do valorizado CT do Bairro de Lourdes, do Estádio Zeca Puglise e do Estádio Jonas Duarte (o Caldeirão Colorado), a rubra também utiliza alguns outros campos para treinamento: o Campo do Mago situado na Vila Fabril em Anápolis é um delese e o CT do Renascer também. Ultimamente a Xata tem treinado em um campo na cidade de Campo Limpo de Goiás, isso para fugir da agitação da cidade, e da pressão da torcida rubra. Os treinos físicos são realizados em uma academia moderna situada no bairro Jundiaí, cidade de Anápolis.

Passado glorioso[editar | editar código-fonte]

A melhor fase da história Anapolina foi no período de 1970 a 2004, no qual podem ser formadas três "seleções" dos jogadores que atuaram nesta época:

  • Seleção de Ouro: Dilon, Vinicius, Sidnei, Ribas e Nilton; Paulo Sérgio, Mateus e Nei; Jorge Cruz, Sávio e Rodrigues.
  • Seleção de Prata: Deo, Assis, Wilson Santos, Paulo Nelli e Eulálio; Roberto Chaves, Barão e Esquerdinha; Sinomar, Zé Carlos Paulista e Raimundinho.
  • Seleção de Bronze: Cantarelli, Wilson Soares, Gideone, Deirote e Robô; Mário, Armando, Paghetti e Zé Carlos; Osmário e João Paulo.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Últimas dez temporadas[editar | editar código-fonte]

Associação Atlética Anapolina
Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Campeonato Goiano
Div. Pos. J V E D GP GC Fase Máxima Div. Pos.
2005
2006 C 15º 18 5 8 5 26 23
2007
2008
2009 D 30º 6 1 2 3 9 13
2010
2011 D 12 5 2 5 20 19
2012 10º
2013
2014 D


Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Rebaixamento
     Acesso

Histórico em competições oficiais[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro[editar | editar código-fonte]

Brasil Série A (4 participações)
Ano 1978 1979 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987
Pos. 65º 43º 10º 35º


Brasil Série B (13 participações)
Ano 1980 1981 1987 1989 1990 1991 1992 2000 2001 2002 2003
Pos. 13º 17º 13º 21º 19º 15º 13º 17º 17º
Ano 2003 2004 2005
Pos. 17º 13º 19º


Brasil Série C (3 participações)
Ano 1998 1999 2000 2001 2002 2006
Pos. 24º 15º


Brasil Série D (2 participações)
Ano 2009 2010 2011 2012 2013 2014
Pos. 30º


Copa do Brasil[editar | editar código-fonte]

Brasil Copa do Brasil (3 participações)
Ano 2001 2002 2003 2004 2005 2006
Fase 1F 1F 1F


Campeonato Goiano[editar | editar código-fonte]

Recordes[editar | editar código-fonte]

  • Maior série invicta: 14 jogos (dez vitórias e quatro empates), entre 20 de abril e 14 de junho de 2000. Os resultados foram os seguintes:

3 x 1 Vila Nova
2 x 1 Itumbiara
1 x 0 União Inhumas
2 x 0 Goiás
3 x 1 Minaçu
2 x 1 Aparecida
1 x 1 Anápolis
4 x 3 Rioverdense
4 x 0 Goianésia
5 x 1 Goiânia
5 x 0 Goiatuba
3 x 3 Goiânia
3 x 2 Goiânia
2 x 2 Goiás

  • Maior série de vitórias consecutivas: 9 vitórias, entre 29 de abril e 31 de maio de 1981. Os resultados foram os seguintes:

1 x 0 Goiânia
1 x 0 Atlético
2 x 0 Itumbiara
2 x 1 Monte Cristo
2 x 1 Goiás
2 x 1 Goiatuba
2 x 0 CRAC
1 x 0 Rio Verde
2 x 1 Anápolis

  • Maiores goleadas aplicadas:

8 x 0 Alvorada (16 de agosto de 1998)
7 x 0 Rioverdense (27 de junho de 2000)
7 x 1 Goiânia (19 de outubro de 1967)
6 x 0 Anápolis (15 de fevereiro de 2004)
6 x 0 Goiânia (14 de outubro de 1981)
6 x 0 Inhumas (1 de junho de 1975)
6 x 0 Jataiense (29 de abril de 1979)
6 x 1 Rio Verde (26 de julho de 1987)
6 x 1 Tocantinópolis-TO (17 de Outubro de 2011)
5 x 0 Alvorada (27 de setembro de 1998)
5 x 0 Goiatuba (3 de junho de 2000)
5 x 0 Itabaiana-SE (6 de dezembro de 1998)
5 x 0 Limoeiro-CE (1 de novembro de 1998)
5 x 0 Real Clube (28 de abril de 2002)
5 x 0 Luiziânia (6 de agosto de 2006)
5 x 1 Jataiense (14 de agosto de 1994)
5 x 1 Monte Cristo (13 de abril de 1982)
5 x 1 Operário (1 de junho de 1947)
5 x 1 Sampario Corrêa-MA (24 de setembro de 2002)
5 x 1 ABG (20 de junho de 1948)
5 x 2 Goiás (20 de janeiro de 2010)
4 x 0 Ceres (26 de março de 1986)
4 x 0 Confiança-SE (3 de novembro de 1979)
4 x 0 CRAC (1 de maio de 2002)
4 x 0 Desportiva-ES (2 de setembro de 2000)
4 x 0 Goianésia (28 de maio de 2000)
4 x 0 Goianésia (11 de março de 2001)
4 x 0 Goiânia (23 de junho de 1985)
4 x 0 Goiânia (20 de setembro de 1998)
4 x 0 Grêmio-RS (19 de junho de 2005)
4 x 0 Itapuranga (16 de setembro de 1992)
4 x 0 Itumbiara (4 de outubro de 1981)
4 x 0 Monte Cristo (23 de junho de 1985)
4 x 0 Quirinópolis (16 de setembro de 1992)
4 x 0 Real Clube (28 de janeiro de 2004)
4 x 0 Trindade (27 de março de 2011)

  1. Anapolina 0 a 0 Corinthians, 19.640, 26 de Março de 1978 .
  2. Anapolina 3 a 1 São Paulo, 17.015, 28 de Março de 1982 .
  3. Anapolina 3 a 1 Fluminense, 15.924, 7 de Março de 1982 .
  4. Anapolina 3 a 2 Fluminense, 15.270, 3 de Outubro de 1999 .
  5. Anapolina 1 a 0 Cruzeiro, 13.660, 10 de Março de 1982 .
  6. Anapolina 2 a 2 Vila Nova, 10.254, 10 de Abril de 2011.
  7. Anapolina 1 a 0 Goiás, 9.510, 2 de Fevereiro de 2011 .

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Elenco atual de Futebol (em português) Site oficial da Associação Atlética Anapolina. Página visitada em 18 de Março de 2014.
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.